Apagões, apaguinhos e o setor elétrico.

itauipuApós o  governo federal  afirmar que irá reduzir a conta de energia elétrica três estados se posicionaram contra. São Paulo, Paraná e Minas Gerais. Todos governados pelo PSDB.

As críticas contra essa medida foram as mais diversas.  Desestabilização das finanças estaduais. Corte em áreas cruciais. Notadamente educação, segurança e saúde. Óbvio.  Reclamaram que justamente agora que os esses três estados estavam indo tão bem veem a Dilma e estraga tudo. Mais uma vez. Etc..

Bem, discurso de oposicionistas que vislumbram uns bons anos na triste posição de oposição.

Há de ser perceber outra coisa: se tivermos a paciência de retirar o que há de comum nos discursos dos tucanos em relação aos diversos programas do governo federal notaremos que: toda vez que se fala em algo para proteger a economia ou melhorar a vida da população menos favorecida eles são contra. Reclamam. Do bolsa-família à redução de IPI dos automóveis e dos eletros-eletrônicos. Usam e abusam de palavras tais como: demagogia, populismo, clientelismo, caudilhismo.  Como se fosse os maiores palavrões do mundo.

Para eles essa diminuição, pelo visto, só irá atrapalhar. Talvez o que resolva mesmo é aumentar os impostos, como é feito nesses estados.

Agora, o estranho é que  esta redução atingirá todas as camadas da sociedade. Do rico ao pobre. Da mais poderosa indústria à mais simples residência. Todos serão beneficiados.  Então, o que os deixa nervosos com essa medida?  Por que eles são contra? Será que falta inteligência política? Ou as empresas do setor foram chorar no ombro amigo dos tucanos? Ou simples vaidade? Ou ambos? Não partiu deles, não presta.

Creio que seja isso: vaidade e conluio. Os tucanos já mostraram que são especialistas em retirar o mérito dos outros e atuar as escondidas. Fizeram isso várias vezes ( Itamar Franco que o diga, se fosse vivo). Fernando Henrique é doutor neste tipo de manobra.

Os noticiários da Globo apressaram-se em provar que os governadores desses estados estão certos.

Demostraram, através de gráficos, que as ações das operadoras tiveram perdas gritantes. Bilhões, disseram.  O lucro diminuiu.  Desse modo as empresas sairão do Brasil. E mais, as represas estão secando. Se São Pedro não fizer chover logo o fim do mundo estará próximo. E terminaram a reportagem olhando para câmera, balançando a cabeça negativamente,  com aquele olhar de “a gente avisa, mas vocês continuam votando no PT, o que mais posso fazer?”.

Eles escondem que essa diminuição na cobrança foi fruto de negociação.  Nada foi imposto. E, se os empresários do setor concordaram é porque eles não terão prejuízo. Ou alguém acredita que estes senhores aceitaram porque são altruístas?

Aliás, pode haver uma armadilha preparada contra o governo.

O PSDB anda de mãos dadas com os grandes financistas e investidores estrangeiros. E eles são gananciosos. Não tem comprometimento nenhum com o desenvolvimento do país.

Estamos num ano crítico para as pretensões políticas.  2014 teremos eleições presidenciais.

O que será que a oposição, a grande imprensa e esses homens do setor de energia elétrica  podem tramar, na calada da noite, para boicotar o governo federal?

Coincidência ou não, depois do anúncio da diminuição da conta de luz em 20% houve 6 apagões no país.

Segundo a Folha de São Paulo: “Os consumidores brasileiros tiveram de conviver em 2012 com um recorde incômodo: o de cortes de luz. Ao longo do ano passado, entre “apagões” e “apaguinhos”, houve queda de pelo menos 64 mil MW (megawatts) de energia em todo o país.
A quantia equivale a deixar o Brasil inteiro sem luz durante quase um dia”.

São considerados apagões queda de fornecimento de energia acima de 1000 MW. Menos que isso apaguinhos.

A presidenta Dilma Rousseff recentemente visitou o Piauí. Pouco antes de sua chegada houve interrupção no fornecimento de energia em 33 municípios do estado. Foi um “apaguinho” ou um “recadinho”?

As explicações para o corte são muito simplórias: vão de perturbações no sistema a curtos-circuitos. Entendi. Só que este tipo de esclarecimento não serve pra quase nada. Seria o mesmo que dizer: a pessoa morreu devido a um tiro, caso encerrado. Só isso basta?

Queremos saber se foi pontual? Se foi falha de equipamento ou humano? Se foi falta de manutenção? De investimento? Quem foi o responsável? Se foi ato de sabotagem? E tudo mais relacionado ao ocorrido.

O governo, através de suas agencias reguladoras, tem que fiscalizar com mais veemência. Não deixar passar nada. Não ser ingênuo a ponto de acreditar no que eles dizem de bate-pronto. Lembrem-se há muitos interesses envolvidos. Inclusive de outros países.

A Argentina teve sua imagem arranhada devido a um episódio recente. O jogo entre Brasil e Argentina não foi realizado por falta de luz. Foi uma vergonha. Afinal, o jogo seria transmitido para todos os continentes. Eles estão investigando.

O Brasil sediará a copa do mundo de futebol. Já imaginou o estrago que um apagão poderá fazer com a reputação do país?

As eleições serão realizadas depois do torneio. Preparem seus corações.

Anúncios

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s