Nunca tantos deveram tanta miséria a tão poucos e em tão pouco tempo!

Há 53 anos atrás tivemos um golpe de estado. Foram 21 anos de obscurantismo, de desmandos, de tortura e perseguição.

E, infelizmente, hoje estamos vivendo outro golpe. O golpe que está nos levando à idade das trevas.

Se o de 64 ficou conhecido como os anos de chumbo este será conhecido por qual codinome?

Da canalhice, da velhacaria, da patifaria, da sacanagem, da vigarice ou da cara-de-pau?

Nem os militares fizeram um ataque tão brutal contra os direitos do trabalhador quanto este da quadrilha do traidor Temer.

O cara aprovou a terceirização irrestrita no dia das manifestações contra o golpe, pela anulação do impeachment, contra o desmonte da previdência, contra a própria terceirização, contra a reforma do ensino médio, contra o fim do SUS.

Para bom entendedor meio descalabro basta!

O recado dos usurpadores: não tamo nem aí pro cês! Vão se fudê! vão para pqp!

E o que significa a terceirização irrestrita?

Que o trabalho agora virou um bico!

O sujeito fica a disposição do empresário. Recebe apenas pelas horas trabalhadas. Não tem direito a férias, folga, décimo terceiro, horas extras, adicional noturno, assistência à saude, seguro desemprego, licença maternidade e etc.

Segundo o DIEESE, o terceirizado ganha quase 30% a menos, sofre mais acidente do que o contratado. E não recebe treinamento adequado.

Esse governo de ordinários diz que é para atrair investimentos, gerar empregos.

Isto não vai acontecer. O que atrai investimentos é o crescimento econômico, o dinamismo da sociedade, as garantias constitucionais, a estabilidade política. Coisas que não temos desde o primeiro dia do segundo mandato da Dilma, porque sabotaram o governo da presidenta!

Se continuarem nesta toada viraremos escravos. Trabalharemos por prato de comida, por cesta básica. Aí tudo que é lixo estrangeiro vem pra cá.

E o que siginifica desmonte da previdência? Que ninguém mais irá se aposentar. A não ser se tiverem previdência privada. Apenas 10 por cento da população tem condições de pagar. Os outro 90% que se virem!

O que siginfica reforma do ensino médio? Que os fihos dos trabalhadores nasceram para carregar saco de cimento nas costas. Sem história, sociologia, artes, filosofia. Nada que os ensine a refletir enquanto cidadão será lecionado.

O que significa o fim do SUS? Que pobre não pode e não deve ficar doente. Se quiser ter assistência médica que pague plano privado.

Nunca tantos deveram tanta miséria a tão poucos e em tão pouco tempo.

Devmos continuar com as manifestações, mas partamos agora para o enfrentamento. Greve geral! Ocupações! Desobediência civil! Parar o país!

Que absurdo que estão fazendo. Eles pensam que nós somos o quê?

Pulhas! não façam de nós seus espelhos!

Os golpistas são doentes mentais, bandidos. Vamos interná-los nas confortáveis e educadoras penitenciárias brasileiras.

Acusá-los de Responsáveis por jogarem 180 milhões na lama.

Ou devolvem a democracia ou não existirá país a ser governado.

Lideranças onde estão vocês?

 

Anúncios

Vão coxinhas e trouxinhas! Vão ser guache na vida!

patoda fiespCoxinhas e trouxinhas do meu ainda Brasil, vocês sabem que o MPF não encontrou crime algum cometido por parte da Dilma Rousseff? E mandou arquivar todos os processos?

Isso mesmo coxinhas e trouxinhas as tais “pedaladas” não foram cometidas. Portanto o alegado motivo do impeachment foi impiedosamente desconstruído.

Os doidivanas, irresponsáveis e vingativos Miguel, Bicudo e Janaina por mais que tentassem não conseguiram, diante da verdade dos fatos, dar um respaldo acadêmico ao processo e se afundaram no mar de insanidades.

Agora coxinhas e trouxinhas só restou o golpe puro. Aquele em que um bando de decrépitos assume o poder através da patifaria. E, claro, da estupidez intelectual de vocês, trouxinhas e coxinhas.

Mas continuem a ir para a rua.

Ouçam a música do flautista de Hamelin, aqui muito bem representados pelo fascista MBL, e sem entenderem “porra nenhuma” do que está acontecendo gritem e dancem à vontade.

E aqui em São Paulo, por favor se reúnam em frente à FIESP e gritem “fora Dilma”, “Fora Lula” e “abaixo os corruptos”. É tão gratificante ver a cara de idiotas e alucinados de vocês.

Lugar mais apropriado não existe, pois só ali o diretor Laodse de Abreu Duarte deve em sonegação R$ 6,9 bilhões. Belo corrupto.

Coxinhas e trouxinhas vocês sabiam das sacanagens desse cara? Não? Entendo. A Globo não dá o destaque merecido, então é complicado mesmo compreender a dimensão do roubo.

Bom, tem que ser assim, não é mesmo? Afinal, não é à toa que vocês têm o rótulo de coxinhas e trouxinhas. A ignorância lhes respalda as atitudes idiotas que vocês tomam.

Coxinhas e trouxinhas continuem firmes nestas suas caminhadas de louco.

Vocês são peças de museu. Referencias de gerações futuras. Teses de doutorados. Culto religiosos. Ameaças às crianças sapecas.

Se não se comportarem chamo os coxinhas e os trouxinhas, ameaçarão os futuros pais.

A tribo de coxinhas e trouxinhas tinham hábitos de acasalamentos estranhos, só depois de ouvirem Plim-Plim é que copulavam.

O rito religioso dos coxinhas e trouxinhas se resumia em duas vezes por semana cultuar um pato gigante amarelado dando três voltas em torno dele e depois gritando: salve o pato, nosso único salvador.

Por favor, não parem as manifestações coxinhas e trouxinhas, os seus ares estúpidos nos divertem muito.

A alienação coxinha é uma aula do que não ser.

Trouxinhas e coxinhas são produtos acabados do Jornal Nacional.

Vão coxinhas e trouxinhas! Vão ser guache na vida!

Geraldo Alckmin parece coroinha, mas é um fascista.

geraldo pimespQue o Geraldo Alckmin é um fascista disfarçado de coroinha de paróquia do interior nós já sabemos, o que não sabíamos: ele é  muito fascista.

Suas atitudes arbitrárias, o uso da violência indiscriminada contra os PPP(Preto, Pobre e Petista), suas desculpas estapafúrdias e justificativas escabrosas diante de fatos revelam um ser humano frio e calculista.

Pessoa desprovido de sentimentos. Incapaz de enxergar o outro, de entender as demandas da população. O que faz do governador um cidadão despreparado pra viver numa democracia, de ser político. Principalmente no Brasil. Uma nação com tanta diversidade e injusto social e economicamente.

Os estudantes secundaristas encontram-se mobilizados.

Protestam contra o desvio de verbas da merenda e o pouco caso que as autoridades estaduais vêm dando ao fato.

Ontem dia 18 de maio houve mais uma passeata.

Passeata esta interrompida brutalmente pela polícia do governador.

A PM já havia distribuído cacetadas e usado spray de pimenta indiscriminadamente. Apanharam professores, pais, alunos e profissionais da imprensa.

Não contente, fizeram formação em linha cortando o caminho por onde a passeata iria passar. Isto aconteceu ao lado da estação República do Metrô.

Os estudantes vendo os policiais pararam. Não avançaram contra a barreira. Ficaram cantando e gritando palavras de ordem.

Os agentes  ali parados, dando risadinhas provocativas, me pareceu não profissionais da segurança mas simples membros de uma gangue de bairro brigando por território.

Até que os manifestantes ensaiaram um enfrentamento. O que seria um suicídio, pois havia o Choque do outro lado da praça, fora da visão da passeata, prontos a entrar em ação.

Os manifestantes seriam massacrados. Primeiro pela desproporcionalidade de números. Havia mais dos elementos da gangue fardada do que alunos. E estes estavam armados. Segundo, os estudantes tinham em média 16 anos e um ou outro com um corpo mais forte, na maioria eram frágeis, pequenos.

O Metrô fechou as portas, seguranças se portaram na entrada com a cara de pitbulls.

Oras bolas! Uns brutamontes com medo de crianças.

Sem outra alternativa os manifestantes aos poucos se dispersaram. Era nítido a frustração.

Alguns mais exaltados esbravejavam diante do sentimento de impotência, derrota e da injustiça perpetradas contra eles.

Venceu a arrogância e a força bruta.

Nada de negociação ou argumentos.

É assim que Geraldo Alckmin, governador do estado de São Paulo, trata quem lhes enfrenta.

É assim que o fascismo vai dominando a sociedade.

O ódio destruindo o amor.

A deputada Luiza Erundina mostrou o caminho. O povo deve sentar na cadeira presidencial.

erundina tira o cunhaA deputada Luiza Erundina mostrou o caminho.

Quarta-feira não suportando mais uma das tentativas de golpe do Cunha. Erundina e outras deputadas subiram à mesa diretora e ocuparam o lugar que era do presidente da casa. Ao mesmo tempo que outras congressistas ocupavam os púlpitos, impedindo discursos. Paralisando a sessão.

O Motivo do ato foi o seguinte: estava sendo montada uma comissão em que se discutiria os direitos das mulheres. O presidente da câmara não gostou da composição da comissão na primeira votação. Então, através de manobras, pôs em votação o mesmo assunto diversas vezes até que a comissão fosse formada pela maioria dos seus asseclas.

Daí a revolta, a comissão em que se discutiria os direitos das mulheres não contaria com a participação da ala feminina. É estúpido, claro, mas é a cara do Cunha.

Bem, vamos trazer este exemplo para o caso do golpe de estado.

Chegará o dia que o senado votará a admissibilidade das denúncias contra Dilma. Se aprovada, a presidenta será afastada por seis meses. O golpe será consumado.

Então façamos igual a Erundina.

Nós, o povo, sentaremos na cadeira presidencial. Vamos gritar não ao golpe. Proteger a democracia. Será um grande ato simbólico. Nem a Globo poderá esconder este evento.

O mundo verá o quão digno somos nós, os brasileiros.

Diremos: Temer não entra, Dilma não sai.

Portanto, em vez de se concentrar em frente ao congresso, fiquemos em frente ao palácio do planalto. Dilma estará lá, assim espero.

Assim que Renan, presidente do senado, declarar o impedimento da Dilma nós ocuparemos o palácio.

É de difícil concretização, mas não impossível.

Não pode ter medo. E tem que ser muito bem articulado.

Serão necessários milhares de manifestantes. Muitos mesmos. A briga será feia. Pra entrar. Pra se manter.

Devemos lembrar que a partir do aceite do relatório o golpista Temer será o presidente e chefe das forças armadas.

Mas é o jeito. E depois? O dia a dia nos dará as respostas.

Se quisermos preservar a democracia, as conquistas, os avanços e, principalmente, não entregar o Brasil aos quadrilheiros do Cunha, Temer, Aécio, Serra, Aloysio, FHC e Globo temos que radicalizar as manifestações.

A Dilma Rousseff tem que ser valorosa. Corajosa, como Salvador Allende, e determinada como só os injustiçados sabem ser.

O golpe é um ato criminoso. Praticado por criminosos. E são criminosos porque são psicopatas. E psicopatas não se sensibilizam com a situação dos outros.

Os protestos têm que continuar. Cada vez mais incisivos. Talvez, como a pensa Ciro Gomes, consigamos barrar o golpe no senado.

Se o golpe é fato, a resistência é um dever

Os manifestantes, diferentemente do Temer, não traem. Diferentemente do Cunha, não roubam.

não vai ter golpe já tem lutaAs manifestações de hoje contra a tentativa de golpe foram amostras grátis do que pode acontecer se caçarem 54 milhões de votos.

Não são baderneiros, marginais, vagabundos, desocupados. PTistas ou comunistas.

Nem tão pouco bolivarianos, venezuelanos ou marcianos.

Não foram treinados em Cuba, na China ou na Rússia.

Se fizeram na lida do dia-a-dia. No sofrimento. No esquecimento.

O de não ter trabalho. O de não ter terra. O de não ter o que vestir. O de ser invisível.

De ter filhas e filhos sem sonhos.

Do presente marcado ao futuro desenhado.

De ser melequento, barrigudo, olhudo. Desnutrido. Desassistido.

Sem educação. Sem infância. Sem alegria.

Dos casamentos precoces.

Da vida de bicho. Da escuridão.

Do acordar. Do caçar comida. Do ganhar miséria.

Da humilhação. Do desprezo. Da despedida. Da saudade.

Da violência. Da doença.

De ter vinte. Aparentar cinquenta.

Do choro escondido. Da dor de não ter vivido. Do funeral perdido.

Lula e Dilma lhes trouxeram esperança. Lhes proporcionaram dignidade. Lhes deram valor. Um valor que nem sabiam que tinham.

E agora combatem o bom combate. O de manter as conquistas. Ameaçadas pela turma do golpe.

Eles, diferentemente do Temer, não traem. Diferentemente do Cunha, não roubam.

São cidadãos brasileiros lutando contra o golpe de estado. Sua vontade, sua consciência nasce do reconhecimento. Da lealdade. Algo que passa longe do entendimento da turma da bandidagem.

Iremos para rua. Diremos não ao golpe.

Podemos apanhar. Mas iremos bater.

Não vai ter golpe. Já tem Luta.

Manifestações na Venezuela e no Brasil. O mesmo “modus operandi”.

democracia henfilOntem houve manifestações na capital de São Paulo. Ocorreu o de sempre. Black Blocs na frente,  manifestantes atrás .

Os primeiros com o mesmo lema: proteger e provocar.  Na somatória vandalizar.

O movimento “nãovaitercopa” saiu a propalar: investimentos em saúde, educação, segurança e não gastar  bilhões do dinheiro público em construções de  estádios. Para poucos se locupletarem.

Seria um debate excelente, se o ano fosse de 2005.

Não é gasto, é investimento. A visibilidade do Brasil. O turismo. A economia dinâmica. A inserção do país nos roteiros dos grandes eventos. Não só os esportivos. A imagem do brasileiro como um novo ator no cenário mundial. O retorno do dinheiro.

Por outro lado: O Brasil é um país pobre. Muitos problemas sociais e de infraestrutura que precisam de investimentos prioritários.  Não é o momento de gastar em obras faraônicas. A corrupção. A FIFA corrupta também e etc.

Talvez um plebiscito.

Houve chamamento para protestos nesse ano. Apareceram alguns poucos abnegados. O congresso pouco fez.

Porém , mesmo com o plebiscito e aprovação da realização da copa pela população nada impediria  que os insatisfeitos fizessem o que estão fazendo hoje.

“Nãovaitercopa” virou ameaça.  Terrorismo.

A esquerda nunca foi unida. A história garante.

A direita sempre usou a desunião ao seu favor. Truculentos que são, se esbaldam na falta de visão dos dirigentes de partidos progressistas.

O apressado come cru e quente, não é mesmo?

João Goulart se viu pressionado tanto pela direita como pela esquerda. Ficou isolado. E deu no que deu.

Estamos no mesmo momento.

 Os reais manifestantes deixaram o tal de sem partido e hastearam as bandeiras: PSTU, PSOL, UNE. E gritam e assanham e amedrontam as velhas senhoras de sempre.

Hermann Hesse, prêmio Nobel de literatura e guru do movimento hippies, disse: o burguês é acima de tudo um covarde, qualquer coisa chama a polícia. Ou as forças armadas.

Como recentemente fez  Ênio Mainardi. Pregando a volta dos militares ao poder: para por ordem no pardieiro.

Ele e o filho, Diogo Mainardi, são estereótipos perfeitos do burguês covarde.

O sonho dos conservadores nacionais é ver por aqui o que acontece lá, na Venezuela.  

Tentam reproduzir o cenário catastrófico (econômico e social) do país de Nicolás Maduro.  Apostando no medo da classe média e da elite. Usam o poder financeiro e a mídia para espalhar maldades e hecatombes.

A fim de lastrear o que digo, reproduzo parte do artigo de Ignácio Ramonet, diretor do jornal “Le Monde Diplomatique” em sua versão espanhola,  publicado pela Folha de S. Paulo, sábado, 22 de fevereiro.

Ramonet fez uma análise dos acontecimentos venezuelanos e a nova tentativa de golpe de estado. O “golpe lento”. E descreve o passo-a-passo do golpismo.  A técnica do Manual, golpista.

“… Apesar de se haver unido sob a liderança de Henrique Capriles, a oposição perdeu quatro eleições consecutivas. Diante desse fracasso, sua facção mais direitista, ligada aos Estados Unidos e liderada pelo golpista Leopoldo López, aposta agora em um “golpe de Estado lento”. E aplica as técnicas do manual quanto a isso.

Na primeira fase: 1. Criar descontentamento ao tirar do mercado produtos de primeira necessidade. 2. Fazer crer na “incompetência” do governo. 3. Fomentar manifestações de descontentamento. E 4. Intensificar a perseguição pela mídia.

A partir de 12 de fevereiro, os extremistas ingressaram na segunda fase: 1. Utilizar o descontentamento de um grupo social (uma minoria de estudantes) a fim de provocar protestos violentos e detenções. 2. Montar “manifestações de solidariedade” aos detidos. 3. Introduzir entre os manifestantes pistoleiros com a missão de provocar vítimas de ambos os lados (a análise balística determinou que os disparos que mataram o estudante Bassil Alejandro Dacosta e o chavista Juan Montoya, em 12 de fevereiro, em Caracas, foram feitos com a mesma arma, uma Glock calibre 9 mm). 4. Ampliar os protestos e seu nível de violência. 5. Redobrar a ofensiva da mídia, com apoio das redes sociais, contra a “repressão” do governo. 6. Conseguir que as “grandes instituições humanitárias” condenem o governo por “uso desmedido da violência”. 7. Conseguir que “governos amigos” façam “advertências” às autoridades locais”.

A esquerda e a direita estão usando desta mesma técnica.

No entanto o Brasil não é a Venezuela. A economia vai bem. Os programas sociais avançam. Lula teve melhor relacionamento com G. Bush do que com Obama. A única desavença foi com o caso de espionagem, governo Dilma.

Mas a direita tem a mesma cara, seja na Venezuela, Equador, Bolívia, Argentina. São antidemocráticos e inescrupulosos.

As manifestações são legítimas e benvindas. Tiram o país do marasmo.  Mexem com o governo. E promovem avanços democráticos.

Ameaçar com golpe é que é o grande problema.

Do site TIJOLACO: Os filhotes de corvos.

corvos

Reproduzo abaixo artigo de Fernando Brito, do site tijolaco. Estava faltando mortes, agora temos uma. Quantas mais virão até o golpe final, derrubar Dilma?

Os filhotes de corvos

É óbvio que, poucas horas depois do anúncio da morte cerebral do cinegrafista Santiago Andrade, não existem condições para o protesto convocado para hoje no centrodo Rio.

Faze-lo é abrir caminho para todo tipo de provocador.

E para as reações mais brutais de policiais que vão se sentir politicamente protegidos para “baixar o porrete”.

Tanto é assim que duvido que a ele compareçam mais do que uma dúzia de gatos pingados, “ativistas” da falta de bom-senso e da irresponsabilidade.

Assim como é falta de bom-senso e de responsabilidade a ação dos que estão sustentando estes grupos, sejam quem forem.

Inclusive do Ministério Público e da Justiça, que não os responsabilizaram por todo tipo de depredação e destruição que provocaram.

E dos políticos que, à direita e à pseudoesquerda, toleraram e passaram a mão na cabeça deste tipo de atitude que, afinal, conseguiu o que queria: transformou os legítimos movimentos sociais de protesto – e não falta contra o que protestar – em sinônimo de pancadaria e baderna.

Alguns entram aqui para fazer agressões e ameaças, pouco se me dá.

Não vou parar, como faço há dias, de afirmar que é hora de dizer não a isso.

Quem tem que se lamentar, a esta altura, são os que, por um paternalismo equívoco, deixaram de cumprir seu papel e dizer que democracia se faz com povo e de cara limpa, não com paus, pedras e máscaras.

Claro que nem todo mascarado é vândalo.

Mas, mesmo não sendo, é no mínimo um idiota que não percebe que dá cobertura com isso aos que são e a todo tipo de imbecil que vai descarregar seus desajustes psíquicos com estas fantasias.

Isso não é uma brincadeirinha.

Isso  mutila pessoas e mata pessoas, de todos os lados.

Mas, pior, isso arruina a democracia, a liberdade, o direito de manifestação pacífica e desarmada.

E abre caminho para os fascistas, se os democratas não tem coragem de dizer não.

Quem tem história nas lutas populares, inclusive quando não havia liberdades, não pode aceitar ser patrulhado por quem quer que sejamos lenientes com a selvageria.

Mesmo a de meninos de “muito boa família”.