Aos pobres? Circo e pão, é o que basta! Afirmavam os romanos.

Um milênio e meio depois a receita de alienação continua a mesma. Mais sofisticada, claro. Cada época tem seu jeito de lidar com o povo.

Em tempos de golpe os golpistas criaram a sua fórmula.  Dividiram a massa em dois tipos. A do cidadão comum e a dos mais politizados, esquerdistas em sua maioria.

Para o primeiro grupo contam com o poder da  Globo e sua programação escrota,  enlouquecedora.  Novelas, programas fúteis, futebol, noticiários e enlatados em geral.

Com o segundo grupo a coisa muda de figura. Por se tratar de pessoas que leem, refletem e procuram novos entendimentos fora da “bolha”, os golpistas  encontraram uma outra maneira de distração. A quadrilha,  não podemos esquecer, precisa de tempo, pois sabem, o tempo cura tudo, até a dor do golpe e de suas maldades.

Bem, e qual foi essa maneira encontrada? Atualmente, nos fazer crer que Lula voltará à presidência em 2018 através de eleições. Todas as pesquisas apontam para isso, certo? O ex-presidente está numa crescente e é capaz de ganhar no primeiro turno, segundo os dados mais recentes. Trazendo de volta a paz e a normalidade democrática. Então o que fez a maioria da esquerda? Abandonou outros discursos e encampou o de “Lula, 2018”. Apostando todas as suas fichas nessa bandeira. Aliás, única bandeira.

Em resumo, os criminosos nos deram corda para nos enforcar.

Os canalhas vão nos levar em banho-maria até o último momento. Dizem eles: deixa os petralhas  acreditarem que vai ter eleição e o que Lula vai vencer, tomar posse e governar, não tem problema, de ilusão também se vive.

Então  não hora “H”,  explodirão em canalhice:  Lula está fora do jogo!

Ficaremos como barata tonta, correndo pra cá e pra lá à procura de outra solução. Aí será tarde de mais.

E tudo isso porque não urdimos outras possibilidades de enfrentamento ao golpe.

Enquanto isso… a direita, a marginália têm no mínimo 5 alternativas.

  1. Inviabilizar o Lula, tornando-o ficha suja. Sem necessidade de encarcera-lo. É complicado e perigoso para o golpismo. Lula está acima de partidos. Lula, ele sim, é um mito. Lula tem o que mostrar. O povo o ama. E ele ama o povo. Pode haver revolta e isso os criminosos não desejam.
  2. Fraudar as eleições. Não podemos esquecer que toda máquina eleitoral está nas mãos dos golpistas. Temos vários motivos para desconfiar da lisura do pleito. São corruptos, traidores, mentirosos, sem ética entre outras coisas. Gilmar Mendes, desafeto do trabalhador, do povo e da esquerda é o coordenador e fiscalizador do evento, não devemos esquecer.
  3. Jogar as eleições para 2020. Elegeremos de uma só vez vereadores, prefeitos, governadores, deputados, senadores e presidente. A justificativa seria palatável, a diminuição de custos de campanha e gastos públicos. Tempo, o bando ganharia tempo.
  4. Sonho dos Tucanos. Tirar o poder do povo e dá-lo ao congresso. Este sim escolheria o primeiro-ministro. E o presidente? Um vaso decorativo. Sem os “mimis” do Temer.
  5. Intervenção militar. Se nada der certo… os golpistas apelam e as baionetas cantam. Nesse caso… Inês é morta!

Outra coisa. O golpe não foi dado para durar dois anos. No mínimo 20.

É obrigação da esquerda criar opções de lutas. Cartas na manga. E deixar de se pautar pela direita.

O congresso, o judiciário e o executivo estão dominados por forças golpistas. O território é deles. Fim de conversa. Ainda temos as ruas. Este é nosso campo de batalha.

Os golpistas temem o povo na rua.

Anúncios

As baratas saem dos esgotos.

As baratas invadem o Brasil. De todos os tipos. Pequenas, médias, grandes, voadoras. Antes relegadas aos esgotos, agora passeiam livremente pelas ruas, escolas, lares, empresas, mídias e pelos poderes republicanos sem serem perturbadas. Dizem asneiras. Pedem prisões e mortes. Perseguem. Nada acontece. Fica tudo legitimado pela liberdade de expressão.

Sem pudor perseguem a notoriedade. Outras, o poder econômico e político.

O Brasil ainda só não se transformou num vale tudo institucional porque ainda existe uma certa classe que não pode se manifestar, proferir, dizer, revelar, demonstrar, representar um nadica de nada pois, se o fizer, corre o risco de ser processada, agredida, censurada, execrada e  imbecilizada. Falou, dançou.

E nesta busca insana pela fama as baratas recorrem até à frase antológico dita por Andy Warhol,  “No futuro, todos terão seus quinze minutos de fama”. E não é que Moro e companhia lavajatenses levaram ao pé-da-letra a profecia.

Já tiveram seus momentos de fama. Viraram celebridades. Criaram gosto pela coisa. Então, insatisfeitos com o tempo dito, resolveram mostrar ao artista pop e a eles mesmos que são capazes de superar essa marcar., se eternizando  .

Celebridade instantânea, fugaz? Não é com essa cambada. Objetivo é entrar para o panteão dos deuses.

Não medem esforços para tanto. E como numa guerra, usam de todas as armas e artifícios. Topam até serem ridículos.

Elaboram de forma tosca e infantil apresentação em  “PowerPointes”. Chamam cidadãos  homônimos para depor. Prendem pessoas que não era quem pensavam que era.  Eles veem em pedalinhos, barco de lata, presentes presidenciais provas irrefutáveis de enriquecimento ilícito.  Citam a si mesmos para justificar suas teses acusatórias. Triplex, triplex e mais triplex. Sítios, sítios e mais sítios.

Um pede “pena de morte perpétua”. Outro, prisão de Dilma.  Outro a morte do Lula.  Outro diz “é coisa de preto”. Outro, promete dar mais banana se o cara retirar o processo por injúria. E por aí vai.

Tanta estupidez desses insetos que não tem como não  lembrar de Stanislaw Ponte Preta e seu Febeapá, Festival de Besteiras que Assola o País. Se tivesse vivo teria farto material à disposição para enriquecer seus escritos.

Os ortópteros descobriram como chegar lá, basta escrachar a Dilma, o Lula e o PT. Criou-se então uma disputa velada de egos. A mosca azul os deixou insensíveis, malucos, cegos, surdos e mudos.

Quem é o mais inteligente, perspicaz e golpista entre eles? Diga espelho, espelho meu.

Os concorrentes apelaram ao mundo animal, mais especificamente o canino. Parlamentar que saber por que Dilma matou seu cachorro, o Nêgo. Maus tratos, racismo? Manda para o PGR Janot, que manda pra polícia civil. Ela terá que esclarecer.

A resposta veio de imediato, os lavajatenses recorre a outro cachorro, o do Lula. O animal foi picado por uma cobra no sítio, portanto o sítio é do Lula. Prova cabal de propriedade.

As baratas se perguntam: quem será o primeiro a aparecer no Globo Rural?

Assim não é possível! Vamos salvar o país, pelo amor de Deus?

AVISO às Petrolíferas: Quem compra produto roubado é receptador!

Qualquer multinacional com a intenção de investir onde quer que seja antes analisa os riscos,  a situação econômica e política do país onde vai colocar o dinheiro, certo? Cobram garantias dos governos. É óbvio!

Portanto, todos os  altos executivos dessas empresas  estão cientes de que o Brasil sofreu recentemente um golpe de estado e que os usurpadores não passam de criminosos comuns, entreguistas  e estão envolvidos até o pescoço com a  corrupção.

O dito presidente Temer só não caiu porque o congresso também é composto em sua maioria por marginais. Eufemisticamente alcunhados de corruptos.

Portanto as companhias  que compraram parte do pré-sal têm obrigação de saber que estão adquirindo bens roubados. Quem compra de ladrão, sabendo que o cara é ladrão, ladrão é. Pois, participa e estimula o crime.

Então Shell, Statoil, Petrogal, CNOOC, QPI, CNODC, ExxonMobil, BP evidentemente não passam de uns reles receptadores e, não podemos deixar de mencionar, oportunistas. Empresas que vivem de explorar riquezas alheias em benefício próprio e de seus países. Deixam por onde passam guerras, destruição, poluição, doenças e misérias. Pois eles não são comprometidos com nada que não seja o lucro.

Agora, que garantias um governo ilegítimo pode ter dado a essas multi para convencê-los a comprar coisa roubada? Só isenção fiscal, preço baixo não pode ser. Nós tínhamos que saber o que foi falado ao pé do ouvido naquelas reuniões noturnas, fora da agenda. Mas uma coisa é certa, as garantias foram boas e não foram poucas. Afinal, os abutres aceitaram, não é mesmo?

Se antes as petrolíferas se intrometiam nos destinos das nações apenas pela força do hábito, neste momento seus interesses em influenciar na escolha do novo presidente do Brasil aumentaram. São trilhões de dólares em jogo.

 Lula lidera em todas as pesquisas. Prometeu um referendo a fim de deslegitimar os atos do traidor Temer. Com certeza a maioria da população dirá não a entrega da maior reserva petrolífera do mundo. Assim como dirá não às reformas trabalhistas, da previdência, da saúde, da educação, e dos fins dos programas sociais.

Sabedores disso essas empresas derramarão rios de dinheiros nas próximas eleições. Principalmente se houver um segundo turno com ex-presidente. Será a disputa presidencial  mais torpe que veremos. Um Davi contra vários Golias.

O Lula terá somente o povo a seu lado… Que estranho, não é verdade? Numa democracia o candidato só terá o povo a seu lado. Não deveria ser o divisor de águas?  Mas não é assim que a coisa funciona.

O que menos importa para a quadrilha de usurpadores é a população. Se vai passar fome, morrer de tuberculose, febre amarela, varíola, dengue ou  morar na rua pouco importa. O que interessa é o din-din no bolso.

Vivemos no país do espanto.

A gente acorda e se espanta com a cara de pau desses criminosos. Todo santo dia esses marginais destroem as conquistas que tivemos com o governo Lula/Dilma. E perpetram suas maldades numa boa. Não são nem importunados.

Vamos deixar um governo impopular, ilegítimo, canalha e corrupto vender nossas riquezas a troco de banana? Os outros enriquecerem às nossas custas e sair cantando de galo? Não é certo. Vamos à luta!

Temos que dar um basta nessa quadrilha. Vamos às ruas. Pressionar pela anulação do impeachment. Caso cruzemos os braços seremos um povo sem futuro.

Como cita Boaventura de Sousa no seu livro “A difícil democracia”: a democracia tem quer ser democratizada.

Carta aberta à população

À população.

Prezados compatriotas

Somos do Movimento Nacional pela Anulação do Impeachment (MNAI). Temos dois anos de existência.  A militância é formada por  trabalhadores, aposentados, estudantes, artistas, professores e etc. Este movimento surgiu espontaneamente durante as manifestações contra o golpe que se avizinhava. Temos comitês em vários estados. Nos reunimos ao menos uma vez por semana e possuímos página no facebook e twitter para maiores informações.

Nosso objetivo é derrotar o golpe de estado e os golpistas,  resgatar a democracia vilipendiada pelos usurpadores como almejam  outros grupos democratas e progressistas.

O que nos difere deles é o alvo da nossa luta e os mecanismos que usamos. Enquanto alguns querem “Diretas Já”, outros preferem garantir as eleições de 2018 com Lula  candidato. Nós queremos que o STF julgue o Mandado de Segurança impetrado pela defesa de Dilma Rousseff que solicita a anulação do impeachment, pois acreditamos que julgando o mérito fatalmente o impeachment será anulado e a Dilma reconduzida ao cargo de presidenta. Se isto ocorrer  as maldades a nós  impingidas pelo traidor Temer serão canceladas.

E duvidamos que, diante dos fatos novos surgidos de corrupção no congresso, todos os juízes estejam dispostos a compactuar com a quadrilha de vigaristas que tomou o poder.

Vejam o vídeo recente da delação do doleiro Funaro. Ele afirma, com todas as letras, que Eduardo Cunha, então presidente da câmara de deputados, pediu dinheiro para subornar parlamentares  com intuito de  apoiarem a  derrubada do governo legalmente eleito.

Será possível que a maioria do STF não esteja nem aí para suas autobiografias? Será que não se importam em se sujar defendendo marginais? E seus descendentes? Será que a maioria não se preocupa com o estigma de golpistas que netas, netos, filhas e filhos possivelmente carregarão pela vida toda? É complicado acreditar que sejam assim.

Atualmente coletamos assinaturas para pressionarmos o Supremo.  Eles têm obrigação ética, moral, constitucional e profissional de julgar esse MS e nós temos que pressioná-los sim.

 No dia “D” do golpe, quem estava presidindo a sessão? Ricardo Lewandowski, presidente do STF. Pois então, se ele serve para presidir, não pode se omitir. O STF já prendeu, suspendeu, cassou  senador e deputado e, se agora, vier com o discurso que não pode se intrometer no outro poder,  ficará evidente a participação no golpe e demonstrado a covardia de seus membros.

Nós somos as  vítimas do golpe, os que estão perdendo emprego, os que estão deixando de estudar, os que estão ficando sem atendimento médico, sem moradia e  sem direitos. 

Nós, do MNAI,  apoiamos qualquer manifestação de combate ao golpismo. Temos alguns parlamentares defendendo a luta pela anulação do impeachment, mas apelamos à todas as lideranças da  CUT, MTST, MST, PT  que fortaleçam nossa batalha.  Durante o cerco do congresso apanhamos, levamos spray de pimenta, bala de borracha,  bombas de gás. E mesmo diante dessa repressão, gritamos pela anulação e por diretas. Com a volta da Dilma teríamos  garantia de  novas eleições.  Precisamos de ajuda. Precisamos fortalecer o movimento e gostaríamos que todos divulgassem nossa Ação. 

Acessem nossa página, baixem o formulário. Coletem assinaturas, nos pontos de maior movimento em sua cidade.  Abram comitês, saiam do mundo virtual. Venham para a rua esclarecer os fatos, conversem com as pessoas. A mídia virtual é boa até certo ponto, passou dele, ela se torna um agente de acomodação. A pressão está no irmos às ruas. Gritar. Fora golpista! Viva a democracia! Audácia. Precisamos ser audaciosos. Façamos história.

Temos que derrotar o golpe, não há outra saída. O tempo trabalha contra nós.

https://www.facebook.com/causaMNAI/

Caixa Postal 6104 – CEP 70740-971 BRASÍLIA – DF

TWITTER:  @causaminai

Depois de Funaro, o STF continuará omisso em relação ao Golpe?

Após revelações de Funaro, de que Cunha pediu R$ 1 milhão pra comprar deputados e garantir o golpe de estado, o que falta agora para o STF julgar e anular o Impeachment fraudulento?

Dos três poderes da república sobrou um que pode reverter esse quadro de anarquia que se configura, o judiciário. Os outros estão envolvidos até o talo com o golpe.

Sobre os ombros do STF está a responsabilidade histórica de trazer o Brasil à normalidade democrática.

Presenciamos a destruição do Brasil como uma nação. O governo do traidor Temer optou pelo retrocesso econômico, político e social. Voltaremos a ser um simples  entreposto comercial.

Alexandre de Morais está com Mandado de Segurança engavetado há meses. Muitos acreditam que o MS não será nem julgado, pois, como dizem os advogados, em 2018 depois da eleição perde-se o objeto do processo. Isso é de um absurdo sem tamanho. Principalmente se levarmos em conta que estamos falando de um país de 209 milhões de habitantes. De uma das maiores democracia. Líder da América do Sul. E um dos mais injustos.

 A não ser que o STF esteja realmente envolvido com o golpe. Ou por simpatia à quadrilha usurpadora. Ou por ódio, preconceito e asco ao Lula, à Dilma, ao PT e a tudo que remeta à palavra esquerda. Ou, o  que seria catastrófico, recebeu dinheiro para dar um aspecto legal à patifaria dos canalhas. Será que os 11 ministros se prestariam a esse papel escroto? Não quero crer, apesar de vivermos tempos pré-fascistas.

A delação foi tão forte que houve um princípio de atrito entre os corruptos pela sua autoria. Cunha reclamou de que Funaro “roubou” sua delação. O bicho deve ter ficado bravo. Se cuida Funaro.

Então STF, escolha seu lugar no trem da história.

josé Celso de Melo, marco aurélio mendes de Farias Mello, gilmar Ferreira Mendes, enrique Ricardo Lewandowski, carmen lúcia Antunes Rocha, josé antonio Dias Toffoli, luiz Fux, rosa maria weber Candiota da Rosa, luís roberto Barroso, luiz edson Fachin, alexandre de Morais ministros do Supremo escrevi os seus primeiros nomes em minúsculo para alertá-los de que, dependendo das escolhas ou do comportamento acovardado, suas máculas serão transmitidas a seus descendentes. E não será uma globo que dará jeito nestas nódoas.

Nós do Movimento Nacional pela Anulação do Impeachment (MNAI) estamos lutando para que a verdade, a justiça, o respeito à constituição e à democracia voltem a imperar no Brasil. Papel que caberia a vocês.

Estamos coletando assinaturas para mostrar ao STF que a população quer que o Mandado seja julgado, em tempo. A ação que fazemos é presencial. A assinatura é no papel. Nada Virtual. Temos Caixa Postal. Estamos nas ruas. Damos nossa cara para bater. Enfrentamos bolsonaristas, fascistas, MBListas. Recebemos aplausos, elogios,  xingamentos, ameaças e indiferenças. Mas continuamos na luta. Temos nosso valor. Somos cidadãos comuns indignados com o golpe. Suprapartidários.  Assim como o ódio alimenta os golpistas, coxinhas e demais monstros a revolta com os criminosos nos fortalece.

Agora é com vocês. O mesmo Funaro disse que o STF e Janot, ex-PGR,  sabiam de todas as sacanagens contra o governo Dilma Rousseff e que ficaram na moita. Será verdade?

Nosso trabalho continua.

A respeito da nota do PT: o partido pode estar certo ou errado.

Dependendo do lado que se olhe, o PT está certo, ou o PT está errado a respeito da nota emitida sobre a suspensão do mandato de senador de Aécio Neves pelo STF.

Vamos discorrer a partir do ângulo de visada de 90% da população, ou seja, dos vulneráveis.

Qual o objetivo do PT emitindo uma nota em defesa do mandato de Aécio Neves, mesmo de forma indireta?  Como o partido conseguiria explicar às pessoas tal atitude? Como nós explicaríamos ao cidadão comum, aquele que só lê as chamadas de capa, a atitude do PT? Tem como?

Não, não precisa explicar, eu só queria entender! como dizia o macaco Sócrates, no saudoso humorístico “Planeta dos Homens”.

Não importa se  estão certos ou errados. Se são republicanos ou não. Se estão em defesa da legalidade. Nada disso tem relevância.

Esculhambaram, com toda razão, o gangster Aécio Neves, só que no final sopraram. Pra não doer tanto, foi isso? Baratas, o PT virou um bando de baratas, é isso? Não me venho com palavras bonitas e inúteis.

Quando parecia que os tempos do Partido dos Trabalhadores seriam outros com a senadora como presidente eis que os erros de avaliação persistem, iguaizinhos ao de seu antecessor, Rui Falcão. O que vemos é a continuação da mesma política esdrúxula. Quando José Dirceu, Genoino, Vaccari ou a Dilma precisaram dessa rapidez de resposta o partido foi uma lesma. Foram a favor da cassação do mandado do Cunha pelo supremo, lembram-se? Diferente do que fizeram agora com o moleque. Sem desculpas e especulações.

O real é que com essa postura mais uma vez fica visível a enorme distância que existe  entre o PT, a militância, as bases sociais e a população. O seus dirigentes perderam a sensibilidade em perceber o que se passa no Brasil real.

A nota dá a entender que os parlamentares petistas acham, pensam, creem, imaginam que os senadores irão cassar o mandato do irresponsável e, portanto, não é bem-vinda a intromissão do STF no congresso. Chamaram pra si a responsabilidade para cuidar desse caso.

Bem, sinto muito pessoal, vocês estão redondamente enganados. O congresso formou uma quadrilha do mal. Corruptos, entreguistas, fundamentalistas, escroques campeiam em suas pradarias verdejantes.

O Temer, outro notório corrupto, está na berlinda e fará de um tudo para evitar a perda do mandato do Aécio. Não por bondade ou lealdade, pensando sim em conseguir apoio do PSDB e evitar que ele mesmo seja cassado. Marginal com Marginal se entende, certo?

Não é difícil inferir que as forças atuam contra a justiça, a ética e a dignidade.

No Brasil das ruas é complicado explicar o porquê do partido sair em defesa do moleque. Já ouvimos, lemos em vários artigos que a maioria da população só vê a manchete. Poucos leram a nota na íntegra ou irão ler. Pois bem, a manchete diz que o PT saiu em defesa de Aécio e ponto final. E amanhã é outro dia.

Se os coxinhas se escondem da própria ignorância afirmando que os políticos são todos iguais, depois desse relato então, os argumentos deles ganharam força. E consequentemente os nossos perderam força. Que bonito! Nós, militantes, simpatizantes nos transformamos em pais tentando explicar os malfeitos dos filhos. Não é bem assim…vocês tem que compreender… a política as vezes…

Oras! Quem sabe que o senador é um canalha, que foi o responsável pelo golpe, pela desestabilização do governo Dilma, pelo desemprego, pela perda de direitos, que tripudiou  com a democracia ficou aturdido, pasmado e indignado com mais essa atitude da direção do partido. Os brasileiros sabem que o Aécio não vale o que come. Nem os tucanos defenderam o sujeito com tanta presteza.

As pessoas ficam perdidas. A Globo martelando diuturnamente que o Lula é ladrão, que a Dilma não presta e que os ladrões são petistas e portanto todo petista é ladrão. Aí vem a vítima dessa infâmia e se posiciona contra a suspensão do corrupto. Como vocês acham que fica a imagem do PT perante a população?

Oras bolas! Só analisam de cima pra baixo, esquecem os anseios das massas. Só agem academicamente, dentro da lei. Mas a lei e a constituição estão sendo estupradas todo o santo dia!

Bem, não custa repetir, os golpistas não são adversários políticos, são inimigos. E assim devem ser tratados. Se vocês acham que não, por favor, ao menos trate-os dessa forma por nós. Nós, os afetados pelo golpe de estado. Nós estamos perdendo direitos trabalhistas, estamos ficando desempregados, passando fome, morando na rua, perdendo o direito de estudar, de sonhar, sem amparo, sem saúde. Tenham consideração pelo povo ao menos.

Ou dá muito trabalho?

Intervenção Militar, não! A verdadeira luta nem começou.

O general Mourão é um oficial sem tropa. E oficial sem tropa para o exército tem tanta valia quanto um piloto “asa quebrada” para aeronáutica ou um almirante impedido de navegar para marinha. O sujeito vira um simples funcionário, encostado. Não apita mais nada.  Seu destino é virar porta-voz ou um burocrata. E é nisso que se transformou o general, um porta-voz. 

E só disse o que disse porque o alto escalão permitiu ou no mínimo se omitiu. Tanto que não houve por parte do comando do exército um desmentido ou reprovação. Certo que a punição de oficiais vem em documento confidencial. Porém neste caso foi um pronunciamento público, portanto o público espera uma resposta condenando tal atitude. 

Ou exigimos um posicionamento contundente por parte das forças armadas ou podemos esperar pelo pior, intervenção militar. Erros do passado cometem-se na atualidade. O golpe, por mais vigarista e bem arquitetado que tenha sido, ilude apenas aos que querem ser iludidos ou os que têm interesses mesquinhos.

Sabemos que temos um governo ilegítimo, entreguista e acima de tudo canalha. Um presidente acusado de ser ladrão e chefe de quadrilheiros. Ministros denunciados na Lava Jato. Congressistas bandidos. Mídia golpista e hipócrita, justiça e MPF parciais. Uma sociedade machista. Uma elite covarde e egoísta. E americanos babando por nossas riquezas.  E apesar deste quadro de caos a esquerda e os progressistas não podem, nem de longe, cogitar que uma intervenção militar, em qualquer grau, seja uma saída ou uma alternativa ao golpismo. 

Há um consenso que durante os 13 anos do PT no palácio as autoridades cometeram um grande e fatal erro: não politizaram e nem esclareceram aos cidadãos, em especial aos mais jovens, o que significava as políticas de inclusão social, educacional, econômica e de saúde. Os benefícios que as mudanças trariam ao país e as diferenças em relação às políticas neoliberais. Deixaram o barco correr solto. Este esquecimento resultou no que se viu, na hora do “pega pra capa” as pessoas, inclusive as que se beneficiaram dessas políticas, ficaram perdidas, atônitas e se tornaram presas fáceis dos marginais. Assimilando com virulência os discursos rasteiros de combate à corrupção e se voltaram contra Lula/Dilma.

A mesma desatenção aconteceu com as academias militares. Tanto Lula como Dilma não se preocuparam em adaptar aos novos tempos a formação dos oficiais. A AMAN, AFA e EN continuam a graduar militares nos moldes da ditadura. Portanto, é mais fácil encontrar “bolsonaros” entre seus quadros do que progressistas.

Pra quem tem lá suas dúvidas, as OM´s comemoram a “Revolução” no dia 31 de Março. Eles não veem e nem admitem que foi golpe em 64. Por que veriam de outra forma se nenhum dos seus professores ensinam diferente?

Marechal Lott atuou evitando um golpe. Alguém viu o General Villas Boas tomar uma posição antes do golpe? Permaneceu neutro. Um verdadeiro soldado. Viu a sua comandante em chefe ser massacrada e… silêncio. Imaginem se ele declarasse, na ocasião, apoio irrestrito a Dilma, talvez o golpe tivesse sido abortado. Agora troquem o nome da presidenta por Temer, percebem a força deste apoio?

E se alguém acha que os tempos são outros digo, o alto escalão das forças armadas é composta na sua totalidade por homens brancos, num país de mestiçagem pronunciada, como sempre foi. Até os americanos reclamaram dessa aberração. Isso diz algumas coisas da mentalidade que campeia no meio militar, certo? Preto só vamos encontrar praticamente de suboficial pra baixo.

Hermann Hess, prêmio Nobel de literatura, certa vez afirmou que o burguês é essencialmente um covarde por isso precisa da polícia e do exército. Em 90 um diretor de empresa teve sua poupança confiscada pelo plano Zélia Cardoso desesperado gritou pelos militares um covarde. Fazia um mês que Collor tinha sido eleito. Esse cara apoiou o Fernando. E agora fazemos a mesma coisa? Somos covardes, imaturos, idiotas? Este é problema da sociedade civil e civis têm que resolver. Temos que sair às ruas aos milhões. Escrachar a Globo, a Veja, a IstoÉ , o PIG. Invadir o congresso. Greves. Desobediência civil. Pressionar o STF.  Não fizemos um décimo do que podemos ainda fazer. Não utilizamos nenhuma de nossas possibilidades de pressão. A situação está feia é certo, mas já vamos apelar? Se ficarmos sob as asas dos militares nunca cresceremos, nunca!

Nós somos um país com mais de 200 milhões de pessoas, 90% pobre. Vamos transformar isso aqui numa jogatina? Se o Boas for um nacionalista e tiver um projeto de recondução dos progressistas ao poder será muito bem-vinda a intervenção. Que bom! A sorte está lançada. E se cair o outro lado da moeda? E descobrirmos que o general é um lobo na pela de cordeiro, o que faremos? Ele tem armas, nós não. Alguém tem ideia de como vamos tirá-lo do palácio do planalto?

E apoiar intervenção militar é como aquele cara que ameaça matar a mulher dizendo que se ela não for dele, não vai ser de mais ninguém.