Até os golpistas já admitiram que é GOLPE. Falta você, coxinha.

coxinha-luta-pelo-fim-da-democraciaNardes, ministro do TCU, diz que não são as “pedaladas” a causa do impeachment.

A senadora Rose de Freitas afirma que não existe as tais “pedaladas”, e ele fala com propriedade, afinal participou da comissão de orçamento.

Temer no twitter diz que não libera o avião para Dilma ficar por aí denunciando o golpe.

Nos diálogos de Jucá está gravado que a Dilma tem que ser deposta senão a quadrilha vai se “ferrar”.

Os peritos do senado afirmaram que não houve crime de responsabilidade.

Cunha é duas vezes réu, Dilma nem acusada é, jamais poderia por em julgamento a presidenta.

Renan e senadores são citados em deleção por vários delatores. Esses canalhas não têm moral pra julgar ninguém, muito menos ela.

Anastasia , o relator da comissão, é acusado de corrupção.

E por aí vai.

Os inimigos do Brasil já declaram que é golpe. GOLPE DE ESTADO.

Então, só não vê quem não quer.

Os que vestiram verde-amarelo e foram às ruas protestar contra Dilma, Lula o PT podem se sentir enganados.

Sei, é duro admitir que foram feitos de trouxas. Que compreendem agora porque são chamados de coxinhas.

Talvez uma terapia os ajudem. Uma religião os conforte. Um perdão bem colocado os façam sentir-se melhor.

A ironia é grande, no frigir dos ovos o PT é o partido menos corrupto.

Dilma e Lula perseguidos pelo MPF, justiça, PF e claro a mídia não foram acusados de nada até agora.

As ações que envolvem esses atores são espetaculosas.

Continuam com a mesma receita.

Façam o seguinte: Não assistam a Globo, Record, Band, Cultura.

Não ouçam a CBN, a Jovem PAN. Não leiam o Estadão, Folha, Veja, Isto É, Época

Tentem se manter mentalmente sadios.

Os MBL, Revoltados On-line, Vem pra Rua são grupelhos fascistas/Infantis.

Caso um desses lunáticos chamem você pra se manifestar, não vá.

As hordas são pagos por PMDB, PSDB e agência estrangeiras. Dar ouvidos a estes bandos de alienados oportunistas é jogar o futuro de próximas geração no lixo.

Tentem não se contaminar.

Repitam o mantra: Mais um dia sem ser trouxa, mais um dia sem ser trouxa, mais um dia sem ser trouxa.

A vida Melhora. Tenham certeza coxinhas.

Alexandre de Moraes pode se parecer com qualquer coisa, menos com ministro da Justiça.

alexandreArtigo extraído do site brasil147.com.br

Alex Solnik

“Tal como a mulher de César que, além de honesta, tinha que parecer honesta, o ministro da Justiça, além de ser ministro da Justiça, tem que parecer ministro da Justiça.

Alexandre de Moraes pode se parecer com qualquer coisa, menos com ministro da Justiça. Não é ministro da Justiça nem na aparência, nem na prática.

Um bom diretor de cinema italiano lhe daria um papel de fascista num filme sobre Mussolini depois de examinar suas fotos.

Ele também lembra muito mais um personagem da ditadura militar do que da democracia.

A sua prática também não tem relação com Justiça, mas com repressão. Duas coisas, a meu ver, completamente distintas e até excludentes. Quem quer fazer justiça faz julgamentos equilibrados e equidistantes. Quem quer reprimir atua ao largo da Justiça, com instrumentos diversos.

Assim como seu papel mais recente foi o de repressor do governo Alckmin, como secretário da Segurança Pública notabilizado por reprimir estudantes nas ruas, ele foi alçado ao novo posto também para reprimir. Por sinal, a sua área de atuação é a mesma em que Temer atuou antes de ingressar na carreira política, quando se houve com bicheiros como Ivo Noal e com contrabandistas que agiam em conluio com donos de boates nos anos 80.

Protegido pelo biombo da Justiça, Moraes atua como uma espécie de Secretário Nacional da Segurança Pública, encarregado de intimidar e mandar prender os adversários de Temer, que não são poucos, na política, nos movimentos sociais e na imprensa.

A sua entrada em cena foi lamentável. Ao visitar, inesperadamente, o juiz Sérgio Moro, em Curitiba, explicou que viajou até lá para oferecer solidariedade e infraestrutura. Uma desculpa esfarrapada. Qualquer assessor qualificado encontraria desculpas melhores.

Primeiro, porque tanto solidariedade quanto oferecimento de infraestrutura não exigiriam seu deslocamento de Brasília a Curitiba. Num governo tão preocupado em dar sinais de comportamento espartano, foi leviano gastar dinheiro em querosene de avião para fazer algo que poderia ser feito por meio de fax.

Segundo, porque todos estão vendo que a Lava Jato tem caminhado bem e jamais lhe faltou infraestrutura.

A viagem, portanto, somente faz sentido se foi para ter uma conversa sigilosa com Moro, à prova de interceptação por telefone ou internet.

Qualquer conversa com Moro por iniciativa da maior autoridade da Justiça do país já é uma interferência. Não importa o que ele disse, pediu ou ordenou a Moro. A sua visita já foi uma interferência.

Não há como negar o fato cristalino de que a Lava Jato é a maior fonte de preocupações de Temer, principalmente depois que o seu correligionário Sérgio Machado, um dos delatores premiados de Moro, provocou um tsunami no seu governo, delatando a ele próprio e a alguns de seus ministros, num período vizinho ao julgamento final do impeachment.

Seu chefe da Casa Civil, falando aos empresários do Lide, a organização de João ‘Dólar Jr.’, um dos brasileiros denunciados no escândalo “Panamá Papers” fez o primeiro movimento, sugerindo que estava na hora da Lava Jato acabar. Moraes fez o segundo.

Em tese, nem é necessário dar fim à Lava Jato para reprimir políticos e jornalistas contrários à permanência de Temer. Basta criar filhotes da Lava Jato, com outros nomes. Foi o que aconteceu na quinta-feira, dois dias depois da visita de Moraes a Moro. Desse modo, a Lava Jato continua intocável e seus filhotes ficam com a missão de intimidar quem atrapalha a permanência de Temer no poder.

A investigação contra o ex-ministro Paulo Bernardo, que corria em Curitiba, de repente passou para São Paulo e, sob o nome de Operação Custo Brasil a Polícia Federal revistou sua casa – que é uma residência oficial do Senado – e o prendeu.

Há sérios motivos para suspeitar que foi uma operação a toque de caixa, à semelhança do impeachment. Se tivesse tido algum planejamento, o juiz paulista que a autorizou pediria anuência ao STF para fazer buscas na residência oficial da senadora Gleisi Hoffmann, mulher de Paulo Bernardo, como manda a constituição. Não pediu, os policiais apreenderam até o computador de um de seus filhos e as provas obtidas serão, com certeza, anuladas.

Mas o objetivo foi confundir a opinião pública e provocar reboliço na comissão do impeachment, na qual Gleisi tem sido uma das mais consequentes defensoras da presidente, embora o caso de seu marido não tenha nada a ver com as acusações feitas contra Dilma.

Em vez de ajudar Temer, como pretendia, Moraes o atrapalhou, ao escancarar as intenções da operação – que incluiu intimidação de jornalistas e do PT, cuja sede nacional foi cercada por forças da repressão de forma acintosa, um verdadeiro show-off para inglês – e os paulistanos – verem.

Por mais que a aparência do ministro lembre personagens da ditadura ainda estamos numa democracia, regime no qual a truculência não pode prevalecer sobre a Justiça. Principalmente no Ministério da Justiça.

Tal como Che Guevara quis “criar um, dois, três, muitos Vietnãs”…Moraes tenta criar “uma, duas, três, muitas Lava Jato”. Mas enquanto houver liberdade de imprensa, não vai conseguir.”

 

Alex Solnik é jornalista. Já atuou em publicações como Jornal da Tarde, Istoé, Senhor, Careta, Interview e Manchete. É autor de treze livros, dentre os quais “Porque não deu certo”, “O Cofre do Adhemar”, “A guerra do apagão”, “O domador de sonhos” e “Dragonfly” (lançamento setembro 2016).

Os golpistas têm tanto medo do Lula que não sentem vergonha de dizer sandices.

FOTO OFICIAL PRES LULA

FOTO OFICIAL PRES LULA

Renan diz: eleição? Esqueça. Se houver, o Lula ganha.

(pausa pra pensar…)

Tem cabimento um senador da república, presidente do senado, eleito por votos diretos pronunciar uma asneira deste tamanho?

A frase dita mostra o quanto eles têm medo do ex-presidente. Pavor de que ele volte a comandar o país.

Agora pergunto: o bichão tem medo do quê?

Bem sejamos bonzinhos e imaginemos alguns argumentos. Quais desse você escolheria?

Temos medo que o Lula ganhe e ele aparelhe de vez o estado brasileiro.

Temos medo que o Lula ganhe e ele retire o poder da Casa Grande.

Temos medo que o Lula ganhe e ele instale a revolução bolivariana no país.

Temos medo que o Lula ganhe e ele compre o resto da população brasileira.

Temos medo que o Lula ganhe e ele casse a concessão da Globo.

Temos medo que o Lula ganhe e ele não pare a Lava Jato.

Temos medo que o Lula ganhe e ele e os seus permaneçam por décadas no poder.

Temos medo que o Lula ganhe e ele faça o que deveria ter feito nos seus anos de presidente.

Temos medo que o Lula ganhe e ele politize definitivamente a população.

Temos medo que o Lula ganhe e ele mostre que o povo não é bobo.

Temos medo que o Lula ganhe e ele aja como alguém que não compactua com a bandidagem.

Temos medo que o Lula ganhe e ele empodere o Mercosul, a UNASUL e os BRICS.

Temos medo que o Lula ganhe e ele fortaleça a independência dos países sulamericanos.

Temos medo que o Lula ganhe e crie mais universidades.

Temos medo que o Lula ganhe e haja mais inclusão social.

Temos medo que o Lula ganhe e o Brasil se torne menos desigual.

Agora Lula, fique esperto.

Com tantos medos dessa quadrilha em relação a sua pessoa o seu receio deve ser um só: a de ser impedido de se candidatar. Sendo obviamente processado e preso.

Fora Temer!

Volta Dilma!

Que país é esse em que a presidenta honesta é retirada do poder por desonestos?

Dilma RousseffQue país é esse?

Que uma jornalista entrevista uma presidenta vítima de um golpe e no final a presenteia com o livro escrito por um dos golpistas safados?

Que país é esse que um bando de ladrões safados, corruptos e inescrupulosos tiram uma presidenta honesta do poder, assumem o governo e há quem aplauda?

Que país é esse que tem um juiz de primeira instancia destruindo o parque industrial nacional em nome do fim da corrupção e ninguém toma providência no sentindo de evitar essa loucura?

Que país é esse que o judiciário só pune corruptos ligados exclusivamente a um partido e muitos acham que a corrupção está sendo combatida?

Que país é esse que um juiz de primeira instancia divulga grampo ilegal (duas vezes ilegal) da conversa da presidenta em exercício em um futuro ministro e ninguém pune o juiz?

Que país é este que um juiz de primeira instancia prende a mulher de um dos condenados na operação Lava Jato por ser filmada fazendo um saque de 500 reais e deixa solta a mulher de um presidente da câmara de deputados que gastou milhões de dólares e não declarou?

Que país é esse que prende a mulher de um condenado na Lava Jato por ser filmada retirando 500 reais do caixa e no fim nem era ela que estava fazendo saque e ninguém pune o juiz de primeira instância?

Que país é esse que um juiz de primeira instância chama um sujeito para depor e descobre que ele não tem nada a ver com o caso e o juiz de primeira instancia não é nem admoestado?

Que país é esse que um agente da polícia federal faz de alvo o retrato da presidenta e não é punido?

Que país é esse que delegados do caso Lava Jato se declaram abertamente contra a presidenta chamando-a de anta e ninguém os pune?

Que país é esse que um senador foi imediatamente preso por tentar obstruir a operação Lava Jato e outros senadores, ministros e presidente do senado em gravação fazem o mesmo, não são presos e nenhuma autoridade do STF toma providencias contra este disparate?

Que país é esse que tem deputado votando pelo impeachment homenageando o marido e no outro dia o marido é preso por corrupção?

Que país é esse que tem deputado votando pelo impeachment homenageando o pai por tê-lo ensinado valores éticos e morais e passado um mês o pai é preso por corrupção?

Que país é esse que o presidente da câmara de deputados é descoberto como bandido e não é imediatamente afastado e ainda por cima conduz o impeachment da presidenta reconhecidamente honesta?

Que país é esse que milhões de cidadãos gritam que são todos Cunhas, notório corrupto, e nem se envergonham nem se arrependem?

Que país é esse cujo presidente do Senado diz: ” Novas eleições não vai ter, senão Lula será eleito”. E ninguém considera isso absurdo.

Que país é esse que nunca deixaram a presidenta governar e agora pedem que deixem o golpista usurpador sem legitimidade governar?

Que país é esse em que um governador e agora senador constrói um aeroporto em terras de sua família com dinheiro público e não é preso por ato vil?

Que país é esse que toda semana um ministro renuncia por suspeita de corrupção e o presidente golpista usurpador e sem legitimidade não caí?

Que país é esse que um helicóptero, pertencente a um senador, amigo do governador do aeroporto, é descoberto com meia tonelada de cocaína e nada acontece?

Que país é esse que tem um deputado que diz que tal mulher não merece ser estuprada não é julgado por incentivo ao crime?

Que país é esse em que o mesmo deputado elogia um torturador abertamente e não é cassado?

Que país é esse que uma criança de dez anos é morta pela polícia e tem que faça manifestação apoiando os policiais que atiraram?

Que país é esse que tem uma emissora de TV que trabalha abertamente pelo golpe, faz milhões de cidadão de trouxas, manipula, inventa, mente, deturpa informações e não tem sua concessão cassada?

Que país é esse que o presidente da confederação de futebol não viaja ao exterior por medo de ser preso e aqui o sujeito não é se quer investigado?

Que país é esse que vê a democracia tão duramente conquistada ser destruída pro golpistas bandidos e pouco se pode fazer?

Que país é esse?

Hino pela legalidade. Perfeito para os nossos tempos.

Hoje é o nosso dia, 10 de Junho de 2016. O dia “G”. O dia de dizer: Não Golpe! Fora Temer! Volta Dilma! Viva o povo brasileiro! Viva a democracia!

Lutemos pela volta da legalidade.

A 53 anos atrás lutamos pela legalidade. Adiamos o Golpe. Perdemos porque diante de baioneta encerra-se as discussões.

Mas hoje não será assim.

Mostremos a força das ruas.

Que Cunha, Temer, FHC, Aécio, Globo e outros porcos imundos sejam derrotados. Que sejam condenados e presos. Bandidos corruptos.

Lembremos que muitos morreram. Foram presos. Torturados. Porque lutaram pela liberdade.

Liberdade cantada em prosa e em hino.

Escutem o hino da legalidade daquela época.

https://www.youtube.com/watch?v=2CTz0Jq24mg

 

“Avante brasileiros de pé

Unidos pela liberdade

Marchemos todos juntos Com a bandeira que prega a lealdade

Protesta contra o tirano

E recusa a traição

Que um povo só é bem grande Se for livre sua Nação”

 

 

 

 

 

Presidenta, volte a ocupar o planalto e não se preocupe com o congresso.

Dilma Rousseff

Presidenta Dilma Rousseff,

 

A senhora demonstra ser extremamente determinada e guerreira. Lutadora.

Sabe que está do lado da razão. Que um golpe de estado está em curso. Que a democracia incipiente de nossa país está ameaçada.

Acredito também que tem ciência que são bandidos, todos, os que conspiraram contra seu mandato.

Pois bem, ter o entendimento que são simples marginais e não políticos os que lhe tentam apear do poder é de suma importância para o que vou contar.

Tenha paciência.

Quatro personagens: eu, Antônio, José e o ladrão.

Um dia virando a esquina da rua de casa vi dois vizinhos, irmãos, amigos meus brigando com um cara. O sujeito estava no chão levando uma surra. José com uma arma na mão tentava disparar contra a cabeça do elemento. Felizmente o revólver negava fogo.

Corri e separei o entrevero. O que estava apanhando sangrava, eu o conhecia era um ladrãozinho de bairro. Escroto. Tão logo se viu livre, ficou olhando para os irmãos, subiu na moto e foi embora.

Então perguntei o que tinha acontecido. O Antônio falou: meu irmão evitou que esse cara batesse num colega dele. O sujeito não gostou e disse que iria pegar a arma e matá-lo.

Passado algum tempo o sujeito chegou de moto em casa e começou a gritar pelo nome do José.

Saí e fui perguntando o que ele queria. Só que a cada pergunta que fazia chegava mais perto. Quando percebeu o ardil eu já estava muito próximo. Ele sacou a arma, mas aí eu segurei o seu braço. Mesmo assim chegou a disparar, duas vezes. Tirei a arma do ladrão e a briga começou. José correu e começamos a dar uma surra nele. Foi quando você chegou.

Conversamos um pouco mais. Nos despedimos e cada um foi para o seu lado.

Bem, após duas semanas do ocorrido voltei a encontrar o Antônio.

E aí rapaz, como ficou a situação com o bandidinho?

Contou: naquele mesmo dia, ao anoitecer, fui devolver a arma do sujeito, lá no covil dele, um bar. Tinha uns quatro caras tomando cerveja. O ladrão tava lá. Me aproximei. Ficaram mudos. Coloquei a arma em cima da mesa, descarregada, claro. E disse que não queria encrenca. Que ele tinha o mundo dele e eu tinha o meu e etc. Fui embora.

E sabe de uma coisa? O ladrão virou meu “cachorrinho”. Cheio de querer fazer as coisas pra mim. Onde estou faz questão de me cumprimentar. Ficou grudento. Mas é assim mesmo, senão mostrar e medo os bichos afinam. Fim da história.

Exceto o ladrão todos sobreviveram ao evento.

 

Presidenta esse é um relato verdadeiro. Não é bravata literária, a lá Érico Veríssimo.

Para efeito de comparação: congresso = covil, golpistas=ladrão, Antônio= Dilma, arma=globo, mídia.

Bem, mas o que pretendo transmitir com o relato desse caso é o seguinte: a senhora é valorosa, destemida, corajosa e honesta. Os golpistas é que são os bandidos. O que está acontecendo é uma briga. A senhora irá vencer. Voltará à presidência (torço por isso e faço o que posso).

Não se preocupe com o congresso. Os parlamentares, por serem quem são, ficarão igual ao ladrão da história. Ou seja, mansinhos. Derrotados se retirarão do campo de batalha.

E, igual ao que contei, os golpistas, por apanharem com arma e tudo, estarão desmoralizados perante a opinião pública. O senado e a câmara ficarão “pianinho”.

A senhora, Dilma Rousseff, governará quase que de forma despótica, não que seja, com deputados e senadores dizendo amém.

E finalmente governará em paz, coisa que foi impossível até agora.

O Estado é o culpado pela morte do menino Ítalo.

italoO Estado é o culpado pela morte do menino Ítalo.

O garoto tinha dez anos de idade. Era uma criança. Acima de tudo uma criança. Adorava dançar e soltar pipa. Sabia fazer pipa. Procurava ajuda. Queria carinho e proteção, como qualquer criança da idade dele.

Ítalo não nasceu com dez anos. Um dia ele teve um ano, dois, quatro, seis, oito anos. Passou por todas as fases de criança. Os pais estavam presos.

Onde estavam as autoridade que  não cuidaram dele? Que continuam a não cuidar das crianças abandonadas?

Ítalo sabia dirigir? Quem ensinou?

Ítalo sabia atirar? Quem ensinou?

Ítalo tinha uma arma? Quem deu?

Ítalo sabia dirigir, abrir e fechar a janela e atirar ao mesmo tempo? Quem ensinou?

Ítalo era uma criança esperta, amorosa e procurava ajuda, um furacão, no bom sentido, segunda a psicóloga que o assistiu durante alguns dias.

Morreu. Já foi enterrado. Seus risos, choros e seus sonhos acabaram. Não ecoaram mais sobre a Terra.

 

O Estado é o culpado pelo policial ter atirado no menino.

O Estado prepara mal seus policiais.

O Estado paga mau os policiais.

O Estado não ensina o policial a conviver com as diferenças.

O Estado não forma um policial cidadão.

O Estado forma militar preparado para guerra.

As autoridades têm que averiguar os fatos, investigar até a exaustão. Encontrar a verdade. Dar satisfação à sociedade.

Se o PM executou uma criança de dez anos, este policial tem que ser imediatamente afastado. O sujeito é doente. Um psicopata assassino andando armado, fardado e investido de autoridade.

Se a criança é a culpada o Estado tem que rever suas políticas sociais, urgentemente. A fábrica de produzir novos  Ítalos continua a todo vapor. 

Os problemas devem ser solucionados. E não escondidos.  Ou aprovados.

Há gente aplaudindo a morte do menino. Apoiando os policiais. Não tem cabimento uma atitude dessas.

Essas pessoas são muito escrotas. Fedem como lixo pestilento.

Se matar fosse a solução era só proceder como Heródes: assassinar todos os recém nascidos cujos pais são presidiários, drogados, vivem na periferia e não criam seus filhos “direito”.

E que tal presentear os escrotos com luvas e gorros feitos da pele desses bebês exterminados? Acho que eles iriam adorar.