Rio de Janeiro, tão longe do céu, tão perto da Globo.

Não podemos subestimar o Michel Temer. Ele deve ser levado muito a sério. Afinal, o traidor é um constitucionalista. Deu aula na PUC. Teoricamente conhece muito da carta magna, certo? E, como percebemos, depois das sucessivas derrotas da esquerda, sabe usá-la com maestria. Tal e qual o Eduardo Cunha, doutor nas regras da câmara dos deputados. Os dois pulhas são exemplos escarrados de que erudição não dá caráter a ninguém. Há um ditado russo que afirma: o diabo é inteligente, mas Deus não gosta dele.

Bem, a intervenção no Rio de Janeiro faz parte desse processo de garantia de continuidade do golpe.

Ele tentou travar o congresso e impedir a derrota da reforma da previdência. Por enquanto não conseguiu.

Ao mesmo tempo o “vampirão” deseja aumentar sua popularidade. Pra quê? Não sei. O elemento já afirmou que não liga para essas estatísticas, logo está pouco se lixando para o que o povo pensa a seu respeito. Tem 4% de aprovação, pra ficar “Ruim” ele tem que quadruplicar este índice.

Vejamos. Com a ajuda da Globo a intervenção do exército será um sucesso.  Por que com a ajuda da emissora? Oras, basta não noticiar crimes. O que os olhos não veem e os ouvidos não ouvem, o coração não sente, não é mesmo? Então o carioca ficará com a falsa sensação que a segurança aumentou.

Mas isso não é o pior

A cidade maravilhosa foi e sempre será referência para o país.  Dotada de um visual deslumbrante, um povo hospitaleiro e alegre. Belas praias. Montanhas.

Hospedou grandes chefes de estado, intelectuais, reis e rainhas. Atores e músicos “hollywoodianos”.  Conhecida mundialmente pelo turismo.

Moradia e passagem obrigatória para escritores, compositores, artistas plásticos, poetas, músicos, passistas, cordelistas, boas-praças, malandros. Teatros, museus…  Machado de Assis, Lima Barreto, Noel Rosa… Passeando pelas  ruas  cariocas respiramos história. Joaquim Nabuco, Marechal Deodoro, Getúlio Vargas…

Dita maneirismo, moda, tendências culturais. Berço do samba, da bossa nova, do funk. Dos grandes eventos. Já recebeu duas finais de copas de futebol e uma olimpíada. O rock-in-Rio.

O Rio de Janeiro é um imenso laboratório para testes e experimentalismos. Quem deseja se firmar passa por seu crivo.

Infelizmente os bandidos também sabem do potencial desta cidade e de seu povo. E nela perpetram suas maquinações. Não me refiro ao tráfico, aos assaltos, à segurança pública, e sim aos corruptos, aos golpistas, aos verdadeiros facínoras que tomaram o poder à base da vigarice e agora vendem e destroem uma nação.

Os marginais, como vampiros, sugam a força vital dos moradores do Rio. Arrasam o estado. Sem dinheiro, desviado para bolsos do alheio, não pagam os funcionários. Não investem.

O funcionalismo ficou meses sem receber. Algumas categorias estão recebendo de forma parcelada.

Evidentemente que quando o cidadão fica sem receber a situação se agrava. Atrasa aluguel, escola, contas. A sua vida se torna um ato de desespero.  Mesmo as pessoas com viés direitistas se sentem compelidas a participar de manifestações. E a tendência é recrudescer os protestos.

Este cenário de pré-convulsão serve de estudos para os usurpadores. Pois eles têm ciência que as medidas tomadas pelo traidor Temer são impopulares e de uma hora para outra podem gerar revolta.

As forças armadas têm que estar preparadas para enfrentar o “inimigo”, ou seja, os  desprivilegiados do Brasil.

Rio, tão longe do céu, tão perto da Globo.

Agora há outros lugares bem mais inseguros que a antiga capital federal.

Segundo dados do 11º Anuário de Segurança Pública, Sergipe é o mais violento, seguido por Rio Grande do Norte, Alagoas, Pará e Amapá… O Rio de Janeiro ocupa a décima primeira posição.

Então, com “sucesso” da experiência, por que não intervir em outros estados também, não é verdade? É tão fácil, para quem não tem compromisso com a nação e com a democracia.

O decreto já está feito e aprovado pela câmara dos deputados. Interventor de natureza militar.

Seria mais uma jabuticaba. Os militares assumiriam o poder de fato e Temer teria seu mandato presidencial prorrogado, ou eleito, por um “colégio eleitoral”, até que as coisas retornassem aos eixos. Evidentemente.

Aliás, o traidor anda dizendo deseja ser eleito, mas nunca disse que as eleições seriam nos moldes atuais, um cidadão um voto.

Bem. A direita não tem candidato. Até quando a Globo vai conseguir manter anestesiada parcela da população ninguém sabe. Então, qual a dificuldade dos canalhas entrarem de cabeça em mais essa aventura golpista? Nenhuma.

A não ser que alguém general tenha outras aspirações e resolva chutar o pau-da-barraca assumindo essa bagunça de vez.  E, adeus amada fruta.

Anúncios

O burguês é essencialmente covarde. Os golpistas, então… nem se fala!

Hermann Hesse dizia que o bruguês é essencialmente covarde, por isso precisa de quem o defenda, como polícia, exército, milícia, justiceiros e etc.

E o traidor Michel Temer e suas hordas de bandidos confirmam o que disse o prêmio nobel da literatura: eles são covardes! covardes! essencialmente covardes!

Como se não bastassem atiçarem seus selvagens cães de guerra contra os manifestantes acharam por bem acionarem o exército.

Se eles não sabem, fiquem sabendo: o exército não é treinado para conter manifestantes. Não possue armas não letais. É o última camada de proteção que uma nação tem.

Oras, quando eles chegam é pra resolver. Eles não estão pra negociar, prender. Eles vão para derrotar o inimigo. Matar, se precisar.

É isso que os golpistas querem? Matarem o inimigo? Essa desculpa de garantir a ordem é balela. Típica de gente pusilânime.

Por que não olham para o próprio umbigo? Agentes de vocês, MT, foram infiltrados para tumultuar o protesto. Quando eles agiam depredando os prédios a guarda nacional e a PM faziam vistas grossas. Quando os manifestantes pensavam em fazer algo eles atiravam com armas letais. Há gravação mostrando PM fazendo isso, poderia matar qualquer um. Pois, o amostra grátis de assassino não atirou pro alto, atirou em linha reta, alguém seria atingido, e foi.

E a mídia, a porca mídia colaborando com essa sacanagem dos golpistas. Nos chamam de baderneiros, vagabundos sem procurarem saber a verdade. Mostram poste derrubado. Ponto de onibus quebrados.

Covardes! Covardes! Covardes! isso são vocês golpistas.

Se escondem atrás da mesa. Emitem decretos dos tenebrosos tempos da ditadura militar mostrando o que verdadeiramente são, fascistas.

Não podemos parar.

Esses energúmenos transformaram uma nação em motivo de chacota lá fora.

Esses seres abjetos entregam as riquezas do país em troca de dinheiro e tapinha na bunda.

Esses criminosos estão acabando com os direitos do cidadão comum.

Essa quadrilha trata o povo como se inimigo fosse.

Ignorantes até a raiz do cabelo, mandam sufocar quem discorde do pensamento deles.

A cadeia é o único lugar em que poderiam estar.

Que país queremos pra nós e para as futuras geraçãos? É esse, o dos golpistas?

Precisamos nos definir. Ninguém pode se omitir neste momento. A omissão lhe faz igual aos covardes.

É essencial que a democracia volte. É primordial que o STF anule o golpe.

É condição sine qua non que a DIlma Rousseff seja reconduzida ao poder. Qualquer outra opção conduzirá o país ao retrocesso.

Os covardes que se apoderaram do poder já mostraram que não estão dispostos a entregar o poder. A repressão começou.

Ou enfrentamos ou abaixamos a cabeça definitivamente.

 

Comandantes do Exército brasileiro, qual a lógica da condecoração de Luciano Huck?

Condecorar Sérgio Moro é um descalabro, mas vá lá! Há como justificar.

Apesar da parcialidade do magistrado, dos vazamentos seletivos, da proteção que oferece aos tucanos e ao traidor Michel Temer. A perseguição ao Lula e ao PT, ele, sem querer, expôs a relação promíscua entre grandes empresários e o mundo da política. Este lado foi bom

Agora, condecorar Luciano Huck existe explicação?

O que esse apresentador de auditório fez pelo país? Deu casa? Reformou comércios, carro? Soletrou?

“Deu”, entre aspas. Para o apresentador da Globo nada é de graça!

Cada ganhador teve que fazer provas ridículas, que expunham os participantes ao ridículo. Emoção barata!

Todos esses quadros tinham patrocinadores. Pagaram para estar lá. Ele mesmo não tirou um tostão do bolso. Pelo contrário, entrou muito din-din na algibeira do bom moço.

Que de bom, convenhamos, não tem nada! A ganância pelo dinheiro e poder salta aos olhos de quem o assisti.

Caros comandantes! Vocês condecoraram um cara que em 2014 queria agenciar mulheres brasileiras para os gringos que vieram acompanhar a copa do mundo. Lembram-se desse caso?

Uma pergunta: qual o nome que os senhores dão às pessoas quem vivem de explorar sexualmente corpos alheios? Não sabem?Na minha terra o cara recebe nome de Cafetão.

E só não levou adiante o projeto porque a gritaria contra a cafajestice foi geral.

Outra. “Em 2011, a juíza da 1ª Vara Federal de Angra dos Reis, Maria de Lourdes Coutinho Tavares, condenou o apresentador Luciano Huck a pagar R$ 40 mil por cercar com boias e redes a faixa costeira ao longo de sua mansão na Ilha das Palmeiras, em Angra dos Reis, litoral sul do Rio de Janeiro, sem autorização ambiental. O global alegou apenas que o fizera “sob o propósito de exercício futuro de atividade de maricultura”. Fonte RBA.

Na sentença, a juíza alegou que “a motivação da colocação do cerco é outra que não a atividade de criar mariscos, ou seja, a maricultura seria um pretexto para legitimar a pretensão não acolhida pela lei, de apoderamento de bem de uso comum do povo”. Traduzindo: o apresentador queria transformar uma praia pública em particular.

Luciano recorreu da multa, não sobre o embuste. 6 anos se passaram e ele foi novamente condenado. Terá que pagar os “quarentinha”.

E perdeu porque os procuradores perceberam que a recorrência era apenas fruto do inconformismo do animador.

Na cabecinha dele onde já se viu um global perder uma causa! “Eu trabalho na globo, tá legal!”, diria Bozó, personagem de Chico Anísio.

“Em junho de 2009, o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB/RJ) liberou as regras para construções em áreas de preservação ambiental em Angra e outras regiões do estado. O decreto, de número 41.921, ficou conhecido como “Lei Luciano Huck”, porque teria sido feito para beneficiar o apresentador da Globo”. O grifo é meu. Fonte RBA.

Não acredito que os senhores deram a mais alta honraria para um sujeito desses! Beneficiado por um corrupto notório e atualmente preso, Sérgio Cabral.

Minha incredulidade é tanta, que me permite especular sobre os reais motivos.

O animador de auditório deseja disputar as eleições para presidente, certo? A Globo cansou de intermediários.

Então a emissora convocou os nobres comandantes para uma reunião, e “sugeriu” que a honraria cairia como uma luva nas pretensões da Vênus Platinada, ou seja, a de ter um empregado governando o país. Pedido sugerido, pedido aceito! Afinal, globo é a globo.

Foi isso, não foi?