A fila de escândalos envolvendo os tucanos cresce, mas não anda.

isto-e-propinoduto-tucanoSe a denuncia vem de escalões inferiores é mais fácil desmentir ou enrolar. As desculpas são sempre as mesmas: é calúnia da oposição, vou processar, está sendo averiguado, se preciso for corto da própria carne e etc.

No entanto quando o alcagueta é da própria turma a coisa fica séria. Seríssima.

Tivemos, ao longo desses trinta anos, alguns casos emblemáticos. A ex-esposa do ex-prefeito Celso Pitta de São Paulo fez um estrago danado na carreira política do ex-marido.

O irmão, Pedro Collor, do ex-presidente Fernando Collor denunciou o esquema de corrupção. Consequência: renuncia de Collor. E posterior impeachment.

Agora chegou o momento de a multinacional Siemens delatar o esquema de corrupção montado em São Paulo há vinte anos pelos tucanos: Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin. Em troca de imunidade para a empresa e seus executivos a direção mundial resolveu abrir-o-bico.

O esquema não traz novidade pra quem vive do sistema: O estado, no caso São Paulo, abre concorrência pública para grandes obras, no caso em questão: construção do Metrô e de manutenção dos trens metropolitanos.

As empresas interessadas se fecham num clubinho, manipulam a licitação e combinam: hoje eu ganho, amanhã você ganha. Quem sair vitoriosa, ainda por cima, se compromete a contratar a derrotada. Os preços da obra são combinados entre as “concorrentes”. Sempre superfaturadas.  E uma parte do dinheiro é repassada aos governantes e seus partidos, através de empresa subcontratada, MGE transportes.

“De acordo com uma planilha de pagamentos da Siemens obtida por ISTOÉ, a empresa alemã pagou à MGE R$ 2,8 milhões até junho de 2006. Desse total, pelo menos R$ 2,1 milhões foram sacados na boca do caixa por representantes da MGE para serem distribuídos a políticos e diretores da CPTM, segundo a denúncia. Para não deixar rastro da transação, os saques na boca do caixa eram sempre inferiores a R$ 10 mil. Com isso, o Banco Central não era notificado. A retirada era feita aos poucos, na boca do caixa e nunca excedia a R$ 10 mil de cada vez, para não chamar atenção do BC”, segundo reportagem da IstoÉ.

E mais: “A ISTOÉ diz também que esta rede criminosa tem conexões em paraísos fiscais e teria drenado, pelo menos, US$ 50 milhões do erário paulista para abastecer o propinoduto tucano, segundo as investigações concluídas na Europa”.

As investigações foram feitas pelo MP de São Paulo e pela Siemens da Alemanha.

Bem, em verdade o que deixa abismado o cidadão comum não é o esquema em si, mas o tempo que ele está instalado.

Começou com Mário Covas governador. Vinte anos. E se um ex-funcionário não “dedasse”, para alemães e brasileiros, estaríamos sem saber até hoje.

É o caso de se perguntar: por que o Ministério Público paulistano não revelou antes o mau comportamento de nossas autoridades e políticos.

Em São Paulo o governo mantém relação promíscua com ministério público. O secretário de segurança público é um procurador do MP.

Será que a PEC 37 era tão absurda assim? Um casuísmo petista? Um atentado à democracia? E se a polícia federal tivesse investigado o fato não seria mais rápida na conclusão? Os desvios não teriam sido menores?

Bem, são águas passadas. A Globo não deixou nem discutir sobre a PEC. Colocou seu bloco na rua e pronto.

Outra coisa. Onde está a mídia, tão zelosa do dinheiro público quando se trata do governo federal, nesta hora? Nem uma nota no Jornal Nacional. E as outras mídias? A noticiam como se fosse um crime cometido num boteco da periferia.  Não dão nomes nem ênfase.

Não querem, de certo, macular a imagem dos tucanos, em especial a de Geraldo Alckmin.

igpropinodutoContam com o rápido esquecimento do fato. Dilma se prepare, os meios de comunicação precisam criar outro escândalo que se sobreponha a esse.

Será que há esperança que, finalmente, um caso envolvendo os tucanos vá adiante? Vá a julgamento?

A fila é grande. Esperemos. Porém será difícil. Se o livro denuncia de Amaury Ribeiro, “A Privataria Tucana”, ainda não foi levado a sério por quem compete, apesar de conter provas  documentadas das falcatruas, imagine agora.

É uma boa hora de a rapaziada sair à rua pedindo o fim da corrupção, da impunidade. Não acham? Ou a Globo não vai permitir?

Anúncios

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s