Só um idiota pode acreditar no ‘escândalo’ da UTC.

utcSó um idiota pode acreditar no ‘escândalo’ da UTC

por Paulo Nogueira, no Diário do Centro do Mundo

Somos todos idiotas.

É, pelo menos, o que a grande mídia pensa.

O ridículo estardalhaço em torno das alardeadas revelações do dono da UTC ultrapassa todos os limites do descaro, da hipocrisia e da desonestidade.

Colunistas – os suspeitos de sempre –parecem fingir que acreditam nos disparates que escrevem.

Mais uma, o coro é pelo impeachment de Dilma. Dia sim, dia não, aparecem supostas novidades que levam os colunistas das empresas de mídia a gritar, histéricos, pelo fim de um governo eleito há pouco tempo com 54 milhões de votos.

O caso particular do UTC é icônico.

Todos os holofotes vão, condenatórios, para Dilma e para o PT, pelo dinheiro dado para a campanha petista.

Foram, segundo cálculos de um site ligado à Transparência Brasil, 7,5 milhões de reais.

Não é doação: é achacamento, propina, roubo.

Ninguém diz que a campanha de Aécio levou ainda mais da UTC: 8,7 milhões.

Neste caso, não é propina, não é achaque, não é roubo. É demonstração de afeto e reconhecimento pelos dentes brancos do candidato Aécio.

E eles querem que a sociedade acredite nesse tipo de embuste.

A mídia presta mais um enorme desserviço ao Brasil com essa manipulação grosseira e farisaica.

Você foge do real problema: o financiamento privado de campanhas, a forma como a plutocracia tomou de assalto a democracia.

É um problema mundial, e não apenas brasileiro. Dezenas de países já trataram de evitar que doações de grandes empresas desvirtuem a voz rouca das ruas e das urnas.

No Brasil, a mídia não trata desse assunto, em conluio com políticos atrasados e guiados pelo dinheiro, porque se beneficia da situação.

Nem o mais rematado crédulo compra a história de que as doações empresariais são desinteressadas.

A conta vem depois do resultado, na forma de obras ou leis que beneficiam os doadores.

Veja os projetos de Eduardo Cunha, para ficar num caso clássico, e depois observe as companhias que o têm patrocinado.

Em alguma publicação, li até uma lição de moral na forma como o PT teria abordado o dono da UTC para pedir dinheiro para a campanha de Dilma.

A abordagem não teria sido “elegante”.

Imagina-se que quando o PSDB solicita dinheiro seja coisa de lorde inglês, pelo que pude entender: ninguém fala em dinheiro, ninguém toca em dinheiro. É como uma reunião social, entre amigos, em que o dinheiro é a última coisa que importa.

Como disse Wellington, quem acredita nisso acredita em tudo.

Outro crime jornalístico que é cometido é dar como verdadeiras quaisquer coisas ditas nas delações, como se elas estivessem acima de suspeita.

Quer dizer, esse tratamento só vale contra o PT. Quando se trata dos amigos da mídia, aí sim entram as ressalvas. Há que investigar, provar etc – coisas que absolutamente não valem para o PT.

Que a imprensa, movida pelo interesse de seus donos, aja assim, até que você pode entender.

O que não dá para aceitar é que a justiça faça a mesma coisa, e com ela a Polícia Federal.

Porque aí você subverte, por completo, o conceito de justiça, e retrocede aos tempos de João VI no Brasil.

Sua mulher, a rainha Carlota Joaquina, mandou matar uma rival no amor.

Dom João pediu investigação rigorosa.

Quando chegaram a ele os resultados do trabalho, com Carlota Joaquina comprovadamente culpada da morte, ele refletiu, refletiu – e queimou os documentos que a incriminavam.

Aquela era a justiça, e esta nossa não é muito diferente quando se trata da plutocracia.

Episódios mais vergonhosos da história nacional.

vergonhas-brasilExtraído do http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/06/as-sete-maiores-vergonhas-do-brasil-em-todos-os-tempos.html

Lilia Schwarcz e Heloisa Starling, Trip Magazine

A lista dos episódios mais vergonhosos da história nacional foi elaborada pela antropóloga Lilia Schwarcz e a historiadora Heloisa Starling, autoras do recém-lançado ”Brasil: uma biografia”.

1 — Genocídio da população indígena

Até os dias de hoje há controvérsia sobre a antiguidade dos povos do Novo Mundo. As estimativas mais tradicionais mencionam 12 mil anos, mas pesquisas recentes arriscam projetar de 30 mil a 35 mil anos. Sabe-se pouco dessa história indígena, e dos inúmeros povos que desapareceram em resultado do que agora chamamos eufemisticamente de “encontro” de sociedades. Um verdadeiro morticínio teve início naquele momento: uma população estimada na casa dos milhões em 1500 foi sendo reduzida aos poucos a cerca de 800 mil, que é a quantidade de índios que habitam o Brasil atualmente.

2 — Sistema escravocrata

O Brasil recebeu 40% do total de africanos que compulsoriamente deixaram seu continente para trabalhar nas colônias agrícolas do continente americano, sob regime de escravidão, num total de cerca de 3,8 milhões imigrantes. Fomos o último país a abolir a escravidão mercantil no Ocidente (só o fazendo em 1888, e depois de muita pressão) e o resultado desse uso contínuo, por quatro séculos, e extensivo por todo o território foi a naturalização do sistema. Escravos eram abertamente leiloados, alugados, penhorados, segurados, torturados e assassinados.

3 — Guerra do paraguai

O Império brasileiro errou em cheio. Avaliou-se que a contenda internacional opondo, de um lado, Brasil, Uruguai e Argentina, e, de outro, o Paraguai seria breve e indolor. No entanto, a guerra – na época chamada de “açougue do Paraguai” ou de “tríplice infâmia” – durou cinco longos e doloridos anos: de 1865 a 1870. A consequência para o lado paraguaio não foi apenas a deposição de seu dirigente máximo, mas a destruição do próprio Estado nacional. Os números de mortes sofridos pelo país são até hoje controversos e oscilam entre 800 mil e 1,3 milhão habitantes. Quanto às estatísticas brasileiras, a relação de homens enviados varia de 100 a 140 mil.

4 — Canudos

Em 1897, a República abriu guerra contra Canudos: uma comunidade sertaneja originada de um movimento sóciorreligioso liderado por Antônio Conselheiro. Canudos incomodou o governo da República e os grandes proprietários de terras, pois era uma nova maneira de viver no sertão. Em 1897, o arraial foi invadido por tropas militares, queimado a querosene e demolido com dinamite. A população foi dizimada. Em Os sertões, publicado em 1902, Euclides da Cunha escreve: “Canudos não se rendeu. Caiu no dia 5, ao entardecer, quando caíram os seus últimos defensores, e todos morreram. Eram quatro apenas: um velho, dois homens feitos e uma criança, na frente dos quais rugiam raivosamente 5 mil soldados”.

5 — Polícia política do Governo Vargas

Em 1933, Getúlio Vargas criou a Delegacia Especial de Segurança Política e Social (Desp). Para comandá-la, Vargas entronizou o capitão do Exército, Filinto Müller. Na condição de chefe de polícia, Müller não vacilou em mandar matar, torturar ou deixar apodrecer nos calabouços do Desp os suspeitos e adversários declarados do regime sem necessidade de comprovar prática efetiva de crime. Pró-nazista, sua delegacia manteve um intercâmbio, reconhecido pelo governo brasileiro, com a Gestapo – a polícia secreta de Hitler – que incluía troca de informações, técnicas e métodos de interrogatório.

6 — Centros clandestidos de violação de direitos humanos

A ditadura militar instalou, a partir de 1970, centros clandestinos que serviram para executar os procedimentos de desaparecimento de corpos de opositores mortos sob a guarda do Estado – como a retirada de digitais e de arcadas dentárias, o esquartejamento e a queima de corpos em fogueiras de pneus. No Brasil governado pelos militares, a prática da tortura política e dos desaparecimentos forçados não foi fruto das ações incidentais de personalidades desequilibradas, e nessa constatação reside o escândalo e a dor.

7 — Massacre do Carandiru

Mais conhecida como Carandiru, a Casa de Detenção de São Paulo abrigava mais de 7 mil detentos, em 1992 – a capacidade oficial era de 3.500 pessoas. No dia 2 de outubro, uma briga entre facções rivais de presidiários terminou num massacre: a tropa policial entrou no presídio utilizando armamento pesado e munição letal. 111 presos foram mortos e 110 feridos. O cenário era de horror. Passados 21 anos, somente em 2014, 73 policiais foram condenados – todos podem recorrer em liberdade.

Aécio Neves e seu exército de Brancaleone, na Venezuela.

exercito-de-brancaleoneAécio Neves e seu exército de Brancaleone. Não tem como não compará-lo.

“O Exército de Brancaleone é considerado um clássico italiano, que retrata os costumes da cavalaria medieval através da comédia satírica. Na Itália recebeu prêmio de melhor fotografia, melhor figurino e melhor trilha sonora. É um filme inspirado em Dom Quixote, do espanhol Miguel de Cervantes. No enredo Brancaleone e seus homens enfrentam perigos como a peste negra, os sarracenos, os bizantinos e bárbaros, focalizando temas como as relações sociais do feudalismo …“ .

Tal como no filme, Aécio Neves, que tem atitudes de senhor feudal, maltrapilho  intelectual, lidera um grupo para livrar a  Venezuela do perigo “socialista” que assola o  “feudo”.  

O batalhão de Aécio/Brancaleone é composto pelos seguintes soldados:  Aloysio Nunes , Cassio Cunha Lima, José Agripino (DEM-RN), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Ricardo Ferraço, José Medeiros (PPS-MT) e Sérgio Petecão (PSD-AC).

No filme os seguidores de Brancaleone são um bando  ladrões. Já os dos tucanos são… Bem, puxem a “capivara” dos principais componentes da turma do  Aécio/Brancaleone pelo sítio http://jornalggn.com.br/noticia/os-defensores-do-impeachment-na-operacao-puxando-a-capivara, e verão a lamentável coincidência.

Lá, na película, os personagens enfrentam diversos perigos, já a tropa do Aécio/Brancaleone os oponentes são: o bolivarianismo, o comunismo, o socialismo, a ditadura, os desmandos e toda “perrela” de estupidez que esses ignaros podem vomitar.

O filme é imperdível, já o besteirol aecista/psdbista/golpista/ tragicômico é esquecível, de tão  idiotamente triste que é.

Pergunto: como deixam esse “pleiboi” livre destilando e desfilando excrecências? Como o FHC/Serra/Alckmin/Renan permitem que esse sujeito envergonhe o congresso do país?

Certo é, que a cúpula dos tucanos desejam queimar essa patética figura do Neves, mas, por favor,  não coloquem na mesma fogueira o nome do Brasil. Já é suficiente que o Fernando Henrique Cardoso tenha esse comportamento destrutível.

O senador nunca disse ao que veio. Está sempre por aí a tecer o impeachment da Dilma.

Não se tocou, mas o neto do Tancredo perdeu grande oportunidade de continuar sua cruzada predatória quando o TCU deu prazo de 30 dias para que Dilma se manifeste e explique as contas de 2014. Poderia estar por aqui (aqui digo, praias do Rio de Janeiro) vociferarando seus excrementos pelo senado.

E, diferentemente do fim do filme, a turma de parlamentares saiu da Venezuela com o rabo entre as pernas. Reclamando de tudo e de todos.

A tentativa de criar casuísmo morreu na ignorância de seus mentores e componentes. Chegar e falar que Dilma sabia, só podia ter como nascedouro a mente doentia deste senador.

Faço pequena retificação: talvez a  melhor comparação, individual, do Aécio Neves seja com Barão de Munchausen, de tão lunático que é.  A diferença está na maldade, o Barão não tinha.

E lá está agora a presidenta a arrumar a “cagada” do bando Aécio/Brancaleone.

Aécio e turma não sejam, pelo menos, covardes.

Contra tudo e contra todos, Luiz Inácio Lula da Silva receberá o Nobel da Paz.

Nobel_PrizeContra tudo e contra todos, Luiz Inácio Lula da Silva receberá o Nobel da Paz. Tornando-se o primeiro brasileiro laureado com o prêmio.

Não é um exercício de futurismo, de adivinhação ou um chute de charlatão. É a constatação da obviedade. O “gran-finale” de uma obra que teve início no seu governo: o Bolsa-Família.

Programa de transferência de renda que retirou o Brasil da pobreza absoluta. Deu visibilidade e esperança a quase 40 milhões de brasileiros. Os que passavam fome hoje têm o que comer.

É chover no molhado reafirmar que :

    • O Bolsa Família tem um custo muito baixo aos cofres públicos
    • Aqueceu a economia
    • Promoveu melhorias na saúde da população de baixa renda
    • Trouxe melhorias na educação da população de baixa renda
    • Reduziu oo Trabalho Infantil
    • Aumentou o empoderamento das Mulheres

 

Superou velhos preconceitos.

  • “O Bolsa Família incentiva os pobres a fazer filhos”.
  • “O dinheiro do Bolsa Família é gasto com roupas de ‘marca’”.
  • “Efeito-preguiça: o Bolsa Família acomoda e sustenta vagabundos”.
  • “Bolsa Família estimula corrupção local e clientelismo”.

O BF é considerado internacionalmente como o “principal instrumento de transferência de renda do mundo pela Organização das Nações Unidas (ONU)”.

“O Bolsa Família foi apontado, em 2013, pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) como uma das principais estratégias adotadas pelo país que resultaram na superação da fome, retirando, assim, o país do mapa da fome mundial. Adicionalmente, a Associação Internacional de Segurança Social (AISS) concedeu ao Brasil um prestigioso prêmio internacional devido ao caráter inovador de redução da pobreza trazido pelo Bolsa Família, considerado o mais importante do mundo dentro dos grupos de programas de transferência condicional de renda. A instituição espera, ainda, que o Bolsa Família sirva de exemplo para que mais países implementam programas similares em benefício de seus cidadãos “. Carta Capital. O grifo é meu.

Segundo a FAO, atualmente existe no mundo 805 milhões de pessoas em estado de Fome Crônica.  (A fome crônica é uma carência constante de alimentos suficientes para manter o organismo em perfeito funcionamento. Os indivíduos ou populações sujeitos à fome crônica pertencem a comunidades pobres, são pessoas desnutridas e que desenvolvem diversas doenças em consequência da falta de nutrientes necessários para a constituição de saúde física e intelectual).

Quem tem fome não pode esperar “o bolo crescer”. Por isso os olhos do mundo se voltam para o Brasil. Por isso Lula é constantemente convidado a explicar o funcionamento do Bolsa Família.

Recentemente na Itália voltou a afirmar que “É preciso que a gente continue fazendo política de transferência de renda para os mais pobres. É preciso que a gente socialize essas informações com os países mais pobres da América Latina e da África. É preciso que a gente leve tecnologia pra esses países, que a gente leve financiamento pra esses países, para que a gente possa poder, em 2025, acabar com a fome na África, que foi um compromisso que nós assumimos numa reunião da União Africana.

Eu estou convencido, companheiros italianos, eu estou convencido,  companheiro Martina, companheiro primeiro-ministro Renzi, que o Brasil provou que é possível acabar com a fome no mundo”.

A preocupação do ex-presidente com o problema da fome é uma constante.

Para Kenneth M. Quinn, presidente da World Food Prize Foundation,  Luiz Inácio Lula da Silva é o “maior e mais apaixonado lutador contra a fome no mundo”.

Quinn foi embaixador dos Estados Unidos e trabalhou durante 32 anos no Departamento de Estado americano. A World Food Prize Foundation premia cidadãos que contribuem significativamente para o combate à fome no mundo.

Lula foi premiado ou homenageado por diversas instituições desde que deixou a presidência:

29/05/2014 – São Paulo (SP) Medalha “Knowledge Advancing Social Justice” (Conhecimento para o Avanço da Justiça Social), da Universidade Brandeis (EUA)

21/05/2014 – Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) Honoris causa da Universidade de Aquino

30/04/2014 – Santo André (SP) Título de cidadão de Santo André

23/04/2014 – Salamanca (Espanha) “Tivemos que enfrentar o preconceito das elites, que nunca confiaram na capacidade do povo”, diz Lula, Doutor Honoris Causa de Salamanca

4/12/2013 – São Bernardo do Campo (SP) Doutor honoris causa da Universidade Federal do ABC

17/10/2013 – Cidade do México Prêmio Interamérica 2013

15/10/2013 – Buenos Aires (Argentina) Doutor Honoris Causa da Universidade de Buenos Aires

6/6/2013 – Quito (Equador) Doutor honoris causa pela Universidad Andina Simón Bolívar Doutor honoris causa pela Escuela Politécnica del Litoral Orden Nacional de San Lorenzo

5/6/2013 – Lima (Peru) Doutor honoris causa pela Universidad San Marcos Medalha Cidade de Lima

17/5/2013 – Buenos Aires (Argentina) Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de Cuyo, Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de San Juan, Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de Córdoba, Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de La Plata, Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de Tres de Febrero, Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de Lanús Doutor honoris causa pela Universidad Nacional de San Martín, Doutor honoris causa pela Facultad Latino-americana de Ciencias Sociales (Flacso), Menção Honrosa Domingo Faustino Sarmiento, Prêmio Josué de Castro

22/4/2013 – Nova York (EUA) Prêmio “Em Busca da Paz”, do International Crisis Group

17/3/2013 – Cotonou (Benin) Ordem Nacional do Benin

12/3/2013 – Brasília (DF) Prêmio Darcy Ribeiro (Educação)

1/3/2013 – Redenção (CE) Doutor honoris causa da Unilab e título de cidadão de Redenção e de Aracape

27/3/2013 – Rio de Janeiro (RJ) Prêmio Bacurau (Morhan)

27/11/2012 – Rio de Janeiro (RJ) Primeiro prêmio Pirelli

22/11/2012 – Nova Déli (Índia)** Prêmio Indira Gandhi pela Paz, Desarmamento e Desenvolvimento 2010

24/8/2012 – São Paulo (SP) Ordem do Mérito Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 2º Região

22/8/2012 – Toronto (Canadá)* Prêmio Nelson Mandela de Direitos Humanos

20/7/2012 – Maputo (Moçambique)* Prêmio José Aparecido de Oliveira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

21/5/2012 – São Paulo (SP) Lula recebe título de Cidadão Paulistano e Medalha Anchieta

15/5/2012 – Middelburg (Holanda)* Lula agradece pelo Prêmio das Quatro Liberdades, recebido na Holanda

4/5/2012 – Rio de Janeiro (RJ) Lula recebe título de doutor honoris causa das cinco universidades públicas do Rio

2/4/2012 – Barcelona (Espanha)* Ex-presidente Lula recebe Prêmio Internacional da Catalunha 2012 pelo combate à pobreza e à desigualdade

13/12/2011 – São Paulo (SP)* “Personalidade de destaque” no Prêmio CUT Democracia e Liberdade Sempre

9/11/2012 – Washington (EUA)* Africare

26/10/2011 – Cidade do México (México) Prêmio Amalia Solórzano

13/10/2011 – Des Moines (EUA) World Food Prize

29/09/2011 – Gdasnk (Polônia) Prêmio Lech Walesa

27-09-2011 – Paris (França) Doutor Honoris Causa pelo Instituto de Estudos Políticos de Paris – Sciences Po

20/09/2011 – Salvador (BA) Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal da Bahia

08/09/2011 – Lisboa (Portugal) Medalha Leonardo da Vinci

05/08/2011 – Bogotá (Colômbia) Cidadão de Bogotá

22/07/2011 – Recife (PE) Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Pernambuco

22/07/2011 – Recife (PE) Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal Rural de Pernambuco

22/07/2011 – Recife (PE) Doutor Honoris Causa pela Universidade Estadual de Pernambuco

19/07/2011 – São Paulo (SP) Fiesp – Exposição “Milhões de Lulas”

21/06/2011 – Washington (EUA) World Food Prize

06/06/2011 – São Paulo (SP) Prêmio Top Etanol – Personalidade de destaque

15/04/2011 – Cádiz (Espanha) Prêmio Libertad Cortes de Cádiz

30/03/2011 – Coimbra (Portugal) Doutor Honoris Causa pela Universidade de Coimbra

29/03/2011 – Lisboa (Portugal) Prêmio Norte-Sul de Direitos Humanos

28/01/2011 – Viçosa (MG) Doutor Honoris Causa pela Universidade Federal de Viçosa

(Extraída do http://www.institutolula.org/premios-e-homenagens-recebidos-por-lula-apos-a-presidencia).

É o reconhecimento internacional ao homem que tem como meta extinguir a fome e as injustiças sociais em todo o mundo.

Os conservadores e fascistas dirão que ele só recebeu estas honrarias por que os estrangeiros não sabem o que  acontece dentro do país.

A estes eu direi: é justamente o contrário. O brasileiro é que não sabe o que acontece no país. Mal informado que é pela imprensa golpista. Não existe culpa, e sim maldade.

A lista, por exemplo, deve ter causado surpresa em muitas pessoas. Não é pra menos, a mídia, capitaneada pela Globo, mantém o cidadão no obscurantismo. Mentindo, manipulando, escondendo a verdade.

Então, sem tirar méritos de ninguém, o Lula ganhará o NOBEL.

Primeiro, pelas razões expostas acima.

Segundo, a paz mundial, tão almejada por todos, passa necessariamente pelo fim da pobreza e das injustiças sociais.

O Nobel dará mais força para que Lula leve adiante esta batalha.

Doação ao Instituto Lula é escândalo, já ao FHC é festa de gala.

Artigo publicado originalmente no Jornal do Brasil.

 

“Os jornais amanheceram escandalizados com as doações da construtora Camargo Corrêa ao Instituto Lula, mas nenhum deles lembrou que a empreiteira foi uma das principais financiadoras do Instituto FHC, ainda em seu nascedouro. A diferença é que FHC “passou o chapéu“, segundo reportagem da revista Época, num jantar em pleno Palácio do Alvorada, quando ainda estava no exercício do seu mandato. Seu tesoureiro informal era o amigo e empresário Jovelino Mineiro, apontado como dono da fazenda que foi de FHC e do polêmico apartamento em Paris, na Avenue Foch, onde ele se hospedaria. O jantar de arrecadação de recursos para o instituto, pago com recursos públicos, foi retratado por Época como uma “noite de gala”. Com FHC, nada de escândalo, apenas uma retribuição empresarial rotineira, publica nesta quinta-feira o site Brazil 247.

Segundo o site, a construtora Camargo Corrêa foi uma das 12 empresas brasileiras e estrangeiras que doaram R$ 7 milhões ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para a criação do instituto que leva seu nome. Esse dinheiro foi arrecadado pessoalmente por FHC num jantar no Palácio da Alvorada – pago com dinheiro público – em novembro de 2002, quando ele ainda exercia o cargo de presidente da República.

Além de receber dinheiro de bancos, empreiteiras e de outras empresas, o Instituto FHC recebeu, em 2006, R$ 500 mil da Sabesp, uma empresa pública controlada pelo governo do PSDB de São Paulo. 

A fundação do tucano também utiliza a Lei Rouanet para captar doações a seus projetos, com abatimento no imposto de renda, e conseguiu aprovar um limite de R$ 10 milhões em 2006. Ou seja: o Tesouro brasileiro também banca o Instituto FHC.

Atualmente, o principal “parceiro” do instituto tucano é a Fundação Brava – criada pelo empresário Beto Sicupira, com sede em Delaware, um paraíso fiscal nos EUA. Outro patrocinador frequente das palestras de FHC é o Banco Itaú. A Telefónica de Espanha, que abocanhou o filé da privatização do sistema Telebrás, patrocina o Museu das Telecomunicações do Instituto.

O jantar em que FHC passou o chapéu entre empresários amigos foi descrito em detalhes pela revista Época. Além de Luiz Nascimento, da Camargo Corrêa, participaram Jorge Gerdau (Grupo Gerdau), David Feffer (Suzano), Emílio Odebrecht (Odebrecht) e Pedro Piva (Klabin), entre outros empresário 

Noite de gala

Sem se escandalizar com o jantar de arrecadação ocorrido em pleno Palácio da Alvorada, Época retratou o evento como uma “noite de gala”. 

Leia, abaixo, um trecho da reportagem de Gerson Camarotti:

Foi uma noite de gala. Na segunda-feira, o presidente Fernando Henrique Cardoso reuniu 12 dos maiores empresários do país para um jantar no Palácio da Alvorada, regado a vinho francês Château Pavie, de Saint Émilion (US$ 150 a garrafa, nos restaurantes de Brasília). Durante as quase três horas em que saborearam o cardápio preparado pela chef Roberta Sudbrack – ravióli de aspargos, seguido de foie gras, perdiz acompanhada de penne e alcachofra e rabanada de frutas vermelhas -, FHC aproveitou para passar o chapéu. 

Após uma rápida discussão sobre valores, os 12 comensais do presidente se comprometeram a fazer uma doação conjunta de R$ 7 milhões à ONG que Fernando Henrique Cardoso passará a presidir assim que deixar o Planalto em janeiro e levará seu nome: Instituto Fernando Henrique Cardoso (IFHC).

O dinheiro fará parte de um fundo que financiará palestras, cursos, viagens ao Exterior do futuro ex-presidente e servirá também para trazer ao Brasil convidados estrangeiros ilustres. O instituto seguirá o modelo da ONG criada pelo ex-presidente americano Bill Clinton. Os empresários foram selecionados pelo velho e leal amigo, Jovelino Mineiro, sócio dos filhos do presidente na fazenda de Buritis, em Minas Gerais, e boa parte deles termina a era FHC melhor do que começou. “

Os EUA deu uma dentro no caso FIFA. O Brasil precisa aproveitar a onda.

fifa-e-cbfOs americanos prenderem os dirigentes da FIFA por corrupção, foi ótimo. Colocar as mãos nos brasileiro José Maria Marin e J Hawilla então nem se fala. Fez um bem danado a alma. Ver o atual presidente da CBF, Marco Polo del Nero, arrumar as malas e sair correndo da Suíça como um reles bandido foi impagável.

Agora, se incluírem nesse mesmo balaio João Havelange, Ricardo Teixeira e a Globo parecerá um sonho. Um sonho sonhado por anos. Daqueles que dá tristeza de acordar. Pegaram os eternos inimputáveis.

O FBI escancarou a FIFA aos olhos do mundo. Desnudou, por tabela, a relação promíscua entre a associação de delegados da polícia federal e a CBF. Foram anos de acobertamento dessa corja. São tantos os anos que nem mesmo o mais estudioso jornalista investigativo se atreve a precisar. Será que começou com o empréstimo da Granja Comary ou com o patrocínio do congresso de delegados, ou foi antes? Nunca saberemos. Mas sabemos dos prejuízos causados à sociedade quando uma instituição, seja ela do executivo, do legislativo ou judiciário, se envolve com a bandidagem. Foram várias denúncias contra a Confederação Brasileira de Futebol. Todas elas mal esclarecidas e devidamente arquivadas. Também, boa coisa não pode dar quando o investigado patrocina o investigador.

Parece que depois do estouro desse escândalo as autoridades brasileiras resolveram se movimentar.

O José Cardoso, ministro da justiça, acordou. Prometeu providências contra os dirigentes.  É o que a sociedade espera: providências. Inclusive que se abram inquéritos administrativos contra os delegados federais responsáveis pelos casos.  Que se apure também o comportamento dos procuradores do Ministério Público Federal frente às inúmeras denuncias. Será que eles só foram incompetentes ou há algo a mais? O cidadão necessita saber.

O senado finalmente aprovou a CPI do futebol. O senador Romário, ex-jogador, deseja ser o relator. Há muito ele chama de ladrão essa figuras da FIFA e da CBF. Pagou caro por sua coragem. Agora chegou a hora de cutucar a onça com vara curta. De não ter medo. A onça é a Globo. Se não investigar suscintamente o grupo, a CPI será um fracasso. Não tem como a platinada não estar nesse rolo. São décadas de exclusividade nas transmissões dos jogos. Fora isso, tem aquela perguntinha básica: como, mesmo oferecendo menos que a concorrente a Globo conquistou o direito de televisionar as partidas de futebol?

O baixinho tem ambições políticas. Quer ser prefeito do Rio de Janeiro.  Ele tem ciência de que mexer com a Globo, é mexer num vespeiro. Ela fará de tudo para seduzi-lo. Caso não tenha êxito, Romário terá um inimigo a trabalhar contra sua candidatura. Inimigo poderoso.

Espero que o espirito do Leonel Brizola lhe dê coragem nesta empreitada. E lhe sirva de norteamento. E que se lembre: Brizola venceu as eleições, apesar da Globo.

E os clubes como fica? Será possível que nada soubessem? Duvido. E os presidentes das federações sabiam dessas maracutaias?  O del Nero foi presidente da Federação Paulista de Futebol. Escolhido a dedo (do Marin) para dirigir a CBF. É um fóssil vivo a corroborar com essa desconfiança.

Os norte-americanos não dão ponto-sem-nó.  Se fizeram o que fizeram é porque têm interesses outros. Mas dessa vez, o pais metido a patrulheiro do mundo, deu uma dentro.

Vamos torcer para que o Brasil aproveite e marque um golaço.

Recado aos empresários que doam ao PT: se continuarem com essa prática, vocês correm um sério risco de serem presos.

Os poderosos, de todas as áreas, estão dando um recado bem claro aos empresários que insistem em fazer doações ao Partido dos Trabalhadores: se vocês continuarem com essa prática de financiamento ao PT, além de terem suas vidas totalmente vasculhadas, correm um sério risco de serem processados e presos.

E ameaçam, através da imprensa: lembrem-se do mensalão, foram condenados: Marcos Valério, empresário e publicitário. Vinícius Samarane, vice-presidente do Banco Rural. José Roberto Salgado, ex-diretor do Banco Rural. Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural. Entre outros “civis”.

Se o mensalão não é suficiente vejam os detidos nas primeiras fases do caso Lava-jato/Petrobrás os seguintes empresários: Carlos Eduardo Strauch Alberto, diretor técnico da Engevix.  Othon Zanoide de Moraes Filho, diretor da Vital Engenharia, do grupo Queiroz Galvão. Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC. José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS. Dalton dos Santos Avancini,  diretor-presidente da Camargo Corrêa.  Erton Medeiros Fonseca,  diretor-presidente de engenharia da Galvão Engenharia. Só gente grande.

Alguns estão soltos, outros permanecem encarcerados. De qualquer forma já é um enorme constrangimento, mesmo que não haja condenação, não é mesmo?

E por outro lado, o que aconteceu com pessoas e empresas nos esquemas de corrupção envolvendo o PSDB ou o DEM? …(tempo pra pensar)… Nada! Absolutamente nada!

Querem ver? O “mensalão mineiro”, pai de todos mensalões, deu em alguma coisa? Não! Alguém foi julgado? Não!  Foi direto ao STF? Não! A imprensa ficou em cima? Não! E o que vai acontecer com este processo? Irá caducar. Portanto, ninguém será  condenado. Impunidade geral.

E o caso “Trensalão”, esquema de corrupção envolvendo a Alstom/CPTM/ METRO/PSDB de São Paulo, foi pra frente? Não! O que fez o procurador, Rodrigo de Grandis, com as denúncias? “Esqueceu” na gaveta, por mais de um ano! E a Globo fica como carrapato, macetando todo dia na cabeça dos telespectadores essa notícia? Não!

E o caso Zelotes, HSBC qual a postura da mídia? Silêncio. Silêncio tumular. E a pasta Rosa, Paulo Preto, Rodoanel, Beto Richa e Banestado vão acabar como? Em pizza!

Então, saibam a quem doar. Fiquem espertos. Dependendo as consequências do ato pode acarretar graves danos. Parece ser este  o aviso dessas organizações golpistas.

Ora, qualquer cidadão, medianamente informado, sabe que pra estancar o suborno, as maracutaias, a corrupção, o grande passo seria proibir as doações de pessoas jurídicas. No entanto,  o que fez o Eduardo Cunha, presidente da câmara dos deputados, numa manobra pra lá de inconstitucional?  Conseguiu aprovar uma PEC que tornou oficial a doação de empresas aos partidos políticos.

Mas antes dele, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo, paralisou ( isso há mais de um ano) o julgamento que tornaria esta prática ilegal. O placar estava 6 X 1 a favor da proibição. Pediu vistas.

Conclusão: apesar de gritarem o contrário, a elite, os poderosos, partidos da direita, fascistas e conservadores em geral não estão preocupados em extirpar este banditismo. O grande objetivo deles é ter de volta o Estado. Extinguir o Partido dos trabalhadores. Acabar com o Lula.

As doações sempre serão benvindas. O apoio de grandes empresas também. Sem verba não há como ganhar eleição. Todos sabem disso.

Eis aí grande sacada do grupelho. Prosseguir com o mesmo esquema de obtenção de verbas  e impedir que empresas doem  ao PT. Por ameaça ou chantagem. Sufocando-o. Até a completa desintegração.

Pergunto: qual empresário, vendo o que está acontecendo com seus pares, se atreveria a contribuir com campanha de alguém ligado ao Partido dos Trabalhadores? É difícil.

Ao PT, principalmente, e aos partidos de esquerda, de modo geral, resta tentar reverter o golpe do Eduardo Cunha e fazer o possível para colocar na ilegalidade as doações de pessoas jurídicas. Questão de sobrevivência. Da própria democracia.