O preconceito e a maldade no suposto erro do médico cubano.

Programa-Mais-Medicos

O médico cubano teria errado e receitado uma super dosagem de dipirona para uma criança em Feira de Santana, Bahia. O profissional foi afastado. Depois de esclarecido o fato o  cubano foi reintegrado.

Os meios de comunicações deram o fato com o alarde. Sem averiguar a notícia saíram falando mal de todo um programa. Dando a entender que todo profissional cubano não presta.

E agora será que irão dar o mesmo destaque no “engano”, se desculpando com seus leitores e ouvintes? Não farão isso, amanhã é outro dia. A ética e a imparcialidade? fica pros ingênuo do faz-de-conta.

A comparação com o julgamento do mensalão pelo STF e esse caso rocambolesco é inevitável.

Pois, assim como os juízes do STF fizeram para condenar réus do mensalão, a média Marca Porto usou do mesmo subterfúgio para desmoralizar um médico cubano,

Assim como os juízes do STF usaram de má fé para julgar os réus do processo 470, a médica Marcia Porto usou da mesma má fé para copiar a receita prescrita pelo médico cubano e postar na internet.

Assim como Joaquim Barbosa e Gilmar Dantas partiram de inverdades para concluir a corrupção, a médica Marcia Porto partiu de uma inverdade para concluir a falta de capacidade do médico cubano.

Assim como ficou evidente o preconceito dos juízes do STF no trato com os réus do caso mensalão, a médica Marcia Porto mostrou todo o preconceito com o colega, apenas e exclusivamente por ser cubano.

Assim como Joaquim Barbosa deturpou a teoria do “domínio do fato” para condenar, a médica Marcia Porto deturpou a prescrição para condenar o médico cubano.

Assim como Joaquim Barbosa se deslumbrou com os holofotes da mídia e quis mostrar serviços para os reacionários e fez um julgamento de exceção, a médica Marcia Porto se deslumbrou com seus pares e fez um pré-julgamento exclusão.

Assim como Joaquim Barbosa se pôs a serviço da mídia e tentou condenar todo um partido, a médica Marcia Porto tentou condenar todo um programa.

Assim como a mídia manipulou juízes do STF e desfigurou informações enganando de maneira vil parte da população, a médica Marcia Porto manipulou o receituário e tentou enganar toda uma população com a ajuda da mídia.

Nos dias atuais temos a felicidade de contarmos com a internet e seus blogueiros, assim fica um pouco mais difícil a mídia hegemônica sair incólume dos inúmeros factoides noticiados diariamente. Sem essa poderosa ferramenta a falsa notícia da incompetência dos médicos cubanos iria passar por verdadeira. E a campanha contra o “Mais Médicos” estaria nas ruas e nas manchetes de todos os meio de comunicações.

O texto abaixo, sobre o caso do médico cubano e seu “erro”, foi extraído do VIOMUNDO. Ilustra bem a maldade de certa classe de pessoas.

Médica tenta desmoralizar colega cubano na Bahia

Prescrição correta foi parar na Internet como erro

do Jornal do Brasil, sugestão do Aroeira nos comentários e do Mendel, via e-mail 

Os médicos cubanos continuam sendo alvo de discriminação por parte de seus colegas brasileiros.

Na semana passada, em Feira de Santana, interior da Bahia, um médico cubano, do Programa Mais Médicos, receitou 40 gotas diárias de dipirona para o filho de um ano da diarista Gilmara Santos.

O médico explicou a ela que a dosagem não era para ser ministrada de uma só vez e sim ao longo do dia e desde que a criança sentisse dor.

Diferente dos médicos brasileiros que fracionam a medicação, os cubanos adotam a prescrição da quantidade total por dia. Essa metodologia, no entanto, não confundiu Gilmara que ministrou corretamente o remédio ao filho.

Apesar do bom atendimento que seu filho teve, a diarista ao retornar ao posto para uma nova consulta foi atendida por uma médica.

Gilmara explicou que estava com a receita do médico cubano e mostrou para a médica que estava lhe atendendo naquele momento.

Sem permissão da diarista e aproveitando o fato da medicação ter sido prescrita de forma diferente da que os médicos brasileiros usam normalmente, a médica copiou a receita e postou na Internet como se fosse um erro de seu colega cubano.

“Acho que foi falta de ética dela”, criticou a diarista explicando que seu filho teve um excelente atendimento pelo médico cubano e ressaltou que em muitas consultas com médicos brasileiros eles sequer olham para o paciente. Gilmara afirmou que a prescrição foi explicada a ela com todos os detalhes e em nenhum momento ela deu ao filho as 40 gotas de uma só vez.

A atitude da médica ao postar a receita na Internet, criticada pela própria diarista, provocou o afastamento do médico cubano. Ela teve ainda ajuda de um vereador de Feira de Santana que, num ímpeto nacionalista, denunciou, sem razão, o médico cubano.

Após os esclarecimentos sobre a forma de prescrição, o médico voltará ao trabalho na próxima segunda-feira (25/11). O caso, no entanto, representa um novo constrangimento aos profissionais cubanos.

PS do Viomundo: FrancoAtirador informa o nome da médica: Márcia Porto. Segundo ele, a manchete original com que O Globo digital deu a notícia dizia “Médico cubano que receitou dose excessiva (sic) volta a atender na segunda feira”.

Anúncios

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s