“Solto, viro presidente. Preso, viro herói. Morto, viro mártir”, disse Lula.

Lula advertiu, e quanta sabedoria na advertência.

“se me prenderem, eu viro herói. Se me matarem, viro mártir. E se me deixarem solto, viro presidente de novo”.

O tempo passou e o que temos até o momento?

Vejamos. A canalha, que de boba não tem nada, sabia, só a prisão evitaria que Lula  concorresse e, consequentemente, ganhasse as eleições presidenciais. Rapidamente encarcerado,  não virou presidente.

Preso há seis meses, ele está HERÓI. E se comporta como tal, pois resiste bravamente às agruras de sua condição de detento.

A grande questão é: até quando ele suportará ser um semi-deus? Ou traduzindo, por quanto tempo ficará preso?

Por mais que a defesa faça e lute Lula será condenado em todos os outros processos pendentes. Estes depoimentos são apenas rituais protocolares. O julgamento, uma farsa. E óbvio veredicto, culpado.

Se serve como consolo o que estão fazendo com ele ficará registrado para sempre na história. E quem contará a está história não serão os ditos “vencedores”.  E nem a “escola sem partido” será capaz de esconder a verdade sobre estes acontecimentos.

Caminhamos agora para a terceira opção, “se me matarem, viro mártir”.

Alguém por aqui que ver Lula mártir? Claro que não!

Mas esta triste opção também independe dele ou de nós. Infelizmente.

A vida de Luis Inácio Lula da Silva está nas mãos do inimigo. De gente escrota que fede a patifaria, preconceito e ódio.

O ex-sindicalista se tornou um problema internacional. A cada dia que passa mais gente se convence de que ele é de fato um preso político. A vitória do ex-capitão não amenizou o clima de desconfiança e de revolta.

Os quadrilheiros não conseguiram lavar o golpe.

E agora? Como fica a situação econômica, social e política do Brasil?

Percebe-se, a paciência dos golpistas está no limite. Por mais que enganem, mintam e caluniem a força do Lula não dá sinais de enfraquecimento.

Então por que não temer por sua morte física? É uma solução que, sem sobra de dúvidas, a canalha aventa, ou não?

Lula ficará muito tempo preso. Mofará na cadeia. Nunca mais ouviremos sua voz.

Pensar o contrário é desejar ser enganado.

Anúncios

Quem irá controlar o futuro governo federal de sua sanha autoritária?

Numa contagem rápida a bancada conservadora no congresso nacional conta com 398 parlamentares, aproximadamente. Logo,  Bolsonaro tem toda razão quando afirma que não precisará fazer conchavo com ninguém para governar. O apoio no senado e na câmara dos deputados está mais do que garantido. Sua palavra será uma ordem. Tipo ditadura.

Então preparemo-nos, pois os direitos trabalhistas, previdenciários, as conquistas sociais, culturais, educacionais,  as empresas estatais, os programas de inclusão, já atacados no governo Temer, estarão seriamente ameaçadas de extermínio.

Em destaque as preocupantes ameaças feitas ao MTST e ao MST. Estes movimentos foram jurados de morte pelo futuro presidente. Não é coisa pequena. O cara vai tipificá-los como grupos terroristas. E a lei de segurança nacional está aí para legalizar o assassinato.

Outra coisa. O PT que se cuide. Ele também está na mira dos bolsonaristas. O JB prometeu metralhar “a petralhada”, lembram-se? Portanto, o Partido dos Trabalhadores corre sério risco de ser posto na ilegalidade. E não há porque duvidar. Exemplo histórico, temos. O general Eurico Gaspar Dutra, anticomunista ferrenho, eleito democraticamente presidente em 1946, cassou o registro do PCB.

Dias sombrios estão por vir.

Agora, a grande questão é: quem poderá salvar os avanços e a jovem democracia deste pais   ou, pelo menos, frear a sanha fascista por destruição?

O legislativo? Impossível! O congresso está dominado pelos ultradireitistas, como já foi escrito acima.

O STF?  Também não. Convenhamos, o Supremo oscila entre a covardia e a concordância com os novos rumos do país. Dias Toffoli, presidente do Tribunal, tem um general como assessor e acha o Bolsonaro “uma pessoa alegre e bem humorada”. Conclusão: “De onde menos se espera, daí é que não sai nada”, profetizou o Barão de Itararé.

O povo nas ruas? É o jeito. Não vislumbro outra saída. Ao cidadão organizado cabe a árdua tarefa de estancar a sangria.

Mas desta vez não precisaremos nos preocupar com pautas. O governo federal construirá a agenda de manifestações.

Mal comparando, estamos na mesma situação daquele personagem de desenho animado que vendo o muro da represa verter água por um buraco tenta impedir o vazamento tapando com a mão, aí surge outra fenda e ele coloca a outra mão, aparece outra rachadura usa o pé e depois o outro. E assim vai.

Fim da CLT, da previdência? Sindicatos, centrais, associações… a postos!

A cultura está sob ataque? Artistas, produtores, cantores… à luta!

É o fim das escolas públicas, das faculdades? Professores, estudantes … à carga!

Povos indígenas, quilombolas suas terras correm perigo? Mobilização geral!

Evidentemente que não há empecilhos para participação de pessoas de outras áreas. Os protestos são abertos.

A vida não será fácil porque a repressão será violenta. E será violenta porque o monstro do autoritarismo mostrará o pior de sua personalidade.”

Se os ministros do TSE não tem coragem de cumprir com seu dever, melhor procurar outra profissão.

Me lembro bem. Aconteceu há alguns anos atrás… Rio de Janeiro, PM em operação numa das favelas da cidade. A repórter, que cobria a operação, perguntou a um oficial se eles não ficavam com receio de invadir o morro. Olha! – disse o militar, entre indignado e espantado- se o policial não tem coragem de subir o morro, ele está na profissão errada. Vai ser bancário que ganha mais e não corre perigo.

Essas palavras me marcaram.

Entenderam? Entenderam bem o que o policial falou?  Se você é uma autoridade constituída e sabe que o cargo exige de você certas atitudes e você não as toma, então você não merece  estar no cargo em que está.

É o caso dos ministros do TSE.

A Folha de São Paulo mostrou, demonstrou e comprovou, em reportagem, que houve fraude nas eleições. Houve sacanagem, via “Whatsapp”, por parte do capitão “Fake News” e seus cúmplices. O tal de Caixa 2.

A jornalista Patrícia Campos Mello, que denunciou a fraude, está sendo ameaçada de morte, de curra e o escambau. É muito escroto a intimidá-la. E as autoridades? … fazem cara de paisagem.

E o TSE? Intimado a se posicionar, o que faz? Nada! Não faz nada! Aliás, como estúpidos acovardados os juízes protelam uma simples entrevista.

Medo, muito Medo! Afinal, o filho do coiso, o Eduardo, é muito perigoso, não é mesmo? Soldado e cabo, a pé, tomam conta daquela pocilga. A pocilga é o STF.

Os ministros do STE se comportam como urubus comendo carniça, se encolhem quando afrontados. Batem asas e ficam gritando.

Repito, adiaram a entrevista, e quando a concederam não falaram nada com nada. A urna é confiável. O voto é confiável. O mesário é confiável… Defini-los como prolixos é pouco.

Se não tomam atitudes compatíveis com a função, se temem o Moro , se temem os filhos do Bolsonaro, se temem a Globo, se temem perder a boquinha… vocês, ministros, não servem pro cargo. Vão ser bancários. Que me desculpem os bancários.

Bater e julgar casos pequenos é mole. Isto qualquer concursado faz.

Pisotear, aloprar, desdenhar, ridicularizar, menosprezar quem está por baixo é fácil. Prender o leiteiro, o sapateiro é tranquilo.

Agora, tomar atitudes contra quem fere a república, que sabota a democracia, que vilipendia os direitos humanos é complicado. Exige coragem. Por favor, caso não tenham essa força, peçam demissão. Aliás, o Eduardo, o  filho do fascista, afirmou que irá expurgá-los do STF. Então, vocês, ministríssimos, estão esperando o quê? Um convite?

Volto a repetir, o filho da família dinossauro ameaçou Rosa Webber. A  ridicularizou. A menosprezou. Fez chacota do Supremo, fez piada com Gilmar Mendes… e nada acontece. Resposta zero. É muito pusilanimidade.

Infelizmente o judiciário está dando demonstrações claras de acovardamento. Ou de cumplicidade, o que é pior.

Imaginem se as mensagens caluniosas partissem do PT, do Haddad. Imaginem se fossem empresas que tivessem declarado apoio ao Haddad a pagar para empresas dispararem “fake news”, qual seria o comportamento do TSE? Dos Ministros, do MPE, da PF?

Será que investigar e julgar não seria bem mais celere? Será que haveria adiamento de uma entrevista sobre o caso de Caixa 2? Claro que não !

Não sejamos ingênuos. Estamos vivendo um golpe. E teremos que derrotá-los.

A parte humana da nossa sociedade tem que prevalecer.

Domingo, dia 28, temos que mostrar ao mundo que somos uma nação humana, que não somos bárbaros e que acima de tudo respeitamos os outros, os diferentes.

“Fake News”, arma de guerra em mãos covardes.

“Fake News”, notícias falsas, fantasiosas, exageradas ou mentirosas propositadamente criadas  para prejudicar alguém ou alguma coisa.

Os “fakes” são disseminados por agentes pagos. Exploram ao máximo e de maneira torpe o imaginário e os sentimentos de parte da população. Envolvendo-os num ambiente nebuloso e confuso, onde o não saber retroalimenta o ódio e o medo. E sem poder de reflexão ou, o que é mais desprezível, por questão de afinidade com pensamentos raivosos tornam-se presas fáceis dessas verdadeiras armadilhas semióticas.

Os covardes não estão em disputa eleitoral, estão numa guerra. Os “fakes” são as armas desta guerra

O objetivo? Destruir, para ganhar. Matar, para viver.

Por isso os embusteiros não estão nem aí para os efeitos colaterais. Tanto faz se alguém sai machucado ou não.

Terroristas, não ligam para a própria reputação. Acabando com o outro se sentem recompensados. O benefício é muito maior que o custo.

O TSE mandou retirar 35 páginas contendo injúrias e falsidades, após milhares de denúncias.

Retiraram, mas pergunto: e daí? O estrago já foi feito. Suplicy e Dilma não foram eleitos para o senado por causa dessas “fofocas”, contrariando as pesquisas pré-eleição que os apontavam como francos favoritos.

O próprio Bolsonaro é um “fake”. Quem é essa pessoa de verdade?

O que sabemos é que um cara com parcos conhecimentos sobre a constituição. Que é um baba-ovo do Brilhante Ustra. Faz loas a ditadura de 64, a tortura. Acha que o erro dos ditadores foi não ter matado uns trinta mil brasileiros. Disse que mataria FHC. Gay só é gay porque não apanhou quando era criança… Sem ideia do que seja diversidade racial, social, cultural e de injustiças.

Além de medroso, um chorão! No hospital percebendo que é mortal falou que “não merecia aquilo, pois nunca tinha feito mal a ninguém”. Insensível, a filha só nasceu devido a um vacilo dele na ora do coito.

Só há um meio de combater esses “fakes”, no nascedouro. Contar com a boa vontade da mídia golpista. Eles têm os meios. Basta denunciar as mentiras com a mesma agilidade com que são construídas. A GloboNews faz, o JN precisa fazer. Mas…

Porque digo isso, apesar de não ser um “fake” vou relembrar um caso de pânico após transmissão de “Guerra dos mundos” em 1938.

Em 30 de outubro Orson Welles interrompeu a programação para relatar uma invasão de marcianos nos EUA. A rádio avisou que era uma teatralização. Mas quem não ouviu o início acreditou piamente na notícia. E isto causou pavor nos americanos. Houve fuga, preparação pra guerra, choros, desmaios e etc… Sem saber da balburdia Welles continua narrando  normalmente. Só depois de avisado foi que ele interrompeu a transmissão e falou que não havia invasão de marciano nenhuma, era apenas um programa de radioteatro. Cessou o pânico.

Bem, esse é um exemplo do poder de manipulação dos meios de comunicação e de como divulgar o desmentido.

Com a palavra os democratas.

O PT fez a opção correta, lutar até o último dia por Lula candidato.

E o TSE negou o registro da candidatura do Lula à presidência. Nenhuma surpresa. Barroso convenceu a já convencida Rosa Webber a por em pauta o tema da ficha suja por causa do Lula, mesmo estuprando os prazos legais. E a ONU e o estado de direito foram jogadas às traças.

Bem, vencidos novamente. O maior líder político brasileiro de todos os tempos continuará preso e praticamente incomunicável. A não ser que alguém, com muita boa fé, calcule que Lula esteja contente em se comunicar  através de bilhetes e de terceiros, sendo ele um dos maiores oradores que o país já produziu .

Mas a caçada ao PT e a seus membros não cessou com o a prisão do Lula. E vem mais por aí. E vem porque o ex-presidente detido incomoda mais que mil elefantes. Por causa dele a discussão sobre o golpe de estado não saiu do dia-a-dia.

Sua persistência não dá alento aos usurpadores. É a sombra a persegui-los num lindo dia de sol.

E quanto mais apanha mais Lula cresce nas pesquisas. É um fenômeno. E se a canalha deixasse, ganharia no primeiro turno. Para o bem do país.

Porém, a simples possibilidade de ele poder concorrer põe em pânico os coxinhas, fascistas, energúmenos e golpistas.

Eles não se conformam com a teimosia do PT. Ótimo, a teimosia nos dá esperança.

A quadrilha só faltou suplicar de joelhos para que Lula desistisse da empreitada e o partido escolhesse outro candidato. Rápido e rasteiro assim.

E por que Lula não desistiu?

Primeiro – Acima de tudo porque ele é inocente no caso triplex. E não abre mão de provar sua inocência, logo disputar a presidência é consequência natural e direito legítimo.

Segundo – Se o PT designasse outro candidato em abril ou maio, por exemplo, a Globo teria mais tempo para destruir a imagem do escolhido. E o MP de acusá-lo e pedir sua condenação. O Moro de condená-lo. O TRF-4 de reafirmar a decisão do imparcial. E o TSE o tornaria inelegível, às vésperas da eleição.

Terceiro- Lula não teria participado das últimas pesquisas, caso já houvesse outro concorrente. Não teríamos noção da robustez do ex-presidente depois de tanto flagelo sofrido. A Imprensa hegemônica mal tocaria no seu nome. O Bolsonada  seria um dos beneficiários do efeito manada.

Quarto – A militância faria campanha para o candidato avalizado por Lula e o nome Luis Inácio Lula da SIlva não estaria tão em voga como está hoje.

Quinto – Lula candidato alavanca, dá ânimo, atrai eleitores às campanhas dos postulantes aos cargos de governador, senador, deputado federal e estadual progressistas. O congresso precisa ser conquistado. Desinfetado, enxotando a turma do BBB. Expurgando os corruptos e golpistas inescrupulosos..

Sexto  – Como disse o ex-sindicalista, “ideia não se prende”. E não só não se prende como também não se tem como evitar que se multiplique.

O PT e o Lula escolheram o caminho certo, agora é lutar até o fim. E com garra.

 

A postura de Chico Buarque é um oásis neste deserto golpista.

E Chico Buarque visitou o Lula. Ele e Martinho da Vila. Dois dos maiores expoentes de nossa música.

Lavaram nossa alma. Artistas que são, transitam por todas as classes sociais. Da mais privilegiada, a mais desprotegida. Lula deve ter ficado emocionadíssimo, assim como eles ficaram. Pois o artista tem atrás de si milhares de fãs. Há sempre olhos e corações a acompanhá-los.  Lula ama o povo. De sua cela, Lula sabia que os abraçando abraçava na verdade o povo brasileiro.

Chico então, nem se fala. Reconhecido mundialmente como compositor e escritor. Era dele a honra maior. Sabe de sua dimensão, de sua visibilidade e do significado da visita. Por mais que a mídia hegemônica tente esconder seus atos de apoio ao PT, ao Lula e à democracia não tem jeito. Chico Buarque de Holanda é o cara.

O cantor sublimou, estourou a bolha. Seu lugar é no panteão dos que não precisam provar nada pra ninguém.

E deste patamar nos brinda com sua postura coerente, humilde. Enfrentando batalhões de energúmenos e seus canhões com a mesma altivez e simplicidade.

A postura do Chico é um oásis neste deserto golpista.

Não sei se ele sabe, deve saber, atitudes como a dele injeta ânimo nas pessoas. E como necessitamos deste ânimo nestes momentos de golpe.

Percebam a magnitude do ato do Chico. Se há duas grandes paixões do brasileiro uma é a música, a outra, o futebol.

Pois é, onde estão os boleiros que não se manifestam?

O Juninho Pernambucano falou algo. Paulo César Caju, também. Mas e os jogadores famosíssimos. Aqueles que por onde passam são glorificados.

Estou me referindo aos  jogadores do nível de fama do Maradona.

Maradona pediu a liberdade do Lula. Suas palavras reverberaram em inúmeros jornais e noticiários. Evidentemente que não estou falando da mídia nacional. Esta é nojenta e falseia os fatos.

Carlos Casely, o maior jogador que o Chile já teve, deixou sua marca de protesto. Não cumprimentou Augusto Pinochet. Deixou o ditador no vácuo. Detalhe, a ditadura chilena estava no auge , isto é, estava prendendo, torturando e matando os opositores ao regime.  Precisou ou não precisou de muita coragem?

E nós brasileiros, será que nenhum dos famosíssimos têm postura mais progressista. Será que só produzimos Romários, Ronaldos e… Pelés. Como jogadores, excelentes. Como seres políticos, uma lástima.

Pelé quando marcou o milésimo gol pediu pelas crianças do Brasil. Nos tempos de Lula e Dilma a mortalidade infantil foi reduzida quase a zero. As oportunidades de estudo e futuro para os jovens aumentaram substancialmente. E agora, com este governo de traidor Michel Temer, voltamos ao mapa da fome. A mortalidade infantil cresce. A saúde, a educação  estão sendo sucateadas.

Será que o Rei do futebol, o atleta do século, não percebe isso? Por que não fala nada, não se pronuncia? Covardia ou alienação?  É uma decepção.

E os grandes atores, artistas plásticos não tem nenhum que tome uma atitude mais firme sobre os acontecimentos políticos? Que entenda a perseguição ao ex-presidente, a falta de provas?

Por isso e por muito mais digo e repito,  Salve Chico Buarque de Holanda! Ele pode nos salvar, ele vai nos redimir.”

Edson Fachin, o maior vilão da última semana.

E o vilão da vez é… Edson Fachin.

O que os golpistas fazem de bem feito é distribuir o ódio. Jogam e brincam com a esquerda.

Tivemos como grandes vilões: Joaquim Barbosa, Gilmar Mendes, Tóffoli, Roberto Barroso, Cármen Lúcia, Rosa Webber, Janot. E agora Edson Fachin.

Mal comparando, se fosse num jogo de futebol seria assim a preleção do técnico aos atletas.

Olha gente! O adversário tem um grande boleiro, o Lula, precisamos anulá-lo, de qualquer maneira. Se ficarmos no mano a mano, perderemos a partida, o cara é bom de mais. Sem chance pra nós. Então o que podemos fazer? Alguém tem alguma sugestão?

Pensam…Pensam.. Pensam… Até que um jogador sugere, o jeito é descer o sarrafo!

Sim, com certeza, diz o “professor”. No entanto se escolhermos um de nós o juiz irá expulsá-lo e aí… ferrou de vez.

 Pensam..Pensam..Pensam… Diz outro: vamos distribuir as entradas violentas. Eu dou uma, você outra, ele outra e assim por diante. O árbitro não poderá punir ninguém. O máximo um cartão amarelo e ao mesmo tempo machucamos o Lula. Uma hora ele ficará incapacitado de continuar jogando, não é mesmo?

Palmas e mais palmas. Aprovada a ideia. Cada um bate uma vez.

O jogo começa… E as faltas duras, também.

O que o time do Lula pode fazer?

O óbvio. Primeiro denunciar ao juiz a manobra dos adversários. Depois, gritar, gritar e gritar. E se nenhuma providência for tomada… Bem, aí resta apenas revidar as entradas maldosas. Bateu, levou! O jogo pode descambar para briga generalizada. Mas fazer o quê? Ficar só apanhando não pode ser, ou pode?

E assim a direita golpista age.

Vai levando em banho-maria a esquerda, batendo no seu melhor “jogador”, até, finalmente, impossibilitá-lo de continuar em campo.

O tempo trabalha a favor dos golpistas. O tempo irá naturalizar o golpe. 

Os golpistas precisam da eleição, como o náufrago de água. Lavar o golpe é urgente. Legaliza-lo. Mas ao mesmo tempo não podem correr risco de entregar o poder ao Lula e ao PT.

Os EUA investiram no golpe. As grandes petroleiras investiram no golpe. Os grandes abutres rentistas investiram no golpe.

Chegou a fatura.

Lula promete se eleito desfazer o que o Traidor fez contra o povo e contra o Brasil.

Lula irá regular a mídia. Lula fortalecerá a América Latina. Lula quebrará o isolamento imposto à Venezuela.

Os golpistas o temem como o diabo teme a cruz. Aí reside o grande problema.

A quadrilha joga isca. A esquerda vai atrás.

A segunda turma absolveu a Gleisi. A segunda turma soltou o Dirceu. Fachin manobrou para evitar o julgamento de Lula pela segunda turma.

Fachin é o maior traidor da última semana. E a segunda turma é a redenção.

Garantistas X Punitivistas.

O STF deixou de ser covarde? Deixou de ser golpista? A ameaça do comandante do Exército perdeu a validade?

O PT reage? Sim, reage, mas sempre dentro da legalidade. Respeitando a constituição e os tramites.

E os golpistas? Depende da pessoa. A justiça tirou a venda dos olhos há muito tempo.

Cláudio Lembo no debate “Capacidade Eleitoral Passiva, Lei da Ficha Limpa e a Vontade Popular”, promovido pelo escritório Aragão e Ferraro Advogados e o Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo afirmou em certo momento que  “Estamos vivendo a pior fase da vida política do Brasil. É uma democracia frágil, de fachada. Vivemos uma grande farsa”. E mais adianta disse que “Já vivi situações muito difíceis, como na ditadura, mas nunca vi nada tão imoral”, sobre impedir Lula de ser candidato.

E o tempo passa…O jogo está acabando. Continuam caçando o Lula… E ele continua preso numa cela.

E o time dele faz o que pode ou não faz o que deve?