“O Globo é o que é mais pelo que não deu, pelo que deu”, Roberto Marinho.

A Globo foi delatada, nos EUA, por pagar propina pelo direito exclusivo de transmitir a copa do mundo de futebol e os jogos da seleção brasileira.

Segundo empresário argentino Alejandro Burzaco o grupo e outros pagaram 15 milhões de dólares para ter exclusividade nesses eventos.

A emissora negou veementemente qualquer envolvimento. Afirmou que fez uma  investigação interna e nada de ilícito foi encontrado e deu o caso por encerrado.

Bem, em se tratando de um país em que os golpistas de 64 se autoanistiaram e o STF concordou com essa aberração jurídica nada mais deve causar espanto, não é verdade? Nem a cara de pau desta organização.

A sorte é que a investigação está a cargo dos americanos e os Marinhos não tem como influenciar, comprar ou chantagear as autoridades de lá. Ou tem? Não podemos esquecer que a emissora trabalha com eles e para eles. Seja amaciando mentes, entregando nossas riquezas, destruindo a indústria nacional ou fazendo vistas grossas aos desmandos “yankees”. No entanto deve ser um poder menor, mesmo com a CIA por trás. Temos que acreditar na justiça… estadunidenses, é claro.

Uma coisa parece óbvia, se dependêssemos exclusivamente das autoridades brasileiras a investigação já nasceria morta. “Não vem ao caso”, como disse certo juiz. E seria arquivado, aliás,  nem viria à tona a delação.

Se fosse nos tempos pré-internet, com certeza a população não tomaria ciência de tais acontecimentos. E o JN não seria obrigado ler aquela nota boba se inocentando da propinagem.

Até o momento o PGR,  a PF e os procuradores não se pronunciaram sobre essa delação. O medo deles é muito.

A república foi sequestrada pelos donos da Globo há muito tempo. Ninguém tem coragem de enfrentá-las.  Já dizia Tancredo Neves: “prefiro brigar com o ministro do exército do que com o Roberto Marinho”. Passamos por inúmeros governos e nenhum deles teve coragem de enfrentar o quarto poder. Ou seria o primeiro?

Isso que é uma usina de poder, como dizia o Roberto Marinho.

A emissora não faz só por si, protege também quem se ajoelha perante a sua divindade.

O advogado Tacla Duran, por exemplo,  está denunciando a indústria da delação premiada criada pela força tarefa da Lava Jato. Delação nos moldes da lei,  livre e espontânea. É cidadão espanhol. Moro na Espanha e lá não é acusado de nada. Poderia viver tranquilamente, sem aborrecimentos e não foi obrigado a nada. Diferente dos nossos bandidos.

No entanto, o que seria manchete, foi simplesmente ignorado pela Globo. E por que ignorada? Porque atinge seus meninos de ouro do momento, Sérgio Moro e procuradores. O mito não pode ser destruído. O “imparcial de Curitiba” ainda tem sua utilidade, bem menor, mas tem. E o povo que só assiste a Globo mais uma vez é feita de palhaço. “O Globo é o que é mais pelo que não deu, pelo que deu”, Roberto Marinho.

Graças à internet, aos jornalistas destemidos e blogueiros temos acesso maior às informações e contrapontos à imprensa hegemônica.

Notícia boa e salutar. Tendo como protagonista o senador Lindberg Farias (PT), foi aprovado requerimento de realização de audiência pública para tratar deste caso. A Globo, teoricamente, terá que se pronunciar sobre a delação do empresário argentino. Esperar para ver.

Será que um dia a mídia será democratizada, a Globo cassada e os Marinhos impedidos de viajar ao exterior, igualzinho ao RicardoTeixeira e ao Marco Polo Del Nero, ex-presidente e presidente da CBF?

Que a fortuna nos abençoe.

Anúncios

Reforma da Previdência

Ninguém duvide, a reforma da previdência só não será aprovada se a população ocupar as ruas (risos). No jeito golpista de ser, ficará assim:

Modalidade única. Aposentadoria aos 65 anos para homens e 62 para mulheres, com mínimo de 15 anos de contribuição. Valor do benefício: 60% da média salarial para quem contribuiu por 25 anos, mais:

1) 1% a cada ano que superar 15 anos, até 25 anos. Assim, quem contribuir por 20 anos terá 65% da média

2) 1,5% a cada ano que superar 25 anos, até 30 anos. Assim, quem contribuir por 30 anos terá 77,5% da média

3) 2% para o que superar 30 anos, até 35 anos. Quem contribuir por 35 anos terá 87,5% da média

4) 2,5% para o que superar 35. Com isso, 40 anos de contribuição dão direito à aposentadoria integral (100% da média).

Regra de transição.  O trabalhador terá de contribuir por um tempo adicional de 30% em relação ao que falta para completar 30 anos (mulheres) ou 35 anos (homens) de contribuição. A idade mínima será a vigente no ano em que a pessoa terminar de cumprir esse pedágio, partindo de um mínimo de 53 anos para mulheres e 55 para homens. A partir de 2020, a idade mínima subirá um ano a cada dois anos, conforme tabela, até chegar a 62 anos para mulheres em 2036 e 65 para homens em 2038.

Quem será afetado pela reforma? Todos os trabalhadores que, até a data de promulgação da reforma, não tenham preenchido todos os requisitos para se aposentar pelas regras atuais.

O que acontece com quem já pode aposentar? Nada.

O que acontece com quem já está aposentado? Nada.

Se olharmos de modo pueril o negócio não é tão feio como pintam por aí. Só daqui a 20 anos o efeito será sentido em sua plenitude. Quem é jovem e tem um serviço um pouco mais digno não perceberá as movimentações contra ele. Acima de 50 não será atingido.

 E o que são 40 anos, não é mesmo? Se o sujeito começou a contribuir com 25 anos com 65 anos terá atingido  o limite máximo e portanto terá direito à aposentadoria integral. 25 anos ! Não tá bom? Agora quem, dos 80 % de desprivilegiados começa a trabalhar com 25 anos? Geralmente é com 16, certo? Então quanto mais cedo começar a trabalhar mais explorado o cara será.

São 40 anos de contribuição ininterruptos, ou seja, o elemento não pode ficar nenhum período desempregado, senão… Simples, não é mesmo?

Agora, se analisarmos as regras de aposentadoria com as outras maldades já impostas veremos que o futuro das novas gerações ficará comprometido. Detonaram os direitos trabalhistas. Congelaram os investimentos em educação e saúde por 20 anos.

Mais. Segundo a ANFIP (Associação Nacional dos Auditores Fiscais) a seguridade não é deficitária e sim superavitária. Percebam

A seguridade social engloba saúde, previdência e assistência social. São contribuintes o empregado, o empregador e o governo. Quando o executivo fala em aposentadoria ele faz as contas levando em consideração apenas a contribuição do empregado e do empregador. Não se coloca como contribuinte, daí fica fácil enganar os incautos. Além do que, há um desvio legal do montante arrecadado, o chamado DRU (Desvinculação de Receitas da União). Este dispositivo permite retirar o dinheiro da seguridade e realocá-lo em outras áreas.

Vamos à operação matemática.

R$ 151, 9 bi – rombo divulgado pelo governo

R$ 91,8 bi – Desviados com a DRU

R$ 56 bi – Fraudes no pagamento dos benefícios

R$ 43,4 bi – Renúncias Fiscais.

Total R$ 39,3 bi, positivos. E há ainda R$ 450 bi em sonegação. A Globo que o diga!

Outra. A CPI da Previdência teve seu relatório final aprovado por unanimidade.

Conclusão: “O texto de 253 páginas aponta erros na proposta de reforma apresentada pelo governo; sugere emendas à Constituição e projetos de lei; além de indicar uma série de providências a serem tomadas para o equilíbrio do sistema previdenciário brasileiro, como mecanismos de combate às fraudes, mais rigor na cobrança dos grandes devedores e o fim do desvio de recursos para outros setores.

O relatório alega haver inconsistência de dados e de informações anunciadas pelo Poder Executivo, que “desenham um futuro aterrorizante e totalmente inverossímil”, com o intuito de acabar com a previdência pública e criar um campo para atuação das empresas privadas.

“É importante destacar que a previdência social brasileira não é deficitária. Ela sofre com a conjunção de uma renitente má gestão por parte do governo, que, durante décadas: retirou dinheiro do sistema para utilização em projetos e interesses próprios e alheios ao escopo da previdência; protegeu empresas devedoras, aplicando uma série de programas de perdão de dívidas e mesmo ignorando a lei para que empresas devedoras continuassem a participar de programas de empréstimos e benefícios fiscais e creditícios; buscou a retirada de direitos dos trabalhadores vinculados à previdência unicamente na perspectiva de redução dos gastos públicos; entre outros”.

Resumidamente. O golpista Temer, a Globo e interesseiros em geral desejam nos impor como algo essencial e bom esta reforma. Não é verdade. A corda  sempre arrebenta para o lado mais fraco. Vamos as ruas dizer NÃO!!! Mostrar que não somos fracos.

 

Fontes: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2017/10/24/veja-os-principais-pontos-do-relatorio-da-cpi-da-previdencia

https://www.anfip.org.br

Aos pobres? Circo e pão, é o que basta! Afirmavam os romanos.

Um milênio e meio depois a receita de alienação continua a mesma. Mais sofisticada, claro. Cada época tem seu jeito de lidar com o povo.

Em tempos de golpe os golpistas criaram a sua fórmula.  Dividiram a massa em dois tipos. A do cidadão comum e a dos mais politizados, esquerdistas em sua maioria.

Para o primeiro grupo contam com o poder da  Globo e sua programação escrota,  enlouquecedora.  Novelas, programas fúteis, futebol, noticiários e enlatados em geral.

Com o segundo grupo a coisa muda de figura. Por se tratar de pessoas que leem, refletem e procuram novos entendimentos fora da “bolha”, os golpistas  encontraram uma outra maneira de distração. A quadrilha,  não podemos esquecer, precisa de tempo, pois sabem, o tempo cura tudo, até a dor do golpe e de suas maldades.

Bem, e qual foi essa maneira encontrada? Atualmente, nos fazer crer que Lula voltará à presidência em 2018 através de eleições. Todas as pesquisas apontam para isso, certo? O ex-presidente está numa crescente e é capaz de ganhar no primeiro turno, segundo os dados mais recentes. Trazendo de volta a paz e a normalidade democrática. Então o que fez a maioria da esquerda? Abandonou outros discursos e encampou o de “Lula, 2018”. Apostando todas as suas fichas nessa bandeira. Aliás, única bandeira.

Em resumo, os criminosos nos deram corda para nos enforcar.

Os canalhas vão nos levar em banho-maria até o último momento. Dizem eles: deixa os petralhas  acreditarem que vai ter eleição e o que Lula vai vencer, tomar posse e governar, não tem problema, de ilusão também se vive.

Então  não hora “H”,  explodirão em canalhice:  Lula está fora do jogo!

Ficaremos como barata tonta, correndo pra cá e pra lá à procura de outra solução. Aí será tarde de mais.

E tudo isso porque não urdimos outras possibilidades de enfrentamento ao golpe.

Enquanto isso… a direita, a marginália têm no mínimo 5 alternativas.

  1. Inviabilizar o Lula, tornando-o ficha suja. Sem necessidade de encarcera-lo. É complicado e perigoso para o golpismo. Lula está acima de partidos. Lula, ele sim, é um mito. Lula tem o que mostrar. O povo o ama. E ele ama o povo. Pode haver revolta e isso os criminosos não desejam.
  2. Fraudar as eleições. Não podemos esquecer que toda máquina eleitoral está nas mãos dos golpistas. Temos vários motivos para desconfiar da lisura do pleito. São corruptos, traidores, mentirosos, sem ética entre outras coisas. Gilmar Mendes, desafeto do trabalhador, do povo e da esquerda é o coordenador e fiscalizador do evento, não devemos esquecer.
  3. Jogar as eleições para 2020. Elegeremos de uma só vez vereadores, prefeitos, governadores, deputados, senadores e presidente. A justificativa seria palatável, a diminuição de custos de campanha e gastos públicos. Tempo, o bando ganharia tempo.
  4. Sonho dos Tucanos. Tirar o poder do povo e dá-lo ao congresso. Este sim escolheria o primeiro-ministro. E o presidente? Um vaso decorativo. Sem os “mimis” do Temer.
  5. Intervenção militar. Se nada der certo… os golpistas apelam e as baionetas cantam. Nesse caso… Inês é morta!

Outra coisa. O golpe não foi dado para durar dois anos. No mínimo 20.

É obrigação da esquerda criar opções de lutas. Cartas na manga. E deixar de se pautar pela direita.

O congresso, o judiciário e o executivo estão dominados por forças golpistas. O território é deles. Fim de conversa. Ainda temos as ruas. Este é nosso campo de batalha.

Os golpistas temem o povo na rua.

As baratas saem dos esgotos.

As baratas invadem o Brasil. De todos os tipos. Pequenas, médias, grandes, voadoras. Antes relegadas aos esgotos, agora passeiam livremente pelas ruas, escolas, lares, empresas, mídias e pelos poderes republicanos sem serem perturbadas. Dizem asneiras. Pedem prisões e mortes. Perseguem. Nada acontece. Fica tudo legitimado pela liberdade de expressão.

Sem pudor perseguem a notoriedade. Outras, o poder econômico e político.

O Brasil ainda só não se transformou num vale tudo institucional porque ainda existe uma certa classe que não pode se manifestar, proferir, dizer, revelar, demonstrar, representar um nadica de nada pois, se o fizer, corre o risco de ser processada, agredida, censurada, execrada e  imbecilizada. Falou, dançou.

E nesta busca insana pela fama as baratas recorrem até à frase antológico dita por Andy Warhol,  “No futuro, todos terão seus quinze minutos de fama”. E não é que Moro e companhia lavajatenses levaram ao pé-da-letra a profecia.

Já tiveram seus momentos de fama. Viraram celebridades. Criaram gosto pela coisa. Então, insatisfeitos com o tempo dito, resolveram mostrar ao artista pop e a eles mesmos que são capazes de superar essa marcar., se eternizando  .

Celebridade instantânea, fugaz? Não é com essa cambada. Objetivo é entrar para o panteão dos deuses.

Não medem esforços para tanto. E como numa guerra, usam de todas as armas e artifícios. Topam até serem ridículos.

Elaboram de forma tosca e infantil apresentação em  “PowerPointes”. Chamam cidadãos  homônimos para depor. Prendem pessoas que não era quem pensavam que era.  Eles veem em pedalinhos, barco de lata, presentes presidenciais provas irrefutáveis de enriquecimento ilícito.  Citam a si mesmos para justificar suas teses acusatórias. Triplex, triplex e mais triplex. Sítios, sítios e mais sítios.

Um pede “pena de morte perpétua”. Outro, prisão de Dilma.  Outro a morte do Lula.  Outro diz “é coisa de preto”. Outro, promete dar mais banana se o cara retirar o processo por injúria. E por aí vai.

Tanta estupidez desses insetos que não tem como não  lembrar de Stanislaw Ponte Preta e seu Febeapá, Festival de Besteiras que Assola o País. Se tivesse vivo teria farto material à disposição para enriquecer seus escritos.

Os ortópteros descobriram como chegar lá, basta escrachar a Dilma, o Lula e o PT. Criou-se então uma disputa velada de egos. A mosca azul os deixou insensíveis, malucos, cegos, surdos e mudos.

Quem é o mais inteligente, perspicaz e golpista entre eles? Diga espelho, espelho meu.

Os concorrentes apelaram ao mundo animal, mais especificamente o canino. Parlamentar que saber por que Dilma matou seu cachorro, o Nêgo. Maus tratos, racismo? Manda para o PGR Janot, que manda pra polícia civil. Ela terá que esclarecer.

A resposta veio de imediato, os lavajatenses recorre a outro cachorro, o do Lula. O animal foi picado por uma cobra no sítio, portanto o sítio é do Lula. Prova cabal de propriedade.

As baratas se perguntam: quem será o primeiro a aparecer no Globo Rural?

Assim não é possível! Vamos salvar o país, pelo amor de Deus?

AVISO às Petrolíferas: Quem compra produto roubado é receptador!

Qualquer multinacional com a intenção de investir onde quer que seja antes analisa os riscos,  a situação econômica e política do país onde vai colocar o dinheiro, certo? Cobram garantias dos governos. É óbvio!

Portanto, todos os  altos executivos dessas empresas  estão cientes de que o Brasil sofreu recentemente um golpe de estado e que os usurpadores não passam de criminosos comuns, entreguistas  e estão envolvidos até o pescoço com a  corrupção.

O dito presidente Temer só não caiu porque o congresso também é composto em sua maioria por marginais. Eufemisticamente alcunhados de corruptos.

Portanto as companhias  que compraram parte do pré-sal têm obrigação de saber que estão adquirindo bens roubados. Quem compra de ladrão, sabendo que o cara é ladrão, ladrão é. Pois, participa e estimula o crime.

Então Shell, Statoil, Petrogal, CNOOC, QPI, CNODC, ExxonMobil, BP evidentemente não passam de uns reles receptadores e, não podemos deixar de mencionar, oportunistas. Empresas que vivem de explorar riquezas alheias em benefício próprio e de seus países. Deixam por onde passam guerras, destruição, poluição, doenças e misérias. Pois eles não são comprometidos com nada que não seja o lucro.

Agora, que garantias um governo ilegítimo pode ter dado a essas multi para convencê-los a comprar coisa roubada? Só isenção fiscal, preço baixo não pode ser. Nós tínhamos que saber o que foi falado ao pé do ouvido naquelas reuniões noturnas, fora da agenda. Mas uma coisa é certa, as garantias foram boas e não foram poucas. Afinal, os abutres aceitaram, não é mesmo?

Se antes as petrolíferas se intrometiam nos destinos das nações apenas pela força do hábito, neste momento seus interesses em influenciar na escolha do novo presidente do Brasil aumentaram. São trilhões de dólares em jogo.

 Lula lidera em todas as pesquisas. Prometeu um referendo a fim de deslegitimar os atos do traidor Temer. Com certeza a maioria da população dirá não a entrega da maior reserva petrolífera do mundo. Assim como dirá não às reformas trabalhistas, da previdência, da saúde, da educação, e dos fins dos programas sociais.

Sabedores disso essas empresas derramarão rios de dinheiros nas próximas eleições. Principalmente se houver um segundo turno com ex-presidente. Será a disputa presidencial  mais torpe que veremos. Um Davi contra vários Golias.

O Lula terá somente o povo a seu lado… Que estranho, não é verdade? Numa democracia o candidato só terá o povo a seu lado. Não deveria ser o divisor de águas?  Mas não é assim que a coisa funciona.

O que menos importa para a quadrilha de usurpadores é a população. Se vai passar fome, morrer de tuberculose, febre amarela, varíola, dengue ou  morar na rua pouco importa. O que interessa é o din-din no bolso.

Vivemos no país do espanto.

A gente acorda e se espanta com a cara de pau desses criminosos. Todo santo dia esses marginais destroem as conquistas que tivemos com o governo Lula/Dilma. E perpetram suas maldades numa boa. Não são nem importunados.

Vamos deixar um governo impopular, ilegítimo, canalha e corrupto vender nossas riquezas a troco de banana? Os outros enriquecerem às nossas custas e sair cantando de galo? Não é certo. Vamos à luta!

Temos que dar um basta nessa quadrilha. Vamos às ruas. Pressionar pela anulação do impeachment. Caso cruzemos os braços seremos um povo sem futuro.

Como cita Boaventura de Sousa no seu livro “A difícil democracia”: a democracia tem quer ser democratizada.

Carta aberta à população

À população.

Prezados compatriotas

Somos do Movimento Nacional pela Anulação do Impeachment (MNAI). Temos dois anos de existência.  A militância é formada por  trabalhadores, aposentados, estudantes, artistas, professores e etc. Este movimento surgiu espontaneamente durante as manifestações contra o golpe que se avizinhava. Temos comitês em vários estados. Nos reunimos ao menos uma vez por semana e possuímos página no facebook e twitter para maiores informações.

Nosso objetivo é derrotar o golpe de estado e os golpistas,  resgatar a democracia vilipendiada pelos usurpadores como almejam  outros grupos democratas e progressistas.

O que nos difere deles é o alvo da nossa luta e os mecanismos que usamos. Enquanto alguns querem “Diretas Já”, outros preferem garantir as eleições de 2018 com Lula  candidato. Nós queremos que o STF julgue o Mandado de Segurança impetrado pela defesa de Dilma Rousseff que solicita a anulação do impeachment, pois acreditamos que julgando o mérito fatalmente o impeachment será anulado e a Dilma reconduzida ao cargo de presidenta. Se isto ocorrer  as maldades a nós  impingidas pelo traidor Temer serão canceladas.

E duvidamos que, diante dos fatos novos surgidos de corrupção no congresso, todos os juízes estejam dispostos a compactuar com a quadrilha de vigaristas que tomou o poder.

Vejam o vídeo recente da delação do doleiro Funaro. Ele afirma, com todas as letras, que Eduardo Cunha, então presidente da câmara de deputados, pediu dinheiro para subornar parlamentares  com intuito de  apoiarem a  derrubada do governo legalmente eleito.

Será possível que a maioria do STF não esteja nem aí para suas autobiografias? Será que não se importam em se sujar defendendo marginais? E seus descendentes? Será que a maioria não se preocupa com o estigma de golpistas que netas, netos, filhas e filhos possivelmente carregarão pela vida toda? É complicado acreditar que sejam assim.

Atualmente coletamos assinaturas para pressionarmos o Supremo.  Eles têm obrigação ética, moral, constitucional e profissional de julgar esse MS e nós temos que pressioná-los sim.

 No dia “D” do golpe, quem estava presidindo a sessão? Ricardo Lewandowski, presidente do STF. Pois então, se ele serve para presidir, não pode se omitir. O STF já prendeu, suspendeu, cassou  senador e deputado e, se agora, vier com o discurso que não pode se intrometer no outro poder,  ficará evidente a participação no golpe e demonstrado a covardia de seus membros.

Nós somos as  vítimas do golpe, os que estão perdendo emprego, os que estão deixando de estudar, os que estão ficando sem atendimento médico, sem moradia e  sem direitos. 

Nós, do MNAI,  apoiamos qualquer manifestação de combate ao golpismo. Temos alguns parlamentares defendendo a luta pela anulação do impeachment, mas apelamos à todas as lideranças da  CUT, MTST, MST, PT  que fortaleçam nossa batalha.  Durante o cerco do congresso apanhamos, levamos spray de pimenta, bala de borracha,  bombas de gás. E mesmo diante dessa repressão, gritamos pela anulação e por diretas. Com a volta da Dilma teríamos  garantia de  novas eleições.  Precisamos de ajuda. Precisamos fortalecer o movimento e gostaríamos que todos divulgassem nossa Ação. 

Acessem nossa página, baixem o formulário. Coletem assinaturas, nos pontos de maior movimento em sua cidade.  Abram comitês, saiam do mundo virtual. Venham para a rua esclarecer os fatos, conversem com as pessoas. A mídia virtual é boa até certo ponto, passou dele, ela se torna um agente de acomodação. A pressão está no irmos às ruas. Gritar. Fora golpista! Viva a democracia! Audácia. Precisamos ser audaciosos. Façamos história.

Temos que derrotar o golpe, não há outra saída. O tempo trabalha contra nós.

https://www.facebook.com/causaMNAI/

Caixa Postal 6104 – CEP 70740-971 BRASÍLIA – DF

TWITTER:  @causaminai

Depois de Funaro, o STF continuará omisso em relação ao Golpe?

Após revelações de Funaro, de que Cunha pediu R$ 1 milhão pra comprar deputados e garantir o golpe de estado, o que falta agora para o STF julgar e anular o Impeachment fraudulento?

Dos três poderes da república sobrou um que pode reverter esse quadro de anarquia que se configura, o judiciário. Os outros estão envolvidos até o talo com o golpe.

Sobre os ombros do STF está a responsabilidade histórica de trazer o Brasil à normalidade democrática.

Presenciamos a destruição do Brasil como uma nação. O governo do traidor Temer optou pelo retrocesso econômico, político e social. Voltaremos a ser um simples  entreposto comercial.

Alexandre de Morais está com Mandado de Segurança engavetado há meses. Muitos acreditam que o MS não será nem julgado, pois, como dizem os advogados, em 2018 depois da eleição perde-se o objeto do processo. Isso é de um absurdo sem tamanho. Principalmente se levarmos em conta que estamos falando de um país de 209 milhões de habitantes. De uma das maiores democracia. Líder da América do Sul. E um dos mais injustos.

 A não ser que o STF esteja realmente envolvido com o golpe. Ou por simpatia à quadrilha usurpadora. Ou por ódio, preconceito e asco ao Lula, à Dilma, ao PT e a tudo que remeta à palavra esquerda. Ou, o  que seria catastrófico, recebeu dinheiro para dar um aspecto legal à patifaria dos canalhas. Será que os 11 ministros se prestariam a esse papel escroto? Não quero crer, apesar de vivermos tempos pré-fascistas.

A delação foi tão forte que houve um princípio de atrito entre os corruptos pela sua autoria. Cunha reclamou de que Funaro “roubou” sua delação. O bicho deve ter ficado bravo. Se cuida Funaro.

Então STF, escolha seu lugar no trem da história.

josé Celso de Melo, marco aurélio mendes de Farias Mello, gilmar Ferreira Mendes, enrique Ricardo Lewandowski, carmen lúcia Antunes Rocha, josé antonio Dias Toffoli, luiz Fux, rosa maria weber Candiota da Rosa, luís roberto Barroso, luiz edson Fachin, alexandre de Morais ministros do Supremo escrevi os seus primeiros nomes em minúsculo para alertá-los de que, dependendo das escolhas ou do comportamento acovardado, suas máculas serão transmitidas a seus descendentes. E não será uma globo que dará jeito nestas nódoas.

Nós do Movimento Nacional pela Anulação do Impeachment (MNAI) estamos lutando para que a verdade, a justiça, o respeito à constituição e à democracia voltem a imperar no Brasil. Papel que caberia a vocês.

Estamos coletando assinaturas para mostrar ao STF que a população quer que o Mandado seja julgado, em tempo. A ação que fazemos é presencial. A assinatura é no papel. Nada Virtual. Temos Caixa Postal. Estamos nas ruas. Damos nossa cara para bater. Enfrentamos bolsonaristas, fascistas, MBListas. Recebemos aplausos, elogios,  xingamentos, ameaças e indiferenças. Mas continuamos na luta. Temos nosso valor. Somos cidadãos comuns indignados com o golpe. Suprapartidários.  Assim como o ódio alimenta os golpistas, coxinhas e demais monstros a revolta com os criminosos nos fortalece.

Agora é com vocês. O mesmo Funaro disse que o STF e Janot, ex-PGR,  sabiam de todas as sacanagens contra o governo Dilma Rousseff e que ficaram na moita. Será verdade?

Nosso trabalho continua.