Se 2016 foram dos canalhas, 2017 será nosso: do povo!

Dilma RousseffLendo o texto abaixo do professor Kevin Dunion (espero que todos leiam) percebe-se claramente as forças que se uniram para retirar Dilma Rousseff do poder. A turma citada pelo mestre é mais uma entre os vários atores do golpe.

Temos também como participantes e apoiadores do golpe gente do judiciário, do congresso e partidos políticos, entre eles os mais corruptos, do primeiro ao terceiro lugar, PSDB, PMDB e DEM. Os nanicos quase todos.

E mais: grandes empresários e banqueiros. STF, Ministério Público Federal, Polícia Federal, PGR, Lava-jato, com Moro e os Dallagnois. E mais a Globo e o império, EUA. E com participação menor, os manipulados coxinhas verde-amarelo. Os grupelhos proto-fascistas MBL, Revoltados ON Line entre outros. E, de modo espantoso e decepcionante, a esquerda vendida, carreirista e corrompida. Dentro do próprio PT houve quem torceu (vingança talvez) pela derrocada da presidenta. A omissão de seu partido saltou aos olhos.

Se na terra de cego quem tem olho é rei. No mundo da política, infestado de ladrões, quem é honesta é deposta.

A presidenta Dilma Rousseff pagou por ser digna, correta e verdadeira.

Mas se nós, o povo brasileiro, não coadunamos com a bandalheira dos golpistas, com a safadeza dos golpistas e queremos realmente o fim da corrupção, do corruptor e do corrupto, temos a obrigação moral de reconduzi-la ao planalto.

Somos 54 milhões de cidadãos que votaram nela. Podemos contar também com os que votaram em outros candidatos mas não se deixaram enfeitiçar pelo canto da sereia. E finalmente, os que despertaram do estado hipnótico midiático.

É muita gente!

Unamo-nos! Vamos recolocar o Brasil no primeiro mundo.

Golpismo é coisa de gente baixa e vil!

Dilma de volta ao planalto. Nos braços do povo. Custe o que custar!

Se 2016 foram dos canalhas, 2017 será nosso!

Vamos esmagar o golpe. Prender os golpistas. E viva a democracia!

 

The Guardian traz na edição desta quarta-feira (28) uma carta escrita pelo professor Kevin Dunion, da University of Dundee, onde o também diretor diretor na Faculdade de Direito Executivo do Centro de Liberdade de Informação fala sobre o impeachment da presidente brasileira Dilma Rousseff.

Leia na íntegra

Os desafios que Dilma Rousseff enfrentou na limpeza da política brasileira não podem ser subestimados. Em 2012, fui contratado pela Unesco para aconselhar o governo sobre a implementação do decreto de acesso à informação que a presidente tinha assinado. Entre as primeiras exigências de divulgação feitas pela imprensa diziam respeito aos detalhes de salários e regalias recebidas por ministros, juízes e funcionários públicos.

Isso levou a uma ação legal por parte dos sindicatos (que haviam negociado acordos lucrativos para seus membros) para tentar impedir a divulgação e uma resistência feroz dentro do governo de coalizão. Quando o assunto foi levado a Dilma Rousseff ela instruiu que a divulgação completa deveria ser feita, começando com seu próprio pacote salarial.

Posteriormente, os detalhes publicados revelaram que um terço dos ministros e quase 4.000 funcionários federais violavam o teto de pagamento estabelecido pela Constituição e estavam ganhando mais do que a presidente. Recompensas infladas eram incluídas e até um salário adicional de seis meses por ano, contabilizados como subsídios de custo de vida ou como licença educacional.

Alguns funcionários do parlamento e do Congresso estavam ganhando até 10 vezes mais do que o salário médio de um professor ou policial. Aqueles que estavam envergonhados não quiseram perdoar a presidente por violar o código de silêncio sobre esses arranjos, nem muito menos apoiá-la em abordar outras áreas de política suja.

Professor Kevin Dunion

Anstruther, Fife

Anúncios

Qual a sua opinião?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s