A saída da médica cubana do Programa Mais Médicos.

Ramona MatosA médica cubana Ramona Matos Rodriguez deixou o programa “Mais Médico”. E na mão os moradores da cidade de Pacajá (PA). Problema deles, pensa Matos.

Segundo o ministro da saúde são 9549 profissionais trabalhando no programa, sendo 7400 vindos de Cuba. 22 cubanos, até a semana passada, já haviam se desligado do projeto, por motivos pessoais ou de saúde. Já retornaram á Cuba.

Com oficialização do pedido de desligamento de Ramona subiu para 23 o número de abandono do programa, ou seja, do universo total de estrangeiros 99,80% permanecem clinicando. Quase o índice de acerto de teste de DNA que é de 99,99%, não é mesmo?

Essa porcentagem altíssima faz do programa “Mais Médicos” um grande sucesso. Aprovado por 85% da população.

Evidentemente que esse índice de aprovação incomoda muita gente, entre eles os cueiros da mídia, dos conservadores e da oposição (direita/ esquerda) raivosa.

E, já diz um ditado: “pra quem tá morrendo afogado, jacaré é tronco”, este conjunto citado acima se agarra ao que estiver pela frente.  E usa de todas as armas para alcançar seu objetivo.

Portanto, Ramona e seu discurso de pobre coitada, escrava do regime dos Castros e enganada caíram como uma luva. As eleições estão chegando. O tempo é curto e o trabalho de desconstrução da imagem de Dilma e do PT é imenso.

Então, cada membro desse grupo dá sua colaboração.

A mídia usando o “velho truque” do particular para chegar ao geral, torna um caso pontual em regra.

Ronaldo Caiado, representando a oposição raivosa, dá todo apoio à doutora. Vai solicitar asilo. Visto para sair do país. E tudo mais que estiver ao seu alcance. Afinal Caiado é conhecido com Ronaldo, o abolicionista. Exceto quando se trata de suas fazendas e trabalhadores vivendo sob regime de escravidão.

A AMB, Associação Médica Brasileira, criou um programa de assistência aos médicos estrangeiros que queiram abandonar o “Mais Médico”.

 “O objetivo da entidade (AMB) é atender médicos, tanto de Cuba como de outras nacionalidades, que necessitem de orientação caso haja insatisfação no Programa Mais Médicos pelas condições a que estão submetidos, assim como desejem solicitar refúgio/asilo político”,  diz o comunicado da AMB que informa que  vai oferecer, de forma “sigilosa e gratuita”, uma cartilha “com o passo a passo dos procedimentos a serem seguidos, além de assessoria jurídica para o pedido de refúgio”. 

É óbvio que eles se referem única e especificamente aos cubanos.  Nenhum dos profissionais está no país preso. Se o médico argentino, o americano, o ucraniano, o polonês, o português desejarem pegar as malas e cair fora, farão. Sem nenhum impedimento, ou não?

AMB faz oposição ao programa do governo. E age aliciando os profissionais. De maneira sórdida.  Como o diabo tentando Cristo na montanha.  Mostrando maravilhas do mundo deles.

De comum entre essas forças há a total desconsideração pelo povo brasileiro. O pouco caso pelo sofrimento alheio.

Trocem para que tudo dê errado. E a população se exploda.

Quanto a Ramona Matos Rodriguez ela já veio com essa ideia: usar o Brasil como trampolim para Miami.

Por quê?

Conforme Cristina Roberto, dona de um buffet em Brasília, que hospedou a médica cubana Ramona entre a noite de sábado e terça-feira,  ela confessou ter um marido em Miami, não querer voltar a Cuba e pediu para ficar morando mais um mês na casa dela, o que foi negado.

Cristina conheceu Ramona e outros cubanos em outubro, quando serviu a alimentação do curso de acolhimento em Brasília, e que manteve contato com alguns deles.

Bem, isto é um assunto particular dela.

Porém, usar um programa sério e fazer do país simples escala para conseguir seu objetivos é que foi mal.

Não mostrou escrúpulo e respeito pelo povo da cidade Pacajá. Pelos habitantes da Cuba. Isso não se faz.

Entrou num jogo de interesses que beira a insanidade.

De modo vil usou retórica desgastada.

Pode ser que finalmente se junte ao seu amado, mas a que custo?

Em seu depoimento disse que há quem os vigie por aqui. Um tal de Javier, o equivalente a Zé no Brasi, ligado a OPAS, Organização Panamericana da Saúde, que em ultima instância é o responsável pela vinda dos médicos estrangeiros.

E suprema da suprema maldade,  Ramona irá processar o governo brasileiro em R$ 36 mil. Descobriu que seus pares de outras nacionalidades ganham R$10 mil por mês e ela USD 400, convertidos em reais no dia do pagamento, além de USD600 depositados em Cuba dos quais USD 50 a sua família pode sacar, os outros USD550 ficam retidos até o término do contrato.

Ela, sim, quer enganar a quem? Dizer que o governo ocultou informação? Brasileiro ou Cubano? Se fosse verdade seria o tipo de mentira que não dura mais do que o desembarque no aeroporto.

Ramona Matos Rodriguez que ir embora para Miami,. Então vá.  Apesar de criar um problema diplomático.

Sem consciência ou sensibilidade , mas com muita dose de egoísmo, ela se juntou aos reacionários brasileiros. E para encontrar seu amor não se importa em ajudar a destruir um programa que beneficia milhões de pessoas, desassistidas, por anos, pelos eternos mesmos.

Anúncios

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s