A procura de pelo em ovo: sobre o crescimento do PIB.

guido mantegaComo foi anunciado, o Produto Interno Bruto brasileiro teve um desempenho acima do esperado. Para felicidade do governo e tristeza dos que apostaram contra.

Desculpe. Tristeza não, pois este é um sentimento que traduz sensibilidade e compreensão para com o outro.  O termo correto é ódio. Ódio a tudo que dá certo e beneficia grande parte da população historicamente esquecida pelos governos.

Afinal, os do contra, apesar de trabalharem exaustivamente pela instalação do caos no país, são constantemente derrotados pelos dados econômicos.

A imprensa hegemônica, a elite e seus asseclas estão perdendo o senso do ridículo.

Não bastasse dar voz a prefeitos investigados pelos mais diversos crimes no caso do “Mais Médico”.  Leia aqui sobre o caso. Eles dessa vez se superaram no seu plano de espalhar o pânico pelo país.

O artigo reproduzido parcialmente abaixo foi publicado na sitio da Folha de S. Paulo. Seu autor é Reinaldo Gonçalves, professor titular de economia da UFRJ e autor do livro “Desenvolvimento às Avessas”.

Bem analisado temos em mãos em belo exemplo do porque a  Lei de Regulamentação da Mídia precisa sair do papel e se tornar uma realidade. Não pelo que foi escrito. Mas pelo que não foi. Ou seja, um outro especialista criticando o artigo. Com certeza alguém escreverá. Mas poucos lerão, por falta de informação.

Percebam, para não perder a oportunidade de falar mal do governo e municiar seus militantes com meias verdades, este professor recuou aos tempos da proclamação da república. À política do café-com-leite. À convenção de Taubaté. Ao estado novo. Aos tempos da ditadura.

Citou o PIB isolado de uma realidade insistente: o povo na miséria absoluta. Sem oportunidades ou educação. Sem conceito histórico e sem conhecimento social e cultural da formação de uma nação destilou seu pecado.

São essas pessoas, com o perfil deste professor, que tem voz, porque reproduzem a maldade de seus patrões.

Só encontro uma frase para traduzir meu espanto: absurdo dos absurdos. Se não fosse trágico seria cômico.

“Fatos, nada além de fatos. A taxa média anual de crescimento do PIB é 4,5% na era republicana. Nesse período somente dois presidentes são responsáveis por taxas de crescimento do PIB menores do que 2,0%, como média anual do mandato.

Os governos que atingiram a apoteose da mediocridade são: Fernando Collor (-1,3%) e ão Floriano Peixoto (-7,5%). Neste último o desempenho econômico pode ser explicado, em grande medida, pela ruptura institucional e pela crise política. Já a crise política no governo Collor é explicada, principalmente, pelo desempenho econômico medíocre.

No período 2011-14, as taxas de crescimento do PIB são: 2011 = 2,7% e 2012 = 0,9%. Previsões apontam para crescimento da ordem de 2,0% em 2013 e 2014.

Portanto, a taxa média anual deve oscilar em torno de 2,0%.

O fato é: o governo Dilma pode ter o terceiro pior desempenho da história republicana, com 30 presidentes…”.

Fala mal daqui/Fala mal dali/Vive a resmungar/E a se lamentar/Só se realiza quando abre a boca para reclamar…

Anúncios

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s