Sobre edisonnsbrito

Masculino, 53 anos casado

Epidemia de febre amarela. Cadê as autoridades que não se pronunciam?

É… os golpistas estão fazendo o país retroceder pelo menos 80 anos. Que maravilha!

A quadrilha, que roubou o poder, destrói a indústria, a educação, a saúde, empresas estatais, pesquisas, universidades, direitos, programas sociais, prendem, perseguem, torturam… e agem como se nada estivesse acontecendo, ou fossem culpados por alguma coisa.

Vejam. Quem ainda tem o desprazer de assistir ao jornal da Globo pela  manhã só escuta notícias ruins. É o tal do “Bom dia, Brasil!”, que de bom, obviamente, não tem nada.  Até no nome a Globo consegue ser hipócrita.

O cardápio atual do programa é a epidemia de febre amarela! Morreu mais um. A previsão é morrer tantos. Filas monstruosas nas UBS. Cheguei meia-noite, e já tinha gente na fila, diz alguns dos esforçados paulistas. Comércio de senhas. 20 “paus”, cada uma. R$ 250,00 a dose da vacina numa clínica particular. Caro? Caríssimo ! Mas sabe como é que é… é a lei da oferta e da procura. Capitalismo na veia!

Bem, a imprensa nesse caso cumpre o papel dela. Com o sensacionalismo costumeiro, evidentemente.

Agora, se por um lado eles mostram esses fatos, por outro não vão atrás das autoridades para que elas se expliquem sobre o caso. Por que aconteceu esta epidemia? Que providências estão sendo tomadas, e como a população deve agir? São assuntos importantes a serem questionados, ou não?

Cadê o governador e médico Geraldo Alckmin (PSDB)? Por onde anda o Temer, o usurpador? Se bem que no caso do MT é melhor ficar quieto. Quem confia num traidor, não é mesmo?

Voltando. Afinal, temos ou não temos governantes nessa, como disse o Romero Jucá, porra?

Esses personagens, incluindo a mídia, lembram, e muito, o comportamento que os governantes ditadores tiveram durante a epidemia de meningite, no início da década de 70.

Os casos aumentando, gente morrendo às centenas e as autoridades mudas, nenhum pio sobre o assunto. E censuravam os jornais. Convenhamos, hoje em dia não precisam usar deste artifício. A imprensa hegemônica se autocensura por respeito ao golpe que ajudou a dar.

Bem, os golpistas da época só se pronunciaram quando a doença atingiu a classe média alta e a elite. Aí a “Inês era morta”. Não havia o que fazer. Os jogos Pan-Americanos, que seriam realizados em São Paulo, foram cancelados. Foi um desastre completo.

Golpe de Estado é, e sempre será, uma catástrofe para o povo e para a o país.

Então autoridades do século XXI, vão continuar calados? Ou será que a epidemia é mais uma invenção dos canalhas?

Queria entender por que a mídia blinda tanto esses tucanos e os golpistas? Será amor babão? Interesses monetários escusos? Moita ocupada? Lealdade? Quer desviar a atenção da população de assuntos espinhosos, como, por exemplo, o julgamento do Lula?  O que será?

Só sei que por causa deles terei que tomar vacina. E não é gotinha.

 

Anúncios

A inauguração do Campo Dr. Sócrates está carregada de simbolismos.

Inaugurado o campo de futebol da Escola Nacional Florestan Fernandes, Guararema, SP. Batizado de Dr. Sócrates. Homenagem ao ex-jogador, militante das causas democráticas, médico e criador da “Democracia Corintiana” nos anos 80.

Compareceram neste dia de festividade várias personalidades do mundo político, artístico, esportivo, jornalístico e líderes de movimentos populares. Entre eles  Lula, Chico Buarque, os jogadores Reinaldo, Paulo César Caju e Afonsinho, ex-ministro das relações exteriores Celso Amorim, ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, Juca Kfouri, Stédile, líder do MST…

Como não poderia ser diferente, o campo estreou com uma bela partida de futebol entre o time do Lula e do MST. Vencido pelo time do ex-presidente por 4 X 1. Torcida vibrante. Hipnotizada pelo desempenho dos atletas. Que dentro das quatro linhas mostraram todo seu talento com a “gorduchinha” nos pés.

Bem, pode não ser totalmente verdade quando me refiro aos participantes como “atletas”, mas também não chamei o jogo de “pelada”.  Se bem que uma torcedora observou bem: parecia um jogo de grávidas, tal a quantidade de barrigas proeminentes. Mas isso não vem ao caso.

Falemos apenas na alegria e no prazer de estar numa festa com irmãos de luta. É gratificante demais! Reconhecer e ser reconhecido como alguém que batalha contra o golpe e pela volta da normalidade democrática.

Mais. Em que outro lugar poderíamos estar lado a lado com Afonsinho. Jogador talentoso dos anos 70. E assim como Sócrates, médico. Perseguido pela ditadura por usar barba e pelo direito ao passe livre, passe do jogador, entenda-se bem. Talvez tenha lhe custado a seleção a sua atitude desafiadora e corajosa em uma época extremamente perigosa.

O evento em si foi carregado de simbolismos, propositais ou não. O juiz da partida Juca Kfouri, ou como se denominou Juca Mouro, antes da partida iniciar já tinha dado cartão amarelo para Lula. Mas, outra vez, disse:  não vem ao caso o motivo. Pelo jeito assim como o imparcial de Curitiba, o árbitro tinha convicção que Lula merecia a punição. Em determinado momento do jogo, penalty. Lula bateu, errou. Moro mandou repetir, Lula bateu e fez. Gol! Tirou a camisa e correu pra galera. Cartão vermelho.  Expulso. E a torcida gritou: “Volta Lula! Volta Lula!”. E ele voltou, nos braços do povo.

É isso. Metaforicamente falando, Lula tem que voltar ao comando do Brasil, pela vontade e querer do povo.

E o congraçamento entre os diversos movimentos, então? Historicamente a esquerda é fracionada. Cada um segue determinada corrente e persegue distintos objetivos. No entanto, o que se viu no sábado, dia 23, foi uma lição de humildade. A direção e o sentido eram únicos. O caminho foi iluminado pelo brilhantismo de todos. Cada um era uma estrela. Unidos,  formavam uma constelação. Rica, poderosa e imbatível.

Ou como disse Eunice Sélos, representante do MNAI (Movimento Nacional pela Anulação do Impeachment):  “ … o Campo de Futebol Dr. Sócrates é a reafirmação do nosso caminho de luta pela volta da democracia e demonstração de nossa luta continua pela liberdade dos brasileiros escolherem seus representantes sem risco de que essa próxima eleição seja golpeada como foi a de 2014. A  luta pelo julgamento do mandado de segurança impetrado pelos advogados de Dilma Rousseff é também a defesa de que a eleição de 2018 ocorra  com o direito de Lula concorrer à Presidência  como demonstra o desejo da maioria dos brasileiros nas pesquisas de opinião.

Vida longa a Lula e a sua carreira brilhante e que a memória  do jogador Sócrates  traga ao brasileiros  mais interesse e desejo de lutar efetivamente  em prol da volta da democracia e pela anulação desse impeachment  fraudulento”.

Vamos mostrar que aqui também tem luta.

Os argentinos gritam: aqui não é o Brasil! Se tentarem mexer com os nossos direitos  o “pau vai quebrar”.

E não é que tá quebrando mesmo! Manifestações gigantesca tomam conta da capital, Buenos Aires. Há enfrentamento com os órgãos repressores. Feridos dos dois lados. Greve. Caos.

Bem diferente do que se vê por aqui, não é mesmo? Acabam com CLT, e a reação? Pífia. Detonam com conquistas sociais, educacionais e econômicas todo santo dia e o que acontece? Continuamos numa passividade de tirar monge budista do sério.

O máximo que fazemos são algumas manifestações, a maioria insossas. Protestos totalmente ordeiros, frios e calculados. Só falta entrarmos em ordem unida e marchamos.  Os discursos são sempre os mesmos. Aliás, não é exagero falar, quem participou de uma, participou de todas. A consequência dessa mesmice é a diminuição do número de participantes nos protestos. Os eventos tornam-se cansativos e perdem a força impactante que deveriam ter.

Aqui a reação deveria ser muito mais forte do que a dos argentinos. Porque lá eles não sofreram golpe de estado, Macri foi eleito, ao contrário de Michel Temer que usou e abusou de artifícios indecentes para trair a presidenta, solapar o governo legitimamente eleito e usurpar o poder com ajuda de quadrilheiros da pior espécie. Canalhas e corruptos inveterados.

Na Argentina tem enfrentamento. Os “hermanos” têm  históricos de lutas. Me parece em povo mais aguerrido. Aliás, sempre foram.

Basta comparar as ditaduras de cá e de lá.  A brasileira durou 21 anos. A dos argentinos, 7. Aqui teve aproximadamente 600 mortos, lá, 30 mil! Por que desta brutal diferença? Será que os nossos torturadores eram bonzinhos enquanto os deles eram perversos? Será que os repressores argentinos são infinitamente mais competentes que os nossos? Ou será que não temos a coragem que eles possuem de lutar contra a usurpação? Ou será que o mito de que somos um povo ordeiro, feliz e alegre é verdadeira? Ou será questão de liderança? Os de lá sabem avaliar a conjuntura  e os daqui não têm essa capacidade e se perdem no comodismo? Ou será porque eles leem muito mais do que nós?

Ou será questão de arquitetura? Sim, arquitetura! Protestar em Buenos Aires é totalmente diferente de se manifestar em Brasília. No DF há um enorme descampado. Os manifestantes quando atacados não tem pra onde correr, se esconder. A PM brinca de tiro ao pato com a gente. Fora aquela inominável e covarde atitude de jogar bomba nas nossas cabeças a partir do helicóptero. Sem  citar nomes, mas o pessoa que projetou Brasília não calculou que os poderoso da vez poderiam  transformar o descampado do congresso, do STF e do Planalto num matadouro. O caso do bombeiro que roubou um caminhão é um bom exemplo de que a arquitetura trabalha a favor dos golpistas,  se a capital federal ainda fosse no Rio de Janeiro o cara tinha arrebentado as grades do palácio, no mínimo, mas lá, deu em nada. O usurpador Temer deve ter sabido do fato pelo noticiário. Além do quê, ir pra para o Distrito Federal é caro e longe, tendo como origem SP E RJ.

Ou será que o fato de não estudarmos a fundo os quase 400 anos de escravidão, não repararmos os erros cometidos com os povos africanos, não lutarmos contra o racismo, não termos políticas de  inclusão e não eliminarmos as desigualdades nos transformaram em pessoas egoístas, soberbas, velhacas, presunçosas e resignadas?

Por aqui o descalabro, a certeza da impunidade e a ideia de que o brasileiro é acima de tudo um medroso dá coragem para os fracos e imbecis. O vídeo da sargenta da brigada militar é um caso emblemático do que está acontecendo hoje em dia com o Brasil. Ela é a cara do Sérgio Moro e da força tarefa lavajatense. Ameaça de porrada os cidadãos  que forem a Porto Alegre, no dia 24 de Janeiro,  dar apoio ao Lula. Inaugurou a PMF, Pau nos Manifestante do Futuro. Nem aconteceu e já somos constrangidos.

Olha só como sou inocente, juro que pensei que a policia fosse nos receber com banda, flores e colares de boas vindas. Não vai ser assim não?

Bem. Sem entrar em nomes, já disseram que o Brasil não é um país sério. Que nunca tinham visto um povo tão subserviente como o brasileiro.  Que a capital do Brasil é Buenos Aires  etc. Pode ser, pode não ser. Mas está faltando algo em nossa formação. Talvez amor, solidariedade, educação, respeito, dignidade…

Infelizmente, nós, brasileiros, viramos, outra vez, exemplo de pasmaceira. De passividade.

Temos chance de provar ao contrário. Não para os argentinos, mas para nós mesmos. Dia 24 de janeiro quem puder ir a Porto Alegre, vá!

 Em 61, Leonel Brizola, então governador gaúcho,  salvou o país do golpe. Quem sabe o destino nos reserve o mesmo, apesar da sargenta e da provocação portenha?

“O Globo é o que é mais pelo que não deu, pelo que deu”, Roberto Marinho.

A Globo foi delatada, nos EUA, por pagar propina pelo direito exclusivo de transmitir a copa do mundo de futebol e os jogos da seleção brasileira.

Segundo empresário argentino Alejandro Burzaco o grupo e outros pagaram 15 milhões de dólares para ter exclusividade nesses eventos.

A emissora negou veementemente qualquer envolvimento. Afirmou que fez uma  investigação interna e nada de ilícito foi encontrado e deu o caso por encerrado.

Bem, em se tratando de um país em que os golpistas de 64 se autoanistiaram e o STF concordou com essa aberração jurídica nada mais deve causar espanto, não é verdade? Nem a cara de pau desta organização.

A sorte é que a investigação está a cargo dos americanos e os Marinhos não tem como influenciar, comprar ou chantagear as autoridades de lá. Ou tem? Não podemos esquecer que a emissora trabalha com eles e para eles. Seja amaciando mentes, entregando nossas riquezas, destruindo a indústria nacional ou fazendo vistas grossas aos desmandos “yankees”. No entanto deve ser um poder menor, mesmo com a CIA por trás. Temos que acreditar na justiça… estadunidenses, é claro.

Uma coisa parece óbvia, se dependêssemos exclusivamente das autoridades brasileiras a investigação já nasceria morta. “Não vem ao caso”, como disse certo juiz. E seria arquivado, aliás,  nem viria à tona a delação.

Se fosse nos tempos pré-internet, com certeza a população não tomaria ciência de tais acontecimentos. E o JN não seria obrigado ler aquela nota boba se inocentando da propinagem.

Até o momento o PGR,  a PF e os procuradores não se pronunciaram sobre essa delação. O medo deles é muito.

A república foi sequestrada pelos donos da Globo há muito tempo. Ninguém tem coragem de enfrentá-las.  Já dizia Tancredo Neves: “prefiro brigar com o ministro do exército do que com o Roberto Marinho”. Passamos por inúmeros governos e nenhum deles teve coragem de enfrentar o quarto poder. Ou seria o primeiro?

Isso que é uma usina de poder, como dizia o Roberto Marinho.

A emissora não faz só por si, protege também quem se ajoelha perante a sua divindade.

O advogado Tacla Duran, por exemplo,  está denunciando a indústria da delação premiada criada pela força tarefa da Lava Jato. Delação nos moldes da lei,  livre e espontânea. É cidadão espanhol. Moro na Espanha e lá não é acusado de nada. Poderia viver tranquilamente, sem aborrecimentos e não foi obrigado a nada. Diferente dos nossos bandidos.

No entanto, o que seria manchete, foi simplesmente ignorado pela Globo. E por que ignorada? Porque atinge seus meninos de ouro do momento, Sérgio Moro e procuradores. O mito não pode ser destruído. O “imparcial de Curitiba” ainda tem sua utilidade, bem menor, mas tem. E o povo que só assiste a Globo mais uma vez é feita de palhaço. “O Globo é o que é mais pelo que não deu, pelo que deu”, Roberto Marinho.

Graças à internet, aos jornalistas destemidos e blogueiros temos acesso maior às informações e contrapontos à imprensa hegemônica.

Notícia boa e salutar. Tendo como protagonista o senador Lindberg Farias (PT), foi aprovado requerimento de realização de audiência pública para tratar deste caso. A Globo, teoricamente, terá que se pronunciar sobre a delação do empresário argentino. Esperar para ver.

Será que um dia a mídia será democratizada, a Globo cassada e os Marinhos impedidos de viajar ao exterior, igualzinho ao RicardoTeixeira e ao Marco Polo Del Nero, ex-presidente e presidente da CBF?

Que a fortuna nos abençoe.

Reforma da Previdência

Ninguém duvide, a reforma da previdência só não será aprovada se a população ocupar as ruas (risos). No jeito golpista de ser, ficará assim:

Modalidade única. Aposentadoria aos 65 anos para homens e 62 para mulheres, com mínimo de 15 anos de contribuição. Valor do benefício: 60% da média salarial para quem contribuiu por 25 anos, mais:

1) 1% a cada ano que superar 15 anos, até 25 anos. Assim, quem contribuir por 20 anos terá 65% da média

2) 1,5% a cada ano que superar 25 anos, até 30 anos. Assim, quem contribuir por 30 anos terá 77,5% da média

3) 2% para o que superar 30 anos, até 35 anos. Quem contribuir por 35 anos terá 87,5% da média

4) 2,5% para o que superar 35. Com isso, 40 anos de contribuição dão direito à aposentadoria integral (100% da média).

Regra de transição.  O trabalhador terá de contribuir por um tempo adicional de 30% em relação ao que falta para completar 30 anos (mulheres) ou 35 anos (homens) de contribuição. A idade mínima será a vigente no ano em que a pessoa terminar de cumprir esse pedágio, partindo de um mínimo de 53 anos para mulheres e 55 para homens. A partir de 2020, a idade mínima subirá um ano a cada dois anos, conforme tabela, até chegar a 62 anos para mulheres em 2036 e 65 para homens em 2038.

Quem será afetado pela reforma? Todos os trabalhadores que, até a data de promulgação da reforma, não tenham preenchido todos os requisitos para se aposentar pelas regras atuais.

O que acontece com quem já pode aposentar? Nada.

O que acontece com quem já está aposentado? Nada.

Se olharmos de modo pueril o negócio não é tão feio como pintam por aí. Só daqui a 20 anos o efeito será sentido em sua plenitude. Quem é jovem e tem um serviço um pouco mais digno não perceberá as movimentações contra ele. Acima de 50 não será atingido.

 E o que são 40 anos, não é mesmo? Se o sujeito começou a contribuir com 25 anos com 65 anos terá atingido  o limite máximo e portanto terá direito à aposentadoria integral. 25 anos ! Não tá bom? Agora quem, dos 80 % de desprivilegiados começa a trabalhar com 25 anos? Geralmente é com 16, certo? Então quanto mais cedo começar a trabalhar mais explorado o cara será.

São 40 anos de contribuição ininterruptos, ou seja, o elemento não pode ficar nenhum período desempregado, senão… Simples, não é mesmo?

Agora, se analisarmos as regras de aposentadoria com as outras maldades já impostas veremos que o futuro das novas gerações ficará comprometido. Detonaram os direitos trabalhistas. Congelaram os investimentos em educação e saúde por 20 anos.

Mais. Segundo a ANFIP (Associação Nacional dos Auditores Fiscais) a seguridade não é deficitária e sim superavitária. Percebam

A seguridade social engloba saúde, previdência e assistência social. São contribuintes o empregado, o empregador e o governo. Quando o executivo fala em aposentadoria ele faz as contas levando em consideração apenas a contribuição do empregado e do empregador. Não se coloca como contribuinte, daí fica fácil enganar os incautos. Além do que, há um desvio legal do montante arrecadado, o chamado DRU (Desvinculação de Receitas da União). Este dispositivo permite retirar o dinheiro da seguridade e realocá-lo em outras áreas.

Vamos à operação matemática.

R$ 151, 9 bi – rombo divulgado pelo governo

R$ 91,8 bi – Desviados com a DRU

R$ 56 bi – Fraudes no pagamento dos benefícios

R$ 43,4 bi – Renúncias Fiscais.

Total R$ 39,3 bi, positivos. E há ainda R$ 450 bi em sonegação. A Globo que o diga!

Outra. A CPI da Previdência teve seu relatório final aprovado por unanimidade.

Conclusão: “O texto de 253 páginas aponta erros na proposta de reforma apresentada pelo governo; sugere emendas à Constituição e projetos de lei; além de indicar uma série de providências a serem tomadas para o equilíbrio do sistema previdenciário brasileiro, como mecanismos de combate às fraudes, mais rigor na cobrança dos grandes devedores e o fim do desvio de recursos para outros setores.

O relatório alega haver inconsistência de dados e de informações anunciadas pelo Poder Executivo, que “desenham um futuro aterrorizante e totalmente inverossímil”, com o intuito de acabar com a previdência pública e criar um campo para atuação das empresas privadas.

“É importante destacar que a previdência social brasileira não é deficitária. Ela sofre com a conjunção de uma renitente má gestão por parte do governo, que, durante décadas: retirou dinheiro do sistema para utilização em projetos e interesses próprios e alheios ao escopo da previdência; protegeu empresas devedoras, aplicando uma série de programas de perdão de dívidas e mesmo ignorando a lei para que empresas devedoras continuassem a participar de programas de empréstimos e benefícios fiscais e creditícios; buscou a retirada de direitos dos trabalhadores vinculados à previdência unicamente na perspectiva de redução dos gastos públicos; entre outros”.

Resumidamente. O golpista Temer, a Globo e interesseiros em geral desejam nos impor como algo essencial e bom esta reforma. Não é verdade. A corda  sempre arrebenta para o lado mais fraco. Vamos as ruas dizer NÃO!!! Mostrar que não somos fracos.

 

Fontes: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/10/24/veja-os-principais-pontos-do-relatorio-da-cpi-da-previdencia

https://www.anfip.org.br

Aos pobres? Circo e pão, é o que basta! Afirmavam os romanos.

Um milênio e meio depois a receita de alienação continua a mesma. Mais sofisticada, claro. Cada época tem seu jeito de lidar com o povo.

Em tempos de golpe os golpistas criaram a sua fórmula.  Dividiram a massa em dois tipos. A do cidadão comum e a dos mais politizados, esquerdistas em sua maioria.

Para o primeiro grupo contam com o poder da  Globo e sua programação escrota,  enlouquecedora.  Novelas, programas fúteis, futebol, noticiários e enlatados em geral.

Com o segundo grupo a coisa muda de figura. Por se tratar de pessoas que leem, refletem e procuram novos entendimentos fora da “bolha”, os golpistas  encontraram uma outra maneira de distração. A quadrilha,  não podemos esquecer, precisa de tempo, pois sabem, o tempo cura tudo, até a dor do golpe e de suas maldades.

Bem, e qual foi essa maneira encontrada? Atualmente, nos fazer crer que Lula voltará à presidência em 2018 através de eleições. Todas as pesquisas apontam para isso, certo? O ex-presidente está numa crescente e é capaz de ganhar no primeiro turno, segundo os dados mais recentes. Trazendo de volta a paz e a normalidade democrática. Então o que fez a maioria da esquerda? Abandonou outros discursos e encampou o de “Lula, 2018”. Apostando todas as suas fichas nessa bandeira. Aliás, única bandeira.

Em resumo, os criminosos nos deram corda para nos enforcar.

Os canalhas vão nos levar em banho-maria até o último momento. Dizem eles: deixa os petralhas  acreditarem que vai ter eleição e o que Lula vai vencer, tomar posse e governar, não tem problema, de ilusão também se vive.

Então  não hora “H”,  explodirão em canalhice:  Lula está fora do jogo!

Ficaremos como barata tonta, correndo pra cá e pra lá à procura de outra solução. Aí será tarde de mais.

E tudo isso porque não urdimos outras possibilidades de enfrentamento ao golpe.

Enquanto isso… a direita, a marginália têm no mínimo 5 alternativas.

  1. Inviabilizar o Lula, tornando-o ficha suja. Sem necessidade de encarcera-lo. É complicado e perigoso para o golpismo. Lula está acima de partidos. Lula, ele sim, é um mito. Lula tem o que mostrar. O povo o ama. E ele ama o povo. Pode haver revolta e isso os criminosos não desejam.
  2. Fraudar as eleições. Não podemos esquecer que toda máquina eleitoral está nas mãos dos golpistas. Temos vários motivos para desconfiar da lisura do pleito. São corruptos, traidores, mentirosos, sem ética entre outras coisas. Gilmar Mendes, desafeto do trabalhador, do povo e da esquerda é o coordenador e fiscalizador do evento, não devemos esquecer.
  3. Jogar as eleições para 2020. Elegeremos de uma só vez vereadores, prefeitos, governadores, deputados, senadores e presidente. A justificativa seria palatável, a diminuição de custos de campanha e gastos públicos. Tempo, o bando ganharia tempo.
  4. Sonho dos Tucanos. Tirar o poder do povo e dá-lo ao congresso. Este sim escolheria o primeiro-ministro. E o presidente? Um vaso decorativo. Sem os “mimis” do Temer.
  5. Intervenção militar. Se nada der certo… os golpistas apelam e as baionetas cantam. Nesse caso… Inês é morta!

Outra coisa. O golpe não foi dado para durar dois anos. No mínimo 20.

É obrigação da esquerda criar opções de lutas. Cartas na manga. E deixar de se pautar pela direita.

O congresso, o judiciário e o executivo estão dominados por forças golpistas. O território é deles. Fim de conversa. Ainda temos as ruas. Este é nosso campo de batalha.

Os golpistas temem o povo na rua.

As baratas saem dos esgotos.

As baratas invadem o Brasil. De todos os tipos. Pequenas, médias, grandes, voadoras. Antes relegadas aos esgotos, agora passeiam livremente pelas ruas, escolas, lares, empresas, mídias e pelos poderes republicanos sem serem perturbadas. Dizem asneiras. Pedem prisões e mortes. Perseguem. Nada acontece. Fica tudo legitimado pela liberdade de expressão.

Sem pudor perseguem a notoriedade. Outras, o poder econômico e político.

O Brasil ainda só não se transformou num vale tudo institucional porque ainda existe uma certa classe que não pode se manifestar, proferir, dizer, revelar, demonstrar, representar um nadica de nada pois, se o fizer, corre o risco de ser processada, agredida, censurada, execrada e  imbecilizada. Falou, dançou.

E nesta busca insana pela fama as baratas recorrem até à frase antológico dita por Andy Warhol,  “No futuro, todos terão seus quinze minutos de fama”. E não é que Moro e companhia lavajatenses levaram ao pé-da-letra a profecia.

Já tiveram seus momentos de fama. Viraram celebridades. Criaram gosto pela coisa. Então, insatisfeitos com o tempo dito, resolveram mostrar ao artista pop e a eles mesmos que são capazes de superar essa marcar., se eternizando  .

Celebridade instantânea, fugaz? Não é com essa cambada. Objetivo é entrar para o panteão dos deuses.

Não medem esforços para tanto. E como numa guerra, usam de todas as armas e artifícios. Topam até serem ridículos.

Elaboram de forma tosca e infantil apresentação em  “PowerPointes”. Chamam cidadãos  homônimos para depor. Prendem pessoas que não era quem pensavam que era.  Eles veem em pedalinhos, barco de lata, presentes presidenciais provas irrefutáveis de enriquecimento ilícito.  Citam a si mesmos para justificar suas teses acusatórias. Triplex, triplex e mais triplex. Sítios, sítios e mais sítios.

Um pede “pena de morte perpétua”. Outro, prisão de Dilma.  Outro a morte do Lula.  Outro diz “é coisa de preto”. Outro, promete dar mais banana se o cara retirar o processo por injúria. E por aí vai.

Tanta estupidez desses insetos que não tem como não  lembrar de Stanislaw Ponte Preta e seu Febeapá, Festival de Besteiras que Assola o País. Se tivesse vivo teria farto material à disposição para enriquecer seus escritos.

Os ortópteros descobriram como chegar lá, basta escrachar a Dilma, o Lula e o PT. Criou-se então uma disputa velada de egos. A mosca azul os deixou insensíveis, malucos, cegos, surdos e mudos.

Quem é o mais inteligente, perspicaz e golpista entre eles? Diga espelho, espelho meu.

Os concorrentes apelaram ao mundo animal, mais especificamente o canino. Parlamentar que saber por que Dilma matou seu cachorro, o Nêgo. Maus tratos, racismo? Manda para o PGR Janot, que manda pra polícia civil. Ela terá que esclarecer.

A resposta veio de imediato, os lavajatenses recorre a outro cachorro, o do Lula. O animal foi picado por uma cobra no sítio, portanto o sítio é do Lula. Prova cabal de propriedade.

As baratas se perguntam: quem será o primeiro a aparecer no Globo Rural?

Assim não é possível! Vamos salvar o país, pelo amor de Deus?