Reforma da Previdência

Ninguém duvide, a reforma da previdência só não será aprovada se a população ocupar as ruas (risos). No jeito golpista de ser, ficará assim:

Modalidade única. Aposentadoria aos 65 anos para homens e 62 para mulheres, com mínimo de 15 anos de contribuição. Valor do benefício: 60% da média salarial para quem contribuiu por 25 anos, mais:

1) 1% a cada ano que superar 15 anos, até 25 anos. Assim, quem contribuir por 20 anos terá 65% da média

2) 1,5% a cada ano que superar 25 anos, até 30 anos. Assim, quem contribuir por 30 anos terá 77,5% da média

3) 2% para o que superar 30 anos, até 35 anos. Quem contribuir por 35 anos terá 87,5% da média

4) 2,5% para o que superar 35. Com isso, 40 anos de contribuição dão direito à aposentadoria integral (100% da média).

Regra de transição.  O trabalhador terá de contribuir por um tempo adicional de 30% em relação ao que falta para completar 30 anos (mulheres) ou 35 anos (homens) de contribuição. A idade mínima será a vigente no ano em que a pessoa terminar de cumprir esse pedágio, partindo de um mínimo de 53 anos para mulheres e 55 para homens. A partir de 2020, a idade mínima subirá um ano a cada dois anos, conforme tabela, até chegar a 62 anos para mulheres em 2036 e 65 para homens em 2038.

Quem será afetado pela reforma? Todos os trabalhadores que, até a data de promulgação da reforma, não tenham preenchido todos os requisitos para se aposentar pelas regras atuais.

O que acontece com quem já pode aposentar? Nada.

O que acontece com quem já está aposentado? Nada.

Se olharmos de modo pueril o negócio não é tão feio como pintam por aí. Só daqui a 20 anos o efeito será sentido em sua plenitude. Quem é jovem e tem um serviço um pouco mais digno não perceberá as movimentações contra ele. Acima de 50 não será atingido.

 E o que são 40 anos, não é mesmo? Se o sujeito começou a contribuir com 25 anos com 65 anos terá atingido  o limite máximo e portanto terá direito à aposentadoria integral. 25 anos ! Não tá bom? Agora quem, dos 80 % de desprivilegiados começa a trabalhar com 25 anos? Geralmente é com 16, certo? Então quanto mais cedo começar a trabalhar mais explorado o cara será.

São 40 anos de contribuição ininterruptos, ou seja, o elemento não pode ficar nenhum período desempregado, senão… Simples, não é mesmo?

Agora, se analisarmos as regras de aposentadoria com as outras maldades já impostas veremos que o futuro das novas gerações ficará comprometido. Detonaram os direitos trabalhistas. Congelaram os investimentos em educação e saúde por 20 anos.

Mais. Segundo a ANFIP (Associação Nacional dos Auditores Fiscais) a seguridade não é deficitária e sim superavitária. Percebam

A seguridade social engloba saúde, previdência e assistência social. São contribuintes o empregado, o empregador e o governo. Quando o executivo fala em aposentadoria ele faz as contas levando em consideração apenas a contribuição do empregado e do empregador. Não se coloca como contribuinte, daí fica fácil enganar os incautos. Além do que, há um desvio legal do montante arrecadado, o chamado DRU (Desvinculação de Receitas da União). Este dispositivo permite retirar o dinheiro da seguridade e realocá-lo em outras áreas.

Vamos à operação matemática.

R$ 151, 9 bi – rombo divulgado pelo governo

R$ 91,8 bi – Desviados com a DRU

R$ 56 bi – Fraudes no pagamento dos benefícios

R$ 43,4 bi – Renúncias Fiscais.

Total R$ 39,3 bi, positivos. E há ainda R$ 450 bi em sonegação. A Globo que o diga!

Outra. A CPI da Previdência teve seu relatório final aprovado por unanimidade.

Conclusão: “O texto de 253 páginas aponta erros na proposta de reforma apresentada pelo governo; sugere emendas à Constituição e projetos de lei; além de indicar uma série de providências a serem tomadas para o equilíbrio do sistema previdenciário brasileiro, como mecanismos de combate às fraudes, mais rigor na cobrança dos grandes devedores e o fim do desvio de recursos para outros setores.

O relatório alega haver inconsistência de dados e de informações anunciadas pelo Poder Executivo, que “desenham um futuro aterrorizante e totalmente inverossímil”, com o intuito de acabar com a previdência pública e criar um campo para atuação das empresas privadas.

“É importante destacar que a previdência social brasileira não é deficitária. Ela sofre com a conjunção de uma renitente má gestão por parte do governo, que, durante décadas: retirou dinheiro do sistema para utilização em projetos e interesses próprios e alheios ao escopo da previdência; protegeu empresas devedoras, aplicando uma série de programas de perdão de dívidas e mesmo ignorando a lei para que empresas devedoras continuassem a participar de programas de empréstimos e benefícios fiscais e creditícios; buscou a retirada de direitos dos trabalhadores vinculados à previdência unicamente na perspectiva de redução dos gastos públicos; entre outros”.

Resumidamente. O golpista Temer, a Globo e interesseiros em geral desejam nos impor como algo essencial e bom esta reforma. Não é verdade. A corda  sempre arrebenta para o lado mais fraco. Vamos as ruas dizer NÃO!!! Mostrar que não somos fracos.

 

Fontes: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/10/24/veja-os-principais-pontos-do-relatorio-da-cpi-da-previdencia

https://www.anfip.org.br

Anúncios

Aos pobres? Circo e pão, é o que basta! Afirmavam os romanos.

Um milênio e meio depois a receita de alienação continua a mesma. Mais sofisticada, claro. Cada época tem seu jeito de lidar com o povo.

Em tempos de golpe os golpistas criaram a sua fórmula.  Dividiram a massa em dois tipos. A do cidadão comum e a dos mais politizados, esquerdistas em sua maioria.

Para o primeiro grupo contam com o poder da  Globo e sua programação escrota,  enlouquecedora.  Novelas, programas fúteis, futebol, noticiários e enlatados em geral.

Com o segundo grupo a coisa muda de figura. Por se tratar de pessoas que leem, refletem e procuram novos entendimentos fora da “bolha”, os golpistas  encontraram uma outra maneira de distração. A quadrilha,  não podemos esquecer, precisa de tempo, pois sabem, o tempo cura tudo, até a dor do golpe e de suas maldades.

Bem, e qual foi essa maneira encontrada? Atualmente, nos fazer crer que Lula voltará à presidência em 2018 através de eleições. Todas as pesquisas apontam para isso, certo? O ex-presidente está numa crescente e é capaz de ganhar no primeiro turno, segundo os dados mais recentes. Trazendo de volta a paz e a normalidade democrática. Então o que fez a maioria da esquerda? Abandonou outros discursos e encampou o de “Lula, 2018”. Apostando todas as suas fichas nessa bandeira. Aliás, única bandeira.

Em resumo, os criminosos nos deram corda para nos enforcar.

Os canalhas vão nos levar em banho-maria até o último momento. Dizem eles: deixa os petralhas  acreditarem que vai ter eleição e o que Lula vai vencer, tomar posse e governar, não tem problema, de ilusão também se vive.

Então  não hora “H”,  explodirão em canalhice:  Lula está fora do jogo!

Ficaremos como barata tonta, correndo pra cá e pra lá à procura de outra solução. Aí será tarde de mais.

E tudo isso porque não urdimos outras possibilidades de enfrentamento ao golpe.

Enquanto isso… a direita, a marginália têm no mínimo 5 alternativas.

  1. Inviabilizar o Lula, tornando-o ficha suja. Sem necessidade de encarcera-lo. É complicado e perigoso para o golpismo. Lula está acima de partidos. Lula, ele sim, é um mito. Lula tem o que mostrar. O povo o ama. E ele ama o povo. Pode haver revolta e isso os criminosos não desejam.
  2. Fraudar as eleições. Não podemos esquecer que toda máquina eleitoral está nas mãos dos golpistas. Temos vários motivos para desconfiar da lisura do pleito. São corruptos, traidores, mentirosos, sem ética entre outras coisas. Gilmar Mendes, desafeto do trabalhador, do povo e da esquerda é o coordenador e fiscalizador do evento, não devemos esquecer.
  3. Jogar as eleições para 2020. Elegeremos de uma só vez vereadores, prefeitos, governadores, deputados, senadores e presidente. A justificativa seria palatável, a diminuição de custos de campanha e gastos públicos. Tempo, o bando ganharia tempo.
  4. Sonho dos Tucanos. Tirar o poder do povo e dá-lo ao congresso. Este sim escolheria o primeiro-ministro. E o presidente? Um vaso decorativo. Sem os “mimis” do Temer.
  5. Intervenção militar. Se nada der certo… os golpistas apelam e as baionetas cantam. Nesse caso… Inês é morta!

Outra coisa. O golpe não foi dado para durar dois anos. No mínimo 20.

É obrigação da esquerda criar opções de lutas. Cartas na manga. E deixar de se pautar pela direita.

O congresso, o judiciário e o executivo estão dominados por forças golpistas. O território é deles. Fim de conversa. Ainda temos as ruas. Este é nosso campo de batalha.

Os golpistas temem o povo na rua.

As baratas saem dos esgotos.

As baratas invadem o Brasil. De todos os tipos. Pequenas, médias, grandes, voadoras. Antes relegadas aos esgotos, agora passeiam livremente pelas ruas, escolas, lares, empresas, mídias e pelos poderes republicanos sem serem perturbadas. Dizem asneiras. Pedem prisões e mortes. Perseguem. Nada acontece. Fica tudo legitimado pela liberdade de expressão.

Sem pudor perseguem a notoriedade. Outras, o poder econômico e político.

O Brasil ainda só não se transformou num vale tudo institucional porque ainda existe uma certa classe que não pode se manifestar, proferir, dizer, revelar, demonstrar, representar um nadica de nada pois, se o fizer, corre o risco de ser processada, agredida, censurada, execrada e  imbecilizada. Falou, dançou.

E nesta busca insana pela fama as baratas recorrem até à frase antológico dita por Andy Warhol,  “No futuro, todos terão seus quinze minutos de fama”. E não é que Moro e companhia lavajatenses levaram ao pé-da-letra a profecia.

Já tiveram seus momentos de fama. Viraram celebridades. Criaram gosto pela coisa. Então, insatisfeitos com o tempo dito, resolveram mostrar ao artista pop e a eles mesmos que são capazes de superar essa marcar., se eternizando  .

Celebridade instantânea, fugaz? Não é com essa cambada. Objetivo é entrar para o panteão dos deuses.

Não medem esforços para tanto. E como numa guerra, usam de todas as armas e artifícios. Topam até serem ridículos.

Elaboram de forma tosca e infantil apresentação em  “PowerPointes”. Chamam cidadãos  homônimos para depor. Prendem pessoas que não era quem pensavam que era.  Eles veem em pedalinhos, barco de lata, presentes presidenciais provas irrefutáveis de enriquecimento ilícito.  Citam a si mesmos para justificar suas teses acusatórias. Triplex, triplex e mais triplex. Sítios, sítios e mais sítios.

Um pede “pena de morte perpétua”. Outro, prisão de Dilma.  Outro a morte do Lula.  Outro diz “é coisa de preto”. Outro, promete dar mais banana se o cara retirar o processo por injúria. E por aí vai.

Tanta estupidez desses insetos que não tem como não  lembrar de Stanislaw Ponte Preta e seu Febeapá, Festival de Besteiras que Assola o País. Se tivesse vivo teria farto material à disposição para enriquecer seus escritos.

Os ortópteros descobriram como chegar lá, basta escrachar a Dilma, o Lula e o PT. Criou-se então uma disputa velada de egos. A mosca azul os deixou insensíveis, malucos, cegos, surdos e mudos.

Quem é o mais inteligente, perspicaz e golpista entre eles? Diga espelho, espelho meu.

Os concorrentes apelaram ao mundo animal, mais especificamente o canino. Parlamentar que saber por que Dilma matou seu cachorro, o Nêgo. Maus tratos, racismo? Manda para o PGR Janot, que manda pra polícia civil. Ela terá que esclarecer.

A resposta veio de imediato, os lavajatenses recorre a outro cachorro, o do Lula. O animal foi picado por uma cobra no sítio, portanto o sítio é do Lula. Prova cabal de propriedade.

As baratas se perguntam: quem será o primeiro a aparecer no Globo Rural?

Assim não é possível! Vamos salvar o país, pelo amor de Deus?