Democracia sempre, golpe nunca. Uma reflexão.

DitaduraUma reflexão sobre a democracia.

Os manifestantes não se deram conta, mas eles formaram um partido. O partido dos que abominam os partidos e, consequentemente, todos os políticos. Por quê? Partido virou sinônimo de quadrilha bandida.

O partido, antipartido, terá como bandeira aumentar as verbas destinadas para: educação, saúde, transporte e o que mais lhes der na telha.

Esta futura associação assim que chegar ao poder extinguirá os partidos políticos, “povo unido, não precisa de partido”, e fechará  o congresso e prenderá todos os congressistas não pertencente ao seu partido antipartido, afinal pertencer a algum outro partido, que não seja o do partido antipartido, é prova incontestável de que o congressista é bandido, pois os partidos só abrigam quadrilheiros. E lugar de bandido é na cadeia.

O partido, antipartido, só prestará contas dos seus gastos ao povo, e só ele poderá fiscalizar, pois os órgãos atuais são dominados por marginais.  Como o povo irá fiscalizar são outros quinhentos. Aliás, fiscalizar pra quê? Os membros do partido antipartido são naturalmente honestos. Pois eles não pertencem  a nenhum partido. E se alguém ousar reclamar será considerado malfeitor, porque fica claro  pertencer a algum partido. Militantes de outro partido são obviamente desonestos.

E logicamente não haverá manifestações, pois quem é do partido antipartido não faz protesto contra os próprios. Afinal um dos lemas era: “desculpe o transtorno, estamos lutando para mudar o país”, ou seja, a sociedade pode confiar, estamos momentaneamente atrapalhando sua rotina para o progresso da nação, voltem a dormir. E os que fizerem  passeatas são naturalmente de outros partidos e, como sabemos, ser de outro partido é atestado de marginalidade. Então , prisão para os manifestantes.

Não haverá eleição. Por quê? Porque se houvesse eleição teria que haver outro partido e como sabemos … Além do quê, o partido antipartido engloba a totalidade dos cidadãos honestos.

E assim caímos numa situação de ditadura.

 A democracia não é possível com partido único. Mesmo que seja o partido antipartido. Principalmente numa sociedade tão complexa como a brasileira. Segmentada. E com interesses tão conflitantes.

O Movimento do Passe Livre deseja tarifa zero para todos e não só para estudantes. E se o governo falar não para essa proposta, o MPL convocará novas manifestações, até conseguir? O governo ficará refém de um único movimento? Claro que não. Segundo a Folha de S. Paulo só 25 % apoiam a tarifa zero. Os outros 75% têm lá suas razões para discordar. O dinheiro para custear tem que sair de algum lugar. Irá onerar outros setores, evidentemente. E estes reclamarão. Como é que fica? Eles consultaram a população para exigir em nome de toda sociedade? Ou não podemos pensar diferentemente do MPL? Eles sabem o que é bom para a população. Muita pretensão e nada democrático. Que tal um plebiscito, após debates e esclarecimento?

Nas manifestações pediram a cabeça de Marco Feliciano, homofóbico de carteirinha e presidente da Comissão dos Direitos Humanos. O que os manifestante desejam? Que ele seja cassado da presidência e do congresso? E se não for, as manifestações irão continuar indefinidamente até que ele caia? E por que cassá-lo? Ele quebrou o decoro? Foi condenado? Não tem representatividade? Vá num congresso de evangélicos e veja se ele não tem apoio incondicional e eleitores em número suficiente para torná-lo eterno na câmara. Ele é representante de parcela da população, assim como o Bolsonaro. A democracia tem isso. Se quisermos despejá-los do poder é no voto. Como conseguir? Através da educação e de esclarecimentos.

O mesmo acontece com Geraldo Alkmin e a Dilma. Gritaram Fora para os dois. Outra vez por quê?  São corruptos? Se perguntarem para os manifestantes dirão que sim. Cadê as provas cabais? Foram julgados e condenados? Perderam o poder de governar? Não! Nenhum dos dois, então não tem jeito. Ou as passeatas vão continuar até serem alijados do poder? Aí é golpismo.

A dinâmica democrática tem disso. São 200 milhões de interesses. Um presidente, governador ou prefeito não governa para uma fatia da população.

Se não querem a continuação dos atuais políticos ou executivos tirem-nos pelo voto. Golpe nunca. É o pior dos cenários de governança. Não caiam no papo desses neofascistas e da mídia hegemônica.

A ditadura pegou o país no caos, segundo a imprensa e os golpistas da época , e entregaram como? Eu digo: DES-TRO-ÇADO. Usurparam o poder, fizeram e aconteceram, mataram, torturaram, sem dar satisfação a ninguém, e por cima se auto-anistiaram. Toda ditadura é atroz. Para todos.

É difícil aguentar certas figuras ou posições, concordo. Mas o sistema se ajusta, se aprimora. As instituições vão se aperfeiçoando.

Anúncios

Uma resposta em “Democracia sempre, golpe nunca. Uma reflexão.

  1. Nao falam com Dilma nem Alckimin ou Haddad. Nao tem partodo nem bandeira. Nao tem pauta definida. Nao reconhecem o estado de direito. Manifestar como fim e nao como meio. Prefiro ficar aqui. Dando milho aos pombos.

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s