A postura de Chico Buarque é um oásis neste deserto golpista.

E Chico Buarque visitou o Lula. Ele e Martinho da Vila. Dois dos maiores expoentes de nossa música.

Lavaram nossa alma. Artistas que são, transitam por todas as classes sociais. Da mais privilegiada, a mais desprotegida. Lula deve ter ficado emocionadíssimo, assim como eles ficaram. Pois o artista tem atrás de si milhares de fãs. Há sempre olhos e corações a acompanhá-los.  Lula ama o povo. De sua cela, Lula sabia que os abraçando abraçava na verdade o povo brasileiro.

Chico então, nem se fala. Reconhecido mundialmente como compositor e escritor. Era dele a honra maior. Sabe de sua dimensão, de sua visibilidade e do significado da visita. Por mais que a mídia hegemônica tente esconder seus atos de apoio ao PT, ao Lula e à democracia não tem jeito. Chico Buarque de Holanda é o cara.

O cantor sublimou, estourou a bolha. Seu lugar é no panteão dos que não precisam provar nada pra ninguém.

E deste patamar nos brinda com sua postura coerente, humilde. Enfrentando batalhões de energúmenos e seus canhões com a mesma altivez e simplicidade.

A postura do Chico é um oásis neste deserto golpista.

Não sei se ele sabe, deve saber, atitudes como a dele injeta ânimo nas pessoas. E como necessitamos deste ânimo nestes momentos de golpe.

Percebam a magnitude do ato do Chico. Se há duas grandes paixões do brasileiro uma é a música, a outra, o futebol.

Pois é, onde estão os boleiros que não se manifestam?

O Juninho Pernambucano falou algo. Paulo César Caju, também. Mas e os jogadores famosíssimos. Aqueles que por onde passam são glorificados.

Estou me referindo aos  jogadores do nível de fama do Maradona.

Maradona pediu a liberdade do Lula. Suas palavras reverberaram em inúmeros jornais e noticiários. Evidentemente que não estou falando da mídia nacional. Esta é nojenta e falseia os fatos.

Carlos Casely, o maior jogador que o Chile já teve, deixou sua marca de protesto. Não cumprimentou Augusto Pinochet. Deixou o ditador no vácuo. Detalhe, a ditadura chilena estava no auge , isto é, estava prendendo, torturando e matando os opositores ao regime.  Precisou ou não precisou de muita coragem?

E nós brasileiros, será que nenhum dos famosíssimos têm postura mais progressista. Será que só produzimos Romários, Ronaldos e… Pelés. Como jogadores, excelentes. Como seres políticos, uma lástima.

Pelé quando marcou o milésimo gol pediu pelas crianças do Brasil. Nos tempos de Lula e Dilma a mortalidade infantil foi reduzida quase a zero. As oportunidades de estudo e futuro para os jovens aumentaram substancialmente. E agora, com este governo de traidor Michel Temer, voltamos ao mapa da fome. A mortalidade infantil cresce. A saúde, a educação  estão sendo sucateadas.

Será que o Rei do futebol, o atleta do século, não percebe isso? Por que não fala nada, não se pronuncia? Covardia ou alienação?  É uma decepção.

E os grandes atores, artistas plásticos não tem nenhum que tome uma atitude mais firme sobre os acontecimentos políticos? Que entenda a perseguição ao ex-presidente, a falta de provas?

Por isso e por muito mais digo e repito,  Salve Chico Buarque de Holanda! Ele pode nos salvar, ele vai nos redimir.”

Anúncios