A comissão de ética do senado acaba de arquivar o processo contra o Aécio Neves.

A comissão de ética, veja bem, a comissão de ÉTICA! do senado acaba de arquivar o processo contra o Aécio Neves. Motivo? Não há motivo para abertura do processo, segundo o presidente da comissão, João Alberto Souza do PMDB. Sarneyzista de carteirinha. Por aí se vê a qualidade do indivíduo.

Palavras do senador: “Decidi arquivar porque não achei elementos convincentes para processar o senador.”

“Me parece que fizeram uma grande armação contra o senador Aécio. Fizeram com que ele entrasse naquilo, inclusive, de acordo com a Polícia Federal. Eu não vejo motivo, não me convence, pedir cassação de um senador eleito por milhões de votos em função de uma armação feita com o senador.”

É um desaforo. Quem em sã consciência acredita no que esse cara fala?  Desculpas medíocres, esfarrapadas.

Evidentemente que a postura do parlamentar esta condizente com o acordo PSDB-PMDB. Blindem o Aécio e nós continuamos a apoiar o governo Temer.

Vamos falar sério pessoal.

Como acreditar que com um congresso composto por pessoas estúpidas, corruptas, com QI de amebas, com senadores e deputados caras-de-pau vão aprovar a PEC das Diretas Já?

Se você ainda acha que a força do povo pode reverter a postura de bandidos, então, você encontrou a solução para o tráfico de drogas. Não precisa tiros, caveirões, forças especiais, patrulhamento na fronteira.  Não precisa nada disso, basta protestar em frente à casa dos traficantes, e gritar ” chega de drogas” e aí o seus “Fernandinhos Beira-Mares”, condoídos, pararão com a venda de entorpecentes.

Não existe a mínima possibilidade do congresso e do traidor/golpista/ladrão Michel Temer chamarem por diretas. A não ser que a vitória dos representantes da criminalidade seja líquida e certa. Mas para isso terão que calar o Lula, fraudar as urnas, manipular os resultados, a Globo ativar o cérebro dos coxinhas e por aí vai.

Pra que complicar, se podem facilitar, não é mesmo?

STF, dia 21 teve protesto aí em frente. Os manifestantes gritaram pela democracia, pela anulação do impeachment e pela volta da Dilma ao poder. Ou vocês dão um ponto final nesta patifaria ou assinem o golpe e se locupletam com os marginais. A escolha é de vocês, senhores ministros.

Agora, faço um apelo aos grandes líderes: basta de embromação ou bom-mocismo. Chegou a hora de tomarem vergonha-na-cara. Chegou o momento de darem o braço-a-torcer e se juntarem ao movimento que pede anulação do golpe e exigir postura das autoridades.

Entretanto, se mesmo assim a justiça, um dos três poderes da república, não se sensibilizar e o golpe não for anulado nos resta o uso da força. Da desobediência civil. Ou podemos tomar rivotril.

Gente, vamos por um milhão, dois milhões de brasileiros na frente do STF e exigir, por meios legais, a volta da normalidade democrática. Se não der certo, então invadamos o congresso, o planalto e retiremos os criminosos à chute e a pontapés. Que opção temos diante desses descalabros? Bandido derrotado vira cachorrinho.

Anúncios

Golpe é crime! Golpe é invasão! Golpe é sujo! E é violento. Devemos combate-lo com coragem!

Sendo pessimista: sessenta porcento da população brasileira tem convicção de que o país sofreu um golpe de estado. E cada dia mais pessoas se juntam a esta massa.

O motivo é bem simples: o governo do traíra/golpista Michel Temer está destruindo, com uma maldade e virulência jamais vistas, as conquistas sociais. Não só as últimas, patrocinadas por Lula e Dilma, mas as históricas, como a previdência e a CLT.

A cidadã e o cidadão estão se dando conta de que foram enganados pela máfia dos bandidos.

Máfia composta por senadores e deputados. Junte-se a eles o judiciário, o MPF, a PF, FIESP, grupelhos fascistas, empresas estrangeiras interessadas nas riquezas do Brasil e o governo do império, determinado a não perder sua área de influência.

Capítulo à parte, temos a mídia, capitaneada pela Globo, que criou, disseminou e alimentou o ódio contra Dilma, contra o Lula, contra o PT e contra qualquer entidade ou pessoa que discorde de seus pensamentos hegemônicos.

Basicamente são esses os protagonistas da usurpação e pela derrocada de nossa democracia. Responsáveis diretos pelo crescimento da miséria do povo, pelo retrocesso econômico e social e pelo ressurgimento do trabalho escravo.

Agora, se somos a maioria cônscio do golpe por que não reagimos, então, com a mesma velocidade e firmeza contra este crime?

Porque o golpe no país não foi o clássico.

Não foi aquele em que as forças armadas participam, colocando as baionetas na sua cara. Usando de ameaças físicas, expurgos e etc. O nosso foi “a lá” paraguai. Sorrateiro, covarde, escondido, cheio de lero-lero.

Para se ter uma ideia: podemos ser assaltados de dois modos: o ladrão chega com a arma em punho e te rouba, fim. Ou o ladrão usa da vigarice, o famoso 171, o golpe do bilhete premiado. Este tipo embuste geralmente é praticado por quatro ou mais elementos. Usando de encenação,  te envolvem de tal maneira que você acaba sendo ludibriado. Pode levar dias, semanas mas de alguma maneira  o sujeito acaba “dando” suas economias para o bando.

Passado algum tempo a ficha cai. Aí vem o desespero, o choro, o espanto. A vítima não acredita no que fez. Se pergunta: como fui cair nessa, como pude ser tão ingênuo? O amor-próprio fica abalado. Se esta pessoa não inventar uma desculpa para sua própria fraqueza é capaz de entrar em depressão e tomar atitudes drásticas.

Mas o pior é que enquanto o “otário” fica se questionando, os velhacos ganham tempo e fogem tranquilamente.

É isso! O golpe pátrio foi perpetrado por vigaristas. Levaram os mais incautos no bico. E os oportunistas nas promessas de vantagens.

Não é fácil se dar conta de bate-pronto de que fomos iludidos, sabe por que? Porque os trapaceiros nos deixam dúvidas. Ficamos com a pulga-atrás-da-orelha.

Pô, a revista Veja ia mentir? O JN ia manipular na cara dura? O Moro ia prender sem provas? Os procuradores seriam tão cafajestes a ponto de fazer acusações levianas?

Ou: vai dizer que a Dilma não roubou? Que o Lula não é corrupto? Que a esquerda não é comunista?

E com isso os canalhas golpistas ganham tempo e vão aprovando mais maldades.

E é a aposentadoria, a terceirização, a pejotização. É o fim da CLT, do SUS, é a reforma do ensino.

E no momento que mais precisamos de união, os golpistas conseguem nos dividir.

Pois os protestos, até agora, são pontuais e pautados pelos marginais.

Os larápios põem o tempo a trabalhar a seu favor.

As semanas, os meses vão passando. E nada de significativo acontece. Quando nos dermos conta estaremos em 2018.

O que os criminosos planejaram está acontecendo. Vitória atrás de vitória. Vitória da canalhice!

No entanto podemos derrotá-los, ainda. Como frisei no início, somos a maioria.

As manifestações têm que acontecer, claro. Os motivos para sairmos às ruas são os descritos a cima. Mas a bandeira… esta tem que ser única. E não é a “diretas, já!”. Tivemos eleições em 2014. E teremos em 2018.

A única possível é a da anulação do impeachment. Exigirmos o retorno imediato da Dilma ao poder.

Temos que ser mais veementes, radicalizar.

Mostrar nosso descontentamento. Ocupar as instituições. Ir para dentro da Globo e mostrar que não estamos para brincadeira. Ir ao STF. Ao congresso. Fazer barulho. Muito barulho.

Apanhar, mas também bater!

As instituições terão que nos ouvir. Quer queiram, ou não.

É golpe? então é coisa de bandido. Fora bandidos! Fora facínoras!

Não acredito que nas forças armadas não tenham militares democratas. Deram um cala-boca nos militares excluindo-os de algumas das maldades do golpista/traidor Temer. Mas eles tem familiares, filhas, filhos, esposa, mãe, pai , amigos que sofrerão na pele os efeitos das medidas.

Nós estamos sofrendo violência física. Somos agredidos diuturnamente. E aí? Vamos ficar parados?

Os golpistas nos açoitam, arrombam nossa casa, estupram o futuro, cospem na nossa mãe e não vamos reagir?!

Será que somos um povo de bundões? De conformados? de resignados? de indigentes?

Os usurpadores agem como qualquer invasor, impõem suas leis e suas vontades.

A canalhada declarou guerra contra a nação brasileira faz tempo.

Chegou a hora de escolhermos o lado!

Vamos à luta!

Manifestação em frente à casa do golpista, traidor Michel Temer.

povo sem medo 5Ontem dia 22 de Maio de 2016 houve mais uma manifestação contra o usurpador Temer e seus asseclas.

Organizado pelo movimento chamado “Povo sem Medo” os manifestantes se reuniram no Largo da Batata, Pinheiros, São Paulo.

As 15 Horas saímos em passeata em direção à casa do famigerado Michel Temer, notório traidor e usurpador de votos.

Era uma multidão, cerca de 30 mil pessoas. Diversificada. Havia branco, negro, pardo, índio, pobres, classe média. Mulheres, homens, gays, trans, crianças, velhos, adolescentes. Famílias. Mas acima de tudo, trabalhadores. Gente, que diferentemente dos usurpadores, vivem honestamente.

Cantando. Gritando palavras de ordens caminhávamos num ambiente de fraternidade, de união e de alegria.

Quando nos olhávamos víamos nos olhos uns dos outros o brilho da esperança, da certeza de quem tem a razão ao seu lado.

A Marcha entrava no local da moradia do traidor, Alta do Pinheiros.

Pra quem não conhece é um bairro “nobre”. Classe média alta, casarões, muros altos, condomínios de luxo, ruas largas e limpas, arborizadas. Praças lindas e cuidadas.

Alguns moradores, diante do barulho, saiam nas sacadas. Sentia estranha sensação. Tinha a nítida impressão que estávamos  passeando num zoológico, vendo aqueles animais tão esquisitos a nos observar.

E os seus semblantes transpareciam espanto, interrogação, desprezo e perplexidade pela ousadia de aquela gente perturbar a paz burguesa. Brancos, todos. Criados à leite Ninho.

Aproximávamos da residência do golpista Michel Temer. A quantidade de policiais aumentava. Até que nos deparamos com uma barreira de PM´s.

Estacamos, de lá não passaríamos.

A primeira linha de militares era composta de soldados notadamente novos. Sem um porte físico avantajado. Sem capacete, ou qualquer outro equipamento de proteção. Atrás deles oficiais e a tropa de choque. Esses PM´s imberbes foram postos ali de propósito. Qualquer provocação ou tentativa de pular a barreira resultaria em feridos, de ambos os lados. Era a deixa. O Choque entraria em ação, com violência exacerbada. E justificaria as atrocidades mostrando soldados feridos.

Mas não houve esse confronto.

Criou-se um impasse.  Nós não entraríamos na área cercada, mas também não sairíamos dali.

Os líderes do movimento formaram uma comissão, entre eles Guilherme Boulos e Ivan Valente, e foram conversar com os oficiais.

Enquanto conversavam, os outros manifestantes se revezavam em discursos. Uma das frases marcante foi quando uma coordenadora disse: deve ser triste para um PM ficar protegendo ladrão. E deve ser mesmo. Foi ovacionada.

Bem, o resultado do diálogo com os policiais foi o seguinte: eles não poderiam entrar e ponto final. Ordem superior.

Boulos ao microfone falou: bem já que não podemos entrar na zona de exclusão, nós dali também não sairíamos. E mais, montaríamos acampamento e só nos retiraríamos quando Michel Temer revogasse a anulação da contratação de 11 mil moradias do programa “Minha Casa, Minha Vida”, já assinada por Dilma Rousseff.

O pessoal rapidamente montou as barracas. Inclusive a emblemática lona preta.

Era nítido o incomodo da PM.

Os oficiais chamaram novamente os manifestantes. Ali no meio da rua não poderiam montar tendas. Direito de ir e vir dos moradores.

Os líderes sugeriram a praça ao lado então. Os policias ficaram de ver.

Passado alguns minutos vieram com a resposta: Não!

O confronto era inevitável.

Boulos pediu para que idosos, mulheres com criança saíssem dali e fossem imediatamente para estação do Metrô.

povo sem medo 3Aos outros solicitou que sentassem e não reagissem. E assim fizeram.

Cantando palavras de ordem esperaram. Não muito, porque PM não tem paciência.

Começou a espocar bombas de efeito moral, de gás lacrimogênio, balas de borracha e canhões de água. Este carro com o canhão de água foi uma surpresa. Até agora não sabemos onde estava escondido. Vai ver que na casa de algum morador

povo sem medo 4E o resto foi o de sempre. Correria. Gente passando mal. Desmaios e choros.

Mas a vitória foi nossa. Críamos um fato. O mundo está sabendo que o brasileiro é um povo digno. Que vai resistir ao golpe.

Não aceitaremos retrocessos.

Que bandidos se apoderaram do poder. Derrubaram uma presidenta honesta, sem crime de responsabilidade algum e legitimamente eleita.

Se só a luta é o caminho, então que trilhemos juntos esse caminho.

Não ao Golpe! Fora Temer! Volta Dilma!

E, pelo amor de Deus, quando voltar casse a concessão da Globo.

Vocês, golpistas inescrupulosos, unidos não chegam à sola do pé de um Lula.

Os golpistas atuais, juízes, Sérgio Moro, delegados aecistas, MPF Tucano, Globo, Gilmar, o supremíssimo, e parlamentares corruptos se borraram todo com o anúncio do Lula com ministro Casa da Civil. Estão com medo de um, como disse o FHHC, “analfabeto”?

Pois é bom terem medo mesmo. Vocês, golpistas inescrupulosos, unidos não chegam à sola do pé de um Lula.

Vocês golpistas de conto de reis só são o que são porque Lula deu as condições para tanto. Ele tentou fazer desse país uma democracia. Uma democracia saudável e forte, com instituições republicanas e independentes. O seu erro foi acreditar na boa-vontade dos homens que ocupariam esses cargos.  Esse golpista rasteiros não tem capacidade de entendimento.

Qualquer presidente que entrasse não permitiria a existência desses personagens nefastos. Qualquer um, de qualquer partido. Sabe por quê? Porque eles não governariam. Não teriam sossego.

Sérgio Moro pressionado por seus patrões,  (o dos prêmios e procuradores) no desespero grampeou todo mundo. Até quem não podia. A presidenta. Advogados.

É um sem-vergonha. Meteu os pés pelas mãos. E imediatamente vazou. Imagino este juizinho correndo pelos corredores dos tribunais com o grampo entre os dentes, abanando o rabinho e entregando o grampo aos seus donos, a Globo. Em troca recebeu uns tapinhas na cabeça. Em vez de biscoito canino, vai ganhar mais um destaque (Innovare?).

Mas os golpista de porta de hotel se excederam na safadeza. Na tentativa do golpe. Bonner e seus capachos, Waack , o espião, Mosqueira e Eraldo Pereira deitaram e rolaram. Manipulavam e mentiam a bel-prazer. Eram a cara do luto que impera nas redes sociais.

Se Dilma cumprir o que prometeu no discurso de posse do Lula e do Aragão é bom esses jornalistas de araque não tirarem a cara de luto. Aproveitem o terno, a cueca e participem do  enterro da Globo. E é bom vocês, sabugos, irem porque seus patrões  não irão. Os Marinhos estarão refugiados em Miami.

E não só eles. Delegados, procuradores e esse juiz serão chamados à chincha. Prisão demissão é pouco pra essa cambada. Apostaram no caos, em sangue e na morte agora arquem com as consequências.

E a Globo (Globo e democracia, nada a ver), pai do golpe. Dilma vá  atrás da sonegação fiscal, da mansão em Paraty. Investiguem o envolvimento com lavagem de dinheiro. Façam como fizeram os italianos em relação à máfia, estanquem o dinheiro que alimentam a bandidagem. Cortem a verba publicitária. Comecem a rever a concessão. Está cheio de congressistas que são donos de rádio, jornal, televisão

E quantos aos parlamentares que gritaram  “renuncia”, “renuncia” trate-os com eles lhe tratam. Com desprezo e caneta na turba. Tratando mal ou bem dá na mesma são uns fascistas à soldo de entes obscuros.

Chegou a hora da Dilma mostrar autoridade. Republicanismo ingênuo propiciou o aparecimento da direita fascistas.

Um aviso aos golpistas: não vai ter golpe! Não vai ter golpe! Não vai ter golpe!

Os Neros do Brasil.

Artigo extraído do site do Jornal do Brasil

 

O ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró fugiu. Os filhos e famílias de outros ladrões corruptos também fugiram do país. Com seus cofres abastados pelo fruto do roubo, eles não precisam vender cocaína nem assaltar pedestres como estão precisando os filhos daqueles que ficaram desempregados por causa do colapso econômico provocado por esta quadrilha.

O país só terá certeza da Justiça quando esses ladrões corruptos e corruptores terem seus bens sequestrados. A justiça da delação é, na verdade, um prêmio para esses ladrões. Alguns já estão instalados em empresas fora do Brasil, preparando butim onde imaginam que vão ter os benefícios que tiveram por décadas aqui. 

O Brasil não tem um Nero. Tem vários Neros que veem o país pegar fogo
O Brasil não tem um Nero. Tem vários Neros que veem o país pegar fogo

Espera-se que um dia seja feita justiça aos filhos dos desempregados que vagueiam pelas ruas, senão pelos tribunais, pelo povo. O país não aguenta mais ver a sangria que vem regando a tristeza da nação e, ao mesmo, tempo assistir a esses corrutores com seus Lamborghinis, Porschers, helicópteros, casas de campo, debochando do país. 

O Brasil não tem um Nero. Tem vários Neros que veem o país pegar fogo.

Recado aos empresários que doam ao PT: se continuarem com essa prática, vocês correm um sério risco de serem presos.

Os poderosos, de todas as áreas, estão dando um recado bem claro aos empresários que insistem em fazer doações ao Partido dos Trabalhadores: se vocês continuarem com essa prática de financiamento ao PT, além de terem suas vidas totalmente vasculhadas, correm um sério risco de serem processados e presos.

E ameaçam, através da imprensa: lembrem-se do mensalão, foram condenados: Marcos Valério, empresário e publicitário. Vinícius Samarane, vice-presidente do Banco Rural. José Roberto Salgado, ex-diretor do Banco Rural. Kátia Rabello, ex-presidente do Banco Rural. Entre outros “civis”.

Se o mensalão não é suficiente vejam os detidos nas primeiras fases do caso Lava-jato/Petrobrás os seguintes empresários: Carlos Eduardo Strauch Alberto, diretor técnico da Engevix.  Othon Zanoide de Moraes Filho, diretor da Vital Engenharia, do grupo Queiroz Galvão. Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da UTC. José Aldemário Pinheiro Filho, presidente da OAS. Dalton dos Santos Avancini,  diretor-presidente da Camargo Corrêa.  Erton Medeiros Fonseca,  diretor-presidente de engenharia da Galvão Engenharia. Só gente grande.

Alguns estão soltos, outros permanecem encarcerados. De qualquer forma já é um enorme constrangimento, mesmo que não haja condenação, não é mesmo?

E por outro lado, o que aconteceu com pessoas e empresas nos esquemas de corrupção envolvendo o PSDB ou o DEM? …(tempo pra pensar)… Nada! Absolutamente nada!

Querem ver? O “mensalão mineiro”, pai de todos mensalões, deu em alguma coisa? Não! Alguém foi julgado? Não!  Foi direto ao STF? Não! A imprensa ficou em cima? Não! E o que vai acontecer com este processo? Irá caducar. Portanto, ninguém será  condenado. Impunidade geral.

E o caso “Trensalão”, esquema de corrupção envolvendo a Alstom/CPTM/ METRO/PSDB de São Paulo, foi pra frente? Não! O que fez o procurador, Rodrigo de Grandis, com as denúncias? “Esqueceu” na gaveta, por mais de um ano! E a Globo fica como carrapato, macetando todo dia na cabeça dos telespectadores essa notícia? Não!

E o caso Zelotes, HSBC qual a postura da mídia? Silêncio. Silêncio tumular. E a pasta Rosa, Paulo Preto, Rodoanel, Beto Richa e Banestado vão acabar como? Em pizza!

Então, saibam a quem doar. Fiquem espertos. Dependendo as consequências do ato pode acarretar graves danos. Parece ser este  o aviso dessas organizações golpistas.

Ora, qualquer cidadão, medianamente informado, sabe que pra estancar o suborno, as maracutaias, a corrupção, o grande passo seria proibir as doações de pessoas jurídicas. No entanto,  o que fez o Eduardo Cunha, presidente da câmara dos deputados, numa manobra pra lá de inconstitucional?  Conseguiu aprovar uma PEC que tornou oficial a doação de empresas aos partidos políticos.

Mas antes dele, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo, paralisou ( isso há mais de um ano) o julgamento que tornaria esta prática ilegal. O placar estava 6 X 1 a favor da proibição. Pediu vistas.

Conclusão: apesar de gritarem o contrário, a elite, os poderosos, partidos da direita, fascistas e conservadores em geral não estão preocupados em extirpar este banditismo. O grande objetivo deles é ter de volta o Estado. Extinguir o Partido dos trabalhadores. Acabar com o Lula.

As doações sempre serão benvindas. O apoio de grandes empresas também. Sem verba não há como ganhar eleição. Todos sabem disso.

Eis aí grande sacada do grupelho. Prosseguir com o mesmo esquema de obtenção de verbas  e impedir que empresas doem  ao PT. Por ameaça ou chantagem. Sufocando-o. Até a completa desintegração.

Pergunto: qual empresário, vendo o que está acontecendo com seus pares, se atreveria a contribuir com campanha de alguém ligado ao Partido dos Trabalhadores? É difícil.

Ao PT, principalmente, e aos partidos de esquerda, de modo geral, resta tentar reverter o golpe do Eduardo Cunha e fazer o possível para colocar na ilegalidade as doações de pessoas jurídicas. Questão de sobrevivência. Da própria democracia.

DO Jornal GGN: vejam “a capivara” dos defensores da ética.

Jlistao_da_capivara_aornal GGN – Lideranças de partidos de oposição ao governo receberam, na quarta-feira (15), alguns dos agitadores dos protestos dos dias 15 de março e 12 de abril – entre eles, Rogério Chequer, do Vem Pra Rua. Durante o encontro, figurões como Agripino Maia (DEM), Ronaldo Caiado (DEM), Mendonça Filho (DEM), Paulinho da Força (SD), Aécio Neves (PSDB) e Roberto Freire (PPS) tiveram a oportunidade de esbravejar contra os casos de corrupção que desgastam o PT e a gestão Dilma Rousseff.

Chama atenção, entretanto, a ficha dos defensores da ética e do combate indiscriminado à corrupção. Associação com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, prisão por fraudes e desvios em grandes obras, contas em paraísos fiscais em nome de familiares, recebimento de propina, recursos de campanha questionados na Justiça e até falsificação de documentos para criação de partido fazem parte do histórico de acusações e dos relacionamentos intrigantes que envolvem as estrelas políticas do encontro em tela.

O GGN fez uma breve seleção:

1 – Aécio Neves (PSDB)

O neto de Tancredo Neves que construiu um aeroporto de R$ 14 milhões no terreno do tio-avô já foi questionado na Justiça sobre o paradeiro de mais de R$ 4 bilhões que deveriam ter sido injetados na saúde de Minas Gerais. O caso Copasa contra o ex-governador foi engavetado, por manobras jurídicas. Destino semelhante tiveram as menções a Aécio na Lava Jato. O tucano foi citado por Alberto Youssef como beneficiário de propina paga com recursos de Furnas. Para o procurador-geral da República, isso não sustenta um inquérito. Rodrigo Janot também cuida de outro escândalo que leva a Aécio, sob a palavra-chave Liechtenstein (um principado ao lado da Suíça). Investigando caso de lavagem de dinheiro, procuradores do Rio de Janeiro chegaram a uma holding que estava em nome da mãe, irmã, ex-mulher e filha do tucano. Esse inquérito está parado desde 2010 – época em que Roberto Gurgel era o PGR.

2- Agripino Maia (DEM)

Presidente do DEM, Agripino Maia foi dono das expressões mais sugestivas de defesa da luta contra a corrupção. “Chegou a hora de colocar o impeachment [de Dilma Rousseff]”, disse no encontro com os manifestantes anti-governo. O senador tem em seu currículo a acusação de receber R$ 1 milhão em propina, em um esquema que envolvia a inspeção de veículos no Rio Grande do Norte, entre 2008 e 2011. Coordenador da campanha presidencial de Aécio, o democrata, em 2014, teve seu caso arquivado no MPF pelo ex-procurador-geral da República Roberto Gurgel. Mas foi reaberto há sete meses por Janot, e agora está sendo investigado no Supremo Tribunal Federal (STF).

3- Ronaldo Caiado (DEM)

O senador Ronaldo Caiado (DEM) é associado ao bicheiro Carlinhos Cachoeira por supostamente ter recebido verba ilícita nas campanhas de 2002, 2006 e 2010. Cachoeira foi denunciado por tráfico de influência e negociava propinas para arrecadar fundos para disputas eleitorais. O bicheiro foi preso em 2012 por operação da Polícia Federal que desbaratou esquema de adulteração de máquinas caça-níquel. Caiado foi citado nesse contexto, recentemente, por Demóstenes Torres. Ele teria participado de negociação entre Cachoeira e um delegado aposentado que queria ampliar esquemas de jogo ilegal. Até familiar do democrata já foi alvo de denúncia. O pecuarista Antônio Ramos Caiado, tio de Caiado, está na lista suja do trabalho escravo. 4- Roberto Freire (PPS) Uma das principais acusações que pesam contra o presidente nacional popular-socialista é de envolvimento com o Mensalão do DEM. A diretora comercial da empresa Uni Repro Serviços Tecnológicos, Nerci Soares Bussamra, relatou que o partido praticava chantagem e pedia propina para manter um contrato de R$ 19 milhões com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, comandada pelo deputado Augusto Carvalho. Freire teria sido beneficiado no esquema. 5- Paulinho da Força (SD)

O presidente do Solidariedade, segundo autoridades policiais, participou de esquema de desvio de recursos do BNDES. Um inquérito foi aberto no STF para investigar o caso. Em 2014, a Polícia Federal também indiciou a sogra e outras duas pessoas ligadas ao deputado federal sob suspeita de falsificarem assinaturas para a criação do Solidariedade. Gilmar Mendes conduzirá, ainda, a apuração em torno da suposta comercialização de cartas sindicais (uma espécie de autorizações do Ministério do Trabalho para a criação de sindicatos) por Paulinho, dirigente da Força Sindical. Consta nos registros que cada carta era vendida carta por R$ 150 mil.

6– Mendonça Filho (DEM)

Em fevereiro de 2014, Mendonça se envolveu em uma polêmica por querer indicar deputado acusado de duplo homicídio pelo Supremo Tribunal Federal para presidir a Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado. Julio Campos (DEM), ex-governador do Mato Grosso, afirmou que Mendonça teria dito que a indicação era uma “homenagem”. O deputado federal de Pernambuco já foi preso pela Justiça eleitoral sob acusação de fazer carreata no dia de votação, mas o STF decidiu que não houve crime eleitoral. Um documento da Operação Castelo de Areia citava contribuição suspeita de R$ 100 mil da Camargo Correa a Mendonça, para sua tentativa de ser prefeito do Recife. Ele admitiu que recebeu R$ 300 mil da empresa, mas alega que foram doações dentro das conformidades.

7- Carlos Sampaio (PSDB)

O deputado mais votado da região de Campinas (SP) recebeu R$ 250 mil de uma empreiteira envolvida no esquema de corrupção da Petrobras investigado na Operação Lava Jato. Sua última campanha arrecadou, oficialmente, R$ 3 milhões. Não há comprovação sobre a lisura da doação. Sampaio, coordenador jurídico do PSDB e autor do pedido para que Aécio fosse empossado no lugar de Dilma Rousseff, teve reprovada a sua prestação de contas referente às eleições para a Assembleia de São Paulo, em 1998, e às eleições municipais de Campinas, em 2008.

8- Luiz Penna (PV)

O presidente do PV também aparece um tanto escondido na fotografia. Irregularidades já remetidas à prestações de contas do partido incluem seu nome. Em 2006, por exemplo, boa parte dos R$ 37,8 mil gastos em passagens aéres e R$ 76,8 mil com diárias de campanhas eleitorais foram atribuídos a José Luis Penna. Na época, servidores do TSE apontaram ausência de documentos que comprovassem os gastos e uso de notas frias, indicando empresas fantasmas que teriam prestado os serviços. O corpo técnico do Tribunal sugeriu a rejeição das contas do partido de 2004, 2005 e 2006. O deputado federal respondeu a dois processos judiciais, um pelo TRE-SP, rejeitando a sua prestação de contas à eleição de 2006, e outra pelo TSE reprovando as contas do PV de 2004.

 

9- Flexa Ribeiro (PSDB) O hoje senador já foi preso pela Polícia Federal em 2004, na Operação Pororoca, por fraude em licitações de grandes obras realizadas no Amapá. Foi acusado de corrupção ativa e passiva, formação de quadrilha, tráfico de influência, peculato, prevaricação, usurpação de função pública e inserção de dados falsos em sistema de informações. 10- Antonio Imbassahy (PSDB) O deputado federal tucano era prefeito de Salvador em 1999, quando contratos suspeitos foram assinados com as empresas Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa e Siemens, que formavam o consórcio responsável pelo metrô da capital baiana. O Ministério Público Federal investiga o superfaturamento nas obras, que gira em torno de R$ 166 milhões. Até agora, dois gestores indicados por Imbassahy à época e duas empresas foram indiciadas. O tucano é o vice-presidente da CPI da Petrobras, que investiga desvios de verbas da estatal, onde diretores da Andrade Gutierrez e Camargo Corrêa também aparecem como réus. Imbassahy foi acusado pelo PT de se aproveitar do posto na CPI para pedir documentos à Petrobras e vazar para a imprensa.

11- Beto Albuquerque (PSB)

Ex-colaborador do governo Tarso Genro (PT) no Rio Grande do Sul, Beto Albuquerque (PSB) foi envolvido na intriga que rendeu a queda do então diretor-geral do Departamento de Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) José Francisco Thormann. Thormann se antecipou a uma demissão após a imprensa local ter revelado que ele viajou à Suiça às custas de uma empresa privada subcontratada para fazer obras no Estado. Em nota de defesa, Thormann afastou suspeitas sobre o fato, e revelou que Beto Albuquerque, quando secretário de Infraestrutura do Estado, também fez viagens ao exterior bancadas por empresas que detinham contratos com o poder público. Quando a notícia surgiu, Beto já não era secretário – tinha deixado a gestão petista para reforçar a bancada do PSB na Câmara Federal.