O que as galinhas da França têm a nos ensinar.

Deu na BBCBrasil.

Numa fazenda-escola, situada no noroeste da França, são criadas 6 mil galinhas. Elas vivem soltas. À noite são recolhidas em galpões, onde ficam empoleiradas. Pois então, numa noite dessas entrou pela portinhola uma raposa. E raposa, sabemos, adora uma galinha.

Bem, qualquer pessoa concluiria que o quadrúpede fez a festa no galinheiro, não é mesmo? Mas não foi bem assim. O desfecho foi outro… De forma inesperada, em vez de o canídeo atacar, ele é que foi atacado. Resultado: no dia seguinte os criadores encontraram a raposa morta, toda bicada. Espantoso, não é mesmo?

Imaginem a cena.

As galinhas vendo a raposa entrar. Assustadas, com medo, procuram rota de fuga, não encontram. Estamos perdidas, gritam! Não há saída! Só nos resta rezar! Ou então lutar por nossas vidas, rebate uma delas. Somos fracas. Sim, somos fracas sozinhas, porém juntas somos fortes!  Vamos pra cima! bradam.  Cada uma ataca de um lado, dizem. A raposa só tem uma boca. Não tem como morder a todas. E já que nosso destino está traçado, pelo menos morreremos brigando. E assim o fizeram. E venceram.

A surpresa da raposa deve ter sido total. Tá errado! É contra a natureza! Contra a tradição! Contra as leis! Contra a religião! Não vale! Vocês não têm tradição de luta! São submissas! Suas comunistas!  E morreu gritando.

Esta estória é digna de um Esopo.

Esopo foi escravo, escritor, contador de história. Viveu na Grécia antiga. Suas fábulas terminavam invariavelmente com tiradas morais. Uma das mais famosas é a “A Raposa e as Uvas”.

Bom, e o que este relato tem a nos ensinar?

Oras, o Brasil vive um momento peculiar. A raposa está no poder. Ela vai acabar com nossos direitos sociais, trabalhistas. Está sucateando a saúde, a cultura e a educação. Se a reforma da previdência for aprovada ninguém mais vai se aposentar. O desemprego aumentou. Os investimentos esperados não virão enquanto o louco for presidente. A indústria está um lixo.  A Embraer foi dada para Boing. A Ford vai embora. O PIB não cresce. A polícia está autorizada a matar sem dar grandes explicações.  E assim caminhamos pro nosso fim.

E nós, brasileiros, estamos na mesma situação que as galinhas estavam.  O coiso  e seus asseclas entraram.  Não podemos fugir, que seria sair do país. Portanto, só nos resta lutar. Com a mesma veemência delas. Derrotar o fascismo. Prender os atores do golpe, os traidores da pátria, os entreguistas, os espiões e ratos em geral. Restabelecer a verdade e a justiça.

E acima de tudo libertar o LULA!

Moral da estória: sem luta, não há vitória possível.

Anúncios

Que Deus dê muita força ao Lula neste momento de dor.

Tenho uma filha. Maria Clara. Tem 6 anos. Pra mim é a melhor filha do mundo. Do mundo não, papai, da Bahia!
Às vezes é arteira, às vezes quieta. Ri e chora. Dá bronca e leva bronca, mas nessa idade nunca guarda mágoas.
Se fantasia, brinca, corre, dança e imagina. Pula, cai e quebra. Adora se pintar. Risca, grita e emburra. Diz não. E exige sempre um sim. Desafia e nos surpreende.
O abraço dela é de uma maciez e de um conforto incomparáveis.
Suas mãos sempre procurando as nossas mãos.
E a pureza do olhar? Ah! Essa pureza quebra os mais rígidos corações humanos.
Vendo a gente triste ou chateado sempre dá uma solução.
Papai, onde a mamãe foi? Mamãe, onde o papai foi?
Adora um colo. A proteção do colo. Entende o mundo à sua maneira. Ainda não conhece a maldade humana.
Gosta muito do vovô e da vovó.
A avó foi premiada por ela com um troféu de melhor cozinheira do mundo.
E o que você quer ser quando crescer, pergunto? Feliz, responde. E também veterinária, igual a prima.
Se o amor um dia acaba, então o que sinto pela minha filha não é amor. É um sentimento tão maior que a palavra que possa defini-lo ainda não foi inventada. Deixo a cargo dos poetas.
Esta é minha filha. Uma criança. E como toda criança uma sonhadora.
Por que falei sobre a Maria Clara? Porque o neto do Lula morreu. E Artur era uma criança. E como dizem, criança só muda de endereço.
Chorei por ele. Chorei também vendo a foto daquela criança síria na praia. Assim como choro vendo crianças sofrendo. Choro eterno.
Perder um filho, um neto ou um sobrinho ninguém merece. Ninguém mesmo. É reverter a criação. A dor é lancinante.
Que Deus dê muita força ao Lula. Que Deus ilumine e conforte sua família.
Vejo o Artur subindo ao céu e D. Marisa com os braços esticados recebendo o netinho. E pondo-o no colo. Protegido, com certeza ele, ficará.

Que o holocausto do Lula nos sirva de lição

“Institui a Lei de Execução Penal .

SUBSEÇÃO I

Da Permissão de Saída

Art. 120. Os condenados que cumprem pena em regime fechado ou semi-aberto e os presos provisórios poderão obter permissão para sair do estabelecimento, mediante escolta, quando ocorrer um dos seguintes fatos:

I – falecimento ou doença grave do cônjuge, companheira, ascendente, descendente ou irmão;

II – necessidade de tratamento médico (parágrafo único do artigo 14).

Parágrafo único. A permissão de saída será concedida pelo diretor do estabelecimento onde se encontra o preso. “

 

Alguma dúvida se Lula tinha o direito de velar o irmão? Claro que não!  Inclusive está escrito com todas as letras a palavra “irmão”.

A defesa do ex-presidente solicitou a saída, a juíza pediu um parecer para o MPF, que pediu um parecer para a PF, que negou.

No frigir dos ovos quem negou mesmo foi o Sérgio Moro.

Motivo? Não havia tempo hábil para a logística de transporte do ex-presidente. Ou seja, transporte aéreo e escolta.

Os carrascos se respaldaram nas brechas que a lei apresenta para justificar a negativa.

E quais são essas brechas? A meu ver, o verbo “poder” e a frase “mediante escolta”.

Os presos “poderão”, não significa que é uma obrigatoriedade. E se não houver escolta, o preso não poderá sair.

E mais. Os carrascos sabem, Lula não é qualquer preso e sim o maior e mais importante líder que o Brasil já produziu. O simples deslocamento se torna um martírio. Por onde ele passa, arregimenta multidões. Então, como garantir a segurança dele e dos agentes, não é mesmo? Como não causar tumulto? Difícil!

Óbvio que eles poderiam liberá-lo,afinal,  Suzane von Richthofen teve autorizada a saída para comemorar os “Dias dos Pais”.

No entanto o ódio, a maldade, a vingança, o medo e o preconceito foram os grandes conselheiros da recusa.

Mas suponhamos que eles liberassem. Qual o simbolismo desse ato? A concessão da saída significaria que a justiça estaria começando a agir com justiça e isto acenderia uma luz de esperança nos corações das pessoas de que Lula poderia ser posto também em liberdade?

Seria muita ingenuidade de nossa parte acreditar numa possível mudança de postura do judiciário.

Devemos é abandonar posições conciliadoras e assumir a realidade. Fomos derrotados em todos os campos.

Vivemos num estado de exceção. A esquerda relegou o povo ao segundo plano. Os nossos líderes avaliaram mal os atos da direita. Os nossos mandatários não souberam lutar contra o golpe. Bolsonaro, apesar de tosco, tem que ser levado à sério.

Deveríamos ter dado a mesma importância ao Lula que a direita deu. E dá. E demonstra com atitudes. E não mostra medo.

Por exemplo, no dia da prisão Lula a esquerda não entendeu a magnitude do Lula.

O certo seria criar um fato político. Conclamar as pessoas a cercar o sindicato. E não deixar ao deus dará. Convocar uma entrevista coletiva internacional. E jamais, repito, jamais deixa-lo se entregar para um simples delegado.

Um homem que foi duas vezes presidente, reconhecido mundialmente como grande líder merece muito mais consideração. No mínimo quem deveria estar negociando sua “rendição” seria o ministro da justiça.

Quem aconselhou Lula a se entregar naquele momento deveria fazer um mea-culpa. Quem falou que o povo brasileiro não sabe lutar deveria fazer mea-culpa. E depois pedir o boné e sair da cena política.

Eventos passados, dirão, mas reflete no presente e refletirá no futuro.

A esquerda desde 2013 age atemorizada. Envergonhada. Foi uma presa fácil para a ultra-direita.

Quem está no poder tem que ter vontade de estar no poder. Tem que exercer o poder.

Que o holocausto do Lula nos sirva de lição. Não temos adversários, temos inimigos.

 

“Solto, viro presidente. Preso, viro herói. Morto, viro mártir”, disse Lula.

Lula advertiu, e quanta sabedoria na advertência.

“se me prenderem, eu viro herói. Se me matarem, viro mártir. E se me deixarem solto, viro presidente de novo”.

O tempo passou e o que temos até o momento?

Vejamos. A canalha, que de boba não tem nada, sabia, só a prisão evitaria que Lula  concorresse e, consequentemente, ganhasse as eleições presidenciais. Rapidamente encarcerado,  não virou presidente.

Preso há seis meses, ele está HERÓI. E se comporta como tal, pois resiste bravamente às agruras de sua condição de detento.

A grande questão é: até quando ele suportará ser um semi-deus? Ou traduzindo, por quanto tempo ficará preso?

Por mais que a defesa faça e lute Lula será condenado em todos os outros processos pendentes. Estes depoimentos são apenas rituais protocolares. O julgamento, uma farsa. E óbvio veredicto, culpado.

Se serve como consolo o que estão fazendo com ele ficará registrado para sempre na história. E quem contará a está história não serão os ditos “vencedores”.  E nem a “escola sem partido” será capaz de esconder a verdade sobre estes acontecimentos.

Caminhamos agora para a terceira opção, “se me matarem, viro mártir”.

Alguém por aqui que ver Lula mártir? Claro que não!

Mas esta triste opção também independe dele ou de nós. Infelizmente.

A vida de Luis Inácio Lula da Silva está nas mãos do inimigo. De gente escrota que fede a patifaria, preconceito e ódio.

O ex-sindicalista se tornou um problema internacional. A cada dia que passa mais gente se convence de que ele é de fato um preso político. A vitória do ex-capitão não amenizou o clima de desconfiança e de revolta.

Os quadrilheiros não conseguiram lavar o golpe.

E agora? Como fica a situação econômica, social e política do Brasil?

Percebe-se, a paciência dos golpistas está no limite. Por mais que enganem, mintam e caluniem a força do Lula não dá sinais de enfraquecimento.

Então por que não temer por sua morte física? É uma solução que, sem sobra de dúvidas, a canalha aventa, ou não?

Lula ficará muito tempo preso. Mofará na cadeia. Nunca mais ouviremos sua voz.

Pensar o contrário é desejar ser enganado.

O PT fez a opção correta, lutar até o último dia por Lula candidato.

E o TSE negou o registro da candidatura do Lula à presidência. Nenhuma surpresa. Barroso convenceu a já convencida Rosa Webber a por em pauta o tema da ficha suja por causa do Lula, mesmo estuprando os prazos legais. E a ONU e o estado de direito foram jogadas às traças.

Bem, vencidos novamente. O maior líder político brasileiro de todos os tempos continuará preso e praticamente incomunicável. A não ser que alguém, com muita boa fé, calcule que Lula esteja contente em se comunicar  através de bilhetes e de terceiros, sendo ele um dos maiores oradores que o país já produziu .

Mas a caçada ao PT e a seus membros não cessou com o a prisão do Lula. E vem mais por aí. E vem porque o ex-presidente detido incomoda mais que mil elefantes. Por causa dele a discussão sobre o golpe de estado não saiu do dia-a-dia.

Sua persistência não dá alento aos usurpadores. É a sombra a persegui-los num lindo dia de sol.

E quanto mais apanha mais Lula cresce nas pesquisas. É um fenômeno. E se a canalha deixasse, ganharia no primeiro turno. Para o bem do país.

Porém, a simples possibilidade de ele poder concorrer põe em pânico os coxinhas, fascistas, energúmenos e golpistas.

Eles não se conformam com a teimosia do PT. Ótimo, a teimosia nos dá esperança.

A quadrilha só faltou suplicar de joelhos para que Lula desistisse da empreitada e o partido escolhesse outro candidato. Rápido e rasteiro assim.

E por que Lula não desistiu?

Primeiro – Acima de tudo porque ele é inocente no caso triplex. E não abre mão de provar sua inocência, logo disputar a presidência é consequência natural e direito legítimo.

Segundo – Se o PT designasse outro candidato em abril ou maio, por exemplo, a Globo teria mais tempo para destruir a imagem do escolhido. E o MP de acusá-lo e pedir sua condenação. O Moro de condená-lo. O TRF-4 de reafirmar a decisão do imparcial. E o TSE o tornaria inelegível, às vésperas da eleição.

Terceiro- Lula não teria participado das últimas pesquisas, caso já houvesse outro concorrente. Não teríamos noção da robustez do ex-presidente depois de tanto flagelo sofrido. A Imprensa hegemônica mal tocaria no seu nome. O Bolsonada  seria um dos beneficiários do efeito manada.

Quarto – A militância faria campanha para o candidato avalizado por Lula e o nome Luis Inácio Lula da SIlva não estaria tão em voga como está hoje.

Quinto – Lula candidato alavanca, dá ânimo, atrai eleitores às campanhas dos postulantes aos cargos de governador, senador, deputado federal e estadual progressistas. O congresso precisa ser conquistado. Desinfetado, enxotando a turma do BBB. Expurgando os corruptos e golpistas inescrupulosos..

Sexto  – Como disse o ex-sindicalista, “ideia não se prende”. E não só não se prende como também não se tem como evitar que se multiplique.

O PT e o Lula escolheram o caminho certo, agora é lutar até o fim. E com garra.

 

A postura de Chico Buarque é um oásis neste deserto golpista.

E Chico Buarque visitou o Lula. Ele e Martinho da Vila. Dois dos maiores expoentes de nossa música.

Lavaram nossa alma. Artistas que são, transitam por todas as classes sociais. Da mais privilegiada, a mais desprotegida. Lula deve ter ficado emocionadíssimo, assim como eles ficaram. Pois o artista tem atrás de si milhares de fãs. Há sempre olhos e corações a acompanhá-los.  Lula ama o povo. De sua cela, Lula sabia que os abraçando abraçava na verdade o povo brasileiro.

Chico então, nem se fala. Reconhecido mundialmente como compositor e escritor. Era dele a honra maior. Sabe de sua dimensão, de sua visibilidade e do significado da visita. Por mais que a mídia hegemônica tente esconder seus atos de apoio ao PT, ao Lula e à democracia não tem jeito. Chico Buarque de Holanda é o cara.

O cantor sublimou, estourou a bolha. Seu lugar é no panteão dos que não precisam provar nada pra ninguém.

E deste patamar nos brinda com sua postura coerente, humilde. Enfrentando batalhões de energúmenos e seus canhões com a mesma altivez e simplicidade.

A postura do Chico é um oásis neste deserto golpista.

Não sei se ele sabe, deve saber, atitudes como a dele injeta ânimo nas pessoas. E como necessitamos deste ânimo nestes momentos de golpe.

Percebam a magnitude do ato do Chico. Se há duas grandes paixões do brasileiro uma é a música, a outra, o futebol.

Pois é, onde estão os boleiros que não se manifestam?

O Juninho Pernambucano falou algo. Paulo César Caju, também. Mas e os jogadores famosíssimos. Aqueles que por onde passam são glorificados.

Estou me referindo aos  jogadores do nível de fama do Maradona.

Maradona pediu a liberdade do Lula. Suas palavras reverberaram em inúmeros jornais e noticiários. Evidentemente que não estou falando da mídia nacional. Esta é nojenta e falseia os fatos.

Carlos Casely, o maior jogador que o Chile já teve, deixou sua marca de protesto. Não cumprimentou Augusto Pinochet. Deixou o ditador no vácuo. Detalhe, a ditadura chilena estava no auge , isto é, estava prendendo, torturando e matando os opositores ao regime.  Precisou ou não precisou de muita coragem?

E nós brasileiros, será que nenhum dos famosíssimos têm postura mais progressista. Será que só produzimos Romários, Ronaldos e… Pelés. Como jogadores, excelentes. Como seres políticos, uma lástima.

Pelé quando marcou o milésimo gol pediu pelas crianças do Brasil. Nos tempos de Lula e Dilma a mortalidade infantil foi reduzida quase a zero. As oportunidades de estudo e futuro para os jovens aumentaram substancialmente. E agora, com este governo de traidor Michel Temer, voltamos ao mapa da fome. A mortalidade infantil cresce. A saúde, a educação  estão sendo sucateadas.

Será que o Rei do futebol, o atleta do século, não percebe isso? Por que não fala nada, não se pronuncia? Covardia ou alienação?  É uma decepção.

E os grandes atores, artistas plásticos não tem nenhum que tome uma atitude mais firme sobre os acontecimentos políticos? Que entenda a perseguição ao ex-presidente, a falta de provas?

Por isso e por muito mais digo e repito,  Salve Chico Buarque de Holanda! Ele pode nos salvar, ele vai nos redimir.”

Se os golpistas não se sentirem afrontados, Lula continuará preso.

Lula preso.  A cela, uma solitária. Nem médico, nem amigos, nem ex-presidenta, nem prêmio Nobel da Paz, nem advogados podem visitá-lo. Barrados que foram por uma juíza.

Como previa, ele está incomunicável. E vai piorar.

O ex-presidente está nas mãos do inimigo.  De gente golpista, canalha, odiosa. Psicopatas. Agem e fazem o que bem entendem.

A ordem: esquartejar o Lula, amaldiçoar seus descendentes, apagar a história do PT, prender os petistas e cassar o registro do Partido dos Trabalhadores.

Terra arrasada. Salgada. A história contada e recontada a partir do ponto de vista dos vencedores. Assim como fizeram com a escravidão. Com Zumbi dos Palmares. Talvez adaptem o hino da proclamação da república e nas escolas ensinem:

“…Nós nem cremos que “petistas” outrora/Tenha havido em tão nobre país/Hoje o rubro lampejo da aurora/Acha irmãos, não tiranos hostis/Somos todos iguais ao futuro…”

Estamos num momento histórico crucial. É no agora que temos que agir. Pensar.

O Brasil está dividido em dois mundos, bem distintos um do outro.

O da mídia, com o judiciário, legislativo, executivo, forças armadas, polícias, classe média velhaca, coxinhas, fascistas, débeis, corruptos, alienados, “Homer Simpsons” e inocentes úteis. E o outro, com os democratas, progressistas e todos aqueles indignados com o golpe vigarista.

Mundos separados por muro construído com mentiras, manipulações e pelo ódio.

Brigam irmãos, casais. Perdem-se amigos. O ódio é implacável.  Não tem perdão para a Globo.

Lula condenado é injusto. Lula amordaçado é uma vileza. Eleição sem Lula é fraude.

O poder judiciário, como concebido pela carta magna, não existe. Os juízes, alguns, cuspiram no prato que comeram. Que tal trocarmos justiça por “injustiça”? O MPF por Ministério dos Procuradores Fascistas? PF por Poder Falangista? Seria o mais correto a fazer.

Impotente, neste momento, o ex-presidente confia em nós. A luta por justiça e pela sua liberdade deve continuar. O que é bastante coisa.

 Não atingimos o QG do golpismo, até o momento. E somos pautado por eles.

Os golpistas são movidos a dinheiro ou a ameaça.

MT só não caiu porque comprou por duas vezes o congresso. Aécio Neves ameaçou matar o cara caso delatasse suas falcatruas. E olhe que o cara era o primo dele…

Temos que partir para o enfrentamento.

O acampamento em Curitiba sofreu atentado a tiro. 20 no total. Evento gravíssimo. Segundo informações, houve dois feridos. Um em estado grave. Imediatamente as pessoas foram às ruas, queimaram pneus, gritaram Lula Livre. Interromperam o trânsito. Criaram um fato.  Se não agissem desta forma, poucos saberiam da tentativa de homicídio. É isso, resposta rápida e a altura. Enfrentamento.

O trompetista tocando ao fundo o tema de “Lula, Lá” enquanto o repórter da Globo falava ao vivo, significa enfrentamento.  Imagine outros músicos interferindo do mesmo modo na mídia. Em algum momento as emissoras teriam que reagir, certo?

E os golpistas? Veja o que Sérgio “Banestado” Moro fez. O STF tirou o processo do sítio de Atibaia de sua alçada. Como ele reagiu? Falou Não, daqui não sai!  E não saiu. Ele afrontou uma decisão do Supremo Tribunal Federal. Digamos: Moro peitou o chefe. Seus fãs deliraram. Mandou às favas a dito que diz que “decisão de juiz não se discute, cumpre-se”. Moro enfrenta o STF.

E a Globo? Em 8 Segundos deu a notícia e logo após ficou 8 minutos batendo no Lula. Boa Noite. Covardia, hipocrisia.

Os golpistas partem para o enfrentamento de bate-pronto.

E nós, estamos reagindo conforme o esperado?  E em conformidade com quem? Ganhamos a narrativa do Golpe. A de 64, ganhamos? A Globo fez uma espécie de mea culpa, e só. Muitos ainda afirmam que não houve golpe e sim revolução.

Por enquanto os carrascos não estão nem se coçando. A vida continua.

Queremos Lula Livre, certo? Por quê? Porque é inocente. É um preso político. O maior líder que o país já teve… Se houver eleições e se forem honestas e transparentes. E se puder concorrer, o ex-sindicalista ganha. Os golpistas, obviamente, não querem que ele dispute o pleito.

E mais.  Preso político não combina com democracia. Não estamos numa democracia. A Constituição foi estuprada por quem deveria protegê-la.

O enfrentamento é irmão gêmeo dos protestos. O combate tem que ser em várias frentes. E conforme o perfil de cada um. De Ghandi à Lenin.

Precisamos mostrar força, determinação. Se Lula não for solto imediatamente faremos isso, aquilo…

O que os golpistas temem?

Banqueiro? Perder dinheiro. A Globo? Audiência.  As grandes indústrias? Produção. Magazines? Vendas. Pois então?

Quanto tempo mais durará o acampamento em Curitiba? Um ano, cinco anos? Ou o tempo que for necessário?

Há muito tempo que lugar de chorar deixou de ser na cama.